Terra Nostra estreava há 18 anos

Publicidade

No dia 20 de setembro de 1999, a Globo lançava a novela das oito Terra Nostra, de Benedito Ruy Barbosa. Com jeito de saga arrasa-quarteirão, a trama sobre a imigração italiana no Brasil começava em alta, com suntuosas cenas e ares de superprodução, para contar os encontros e desencontros dos heróis Giuliana (Ana Paula Arósio) e Matteo (Thiago Lacerda).

Terra Nostra mostrava o Brasil entre o final do século XIX e início do século XX, e começava num navio que vinha da Itália ao Brasil, trazendo imigrantes que buscavam uma vida melhor. Neste navio estão Giuliana, filha de um casal de italianos que resolveram vir ao Brasil seguindo o conselho do amigo Francesco (Raul Cortez), que fez fortuna no país; e Matteo, um jovem sonhador que trocava a Itália pelo Brasil em busca de riquezas. Os dois se conhecem no navio e se apaixonam, ficando muito próximos quando os pais de Giuliana morrem durante a viagem, acometidos pela peste negra. Juntos, eles prometem não mais se separar.

Entretanto, quando o navio atraca no Porto de Santos, Giuliana e Matteo se perdem e se desencontram. Assim, ela acaba acolhida por Francesco, que aguardava no Porto, enquanto Matteo fica com um grupo de imigrantes que vai trabalhar na fazenda de café de Gumercindo (Antonio Fagundes). Pouco tempo depois, Giuliana se descobre grávida de Matteo, e se desespera tentando encontrar o amado. Marco Antonio (Marcello Antony), filho de Francesco, se oferece para se casar com a mocinha, para desgosto de sua mãe Janete (Angela Vieira), que nunca aceitou a presença de Giuliana naquela casa.

Continua depois da publicidade

Já Matteo desperta o amor nas duas filhas de Gumercindo, Rosana (Carolina Kasting) e Angélica (Paloma Duarte). A primeira é mais esperta, arma uma emboscada e faz o pai acreditar que o italiano tirou a sua virgindade, o que faz Gumercindo obrigar Matteo a se casar com ela. Já Angélica acaba se casando com o político Augusto (Gabriel Braga Nunes), num casamento arranjado. A jovem se apaixona verdadeiramente pelo marido, sem saber que ele mantém uma amante em São Paulo, a bela Paola (Maria Fernanda Cândido).

Este desencontro amoroso que trazia, como pano de fundo, uma parte importante da História do Brasil, fez de Terra Nostra um sucesso instantâneo, arrebatando o público. No entanto, o frisson inicial acabou se perdendo no decorrer da trama, que perdeu ritmo e fôlego conforme se desenvolvia. Quando Matteo e Giuliana finalmente se reencontram e passam a viver juntos, a trama começa a mostrar o casal vivendo dificuldades cotidianas um tanto enfadonhas.

Isso aconteceu, principalmente, porque Terra Nostra foi inicialmente planejada para ter três fases, propondo uma novela “três em um”. Como era a trama que atravessaria as comemorações dos 500 anos do Descobrimento do Brasil, em 2000, a ideia era fazer uma grande saga que mostrasse diversos momentos importantes do país. A segunda fase começaria em 1945, com o fim da ditadura Vargas e da 2.ª Guerra, e iria até o golpe militar de 1964, enquanto a terceira e última fase teria início na reabertura política em meados dos anos 1980 e seguiria até a virada do milênio. Mas o sucesso da primeira fase, somado às dificuldades técnicas que as duas fases seguintes apresentaram (afinal, haveria grande troca de elenco e novos cenários a cada fase), acabou fazendo o autor Benedito Ruy Barbosa desistir da ideia, estendendo as participações dos personagens iniciais.

Quando houve a desistência de dividir Terra Nostra em fases, Benedito Ruy Barbosa avisou que escreveria uma nova novela, que entraria após as tramas de Manoel Carlos e Gloria Perez, e que traria os descendentes de Giuliana e Matteo numa nova história. Terra Nostra, então, terminou sem o famigerado “fim”, e sim mostrando os dizeres “esta história não termina aqui”. Terra Nostra deu lugar à Laços de Família, de Manoel Carlos, mas, logo em seguida, Aguinaldo Silva “furou a fila” com Porto dos Milagres, enquanto Gloria Perez deu sequência com O Clone. Neste meio-tempo, Benedito acabou desistindo da continuação de Terra Nostra e escreveu uma nova história sobre a imigração italiana, Esperança, em 2002.

Mesmo sem conseguir manter o sucesso inicial, Terra Nostra foi uma novela marcante. A trama consagrou os atores Ana Paula Arósio e Thiago Lacerda como estrelas do primeiro time da Globo. Os dois foram escalados para encabeçar a produção após o sucesso de ambos na minissérie Hilda Furacão, exibida um ano antes. Outro destaque da novela foi Maria Fernanda Cândido que, até então, havia feito apenas pontas na telinha, além de ter participado da abertura de A Indomada. Sua personagem Paola fez muito sucesso, assim como a macarronada que costumava preparar em cena. Paola acabou crescendo na trama e, depois de desistir de ser amante de Augusto, engata um romance com Francesco, compondo um dos casais de maior sucesso de Terra Nostra. A atriz, na época, era comparada à Sophia Loren, e foi eleita “a bela do século” numa eleição promovida pelo Fantástico.

Terra Nostra teve 221 capítulos, foi escrita por Benedito Ruy Barbosa, com colaboração de Edmara Barbosa e Edilene Barbosa, e dirigida por Marcelo Travesso e Carlos Magalhães, com direção-geral e de núcleo de Jayme Monjardim.

Leia também:

Há 34 anos estreava Eu Prometo, última novela de Janete Clair

Relembre a abertura de Terra Nostra:

Publicidade
© 2021 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade