Há seis anos estreava A Vida da Gente, primeira novela de Lícia Manzo

Marjorie Estiano, Rafael Cardoso e Fernanda Vasconcelos em A Vida da Gente
Publicidade

No dia 26 de setembro de 2011, estreava no horário das seis da Globo a novela A Vida da Gente. A trama marcou a estreia da roteirista Lícia Manzo como novelista, após anos como colaboradora de novelas e redatora de séries e programas de humor. A trama era protagonizada por Marjorie Estiano, Fernanda Vasconcellos e Rafael Cardoso.

A Vida da Gente contava a história de Ana (Fernanda Vasconcellos), Manuela (Marjorie Estiano) e Rodrigo (Rafael Cardoso). Ana e Manuela são filhas da dominadora Eva (Ana Beatriz Nogueira), que deposita todos os seus sonhos e esperanças na carreira de Ana como tenista, enquanto tem um certo desprezo por Manuela, que tem uma deficiência na perna. Eva é casada com Jonas (Paulo Betti), o pai de Rodrigo e de Nanda (Maria Eduarda de Carvalho) e, assim, os jovens foram criados como irmãos. Porém, num belo dia, Rodrigo e Ana percebem que são apaixonados um pelo outro e não conseguem mais disfarçar o sentimento.

No entanto, a verdade sobre os sentimentos de Rodrigo e Ana vem à tona num péssimo momento, já que Eva acaba descobrindo que Jonas está tendo um caso com a personal trainer Cris (Regiane Alves). Em meio à crise no casamento de Jonas e Eva, e também ao choque de ambos ao verem que os irmãos de criação estão apaixonados, Rodrigo e Ana sofrem e enfrentam vários obstáculos, sempre com o apoio da doce Manuela. Porém, tempos depois, Ana se descobre grávida de Rodrigo, e Eva convence a filha a ter o bebê no exterior e a não revelar a verdade ao mocinho, para não prejudicar sua carreira como tenista. Ela aceita, Ana e Manuela deixam o país e, meses depois, Júlia nasce. De volta ao Brasil, as duas irmãs decidem viver juntas e não mais se submeter aos desmandos de Eva, mas elas acabam sofrendo um terrível acidente de carro.

Continua depois da publicidade

Depois do acidente, Ana entra em coma profundo, enquanto Manuela sai ilesa. Ela revela a Rodrigo que Júlia é filha dele e, depois de uma reação intempestiva ao que aconteceu, Rodrigo decide assumir a paternidade do bebê. Assim, enquanto Ana dorme e é assistida pelo médico neurologista Lúcio (Thiago Lacerda), Manuela e Rodrigo passam a criar a menina, com apoio de Iná (Nicette Bruno), a sábia avó de Manu. Com a aproximação e a imensa afinidade que sentem, Rodrigo e Manuela acabam se apaixonando, passando a viver como uma família ao lado da pequena Júlia. No entanto, cinco anos depois, Ana finalmente acorda do coma e vê sua vida completamente modificada. Ela encontra sua irmã casada com o amor de sua vida e criando sua filha, e se sente perdida e sem um lugar nesta nova realidade. O retorno de Ana provoca, também, reviravoltas nos sentimentos de Rodrigo e Manu, que não sabem mais como viver com a presença dela.

Ana, aos poucos, tenta retomar sua vida, fazendo de tudo para conquistar a pequena Júlia (Jesuela Moro). Ela acaba se envolvendo com Lúcio, seu médico, um homem íntegro que se culpa pela morte de sua esposa, vítima de câncer. Mesmo assim, os sentimentos de Ana por Rodrigo não desaparecem tão facilmente, e a amizade e fraternidade que sempre uniu Ana e Manu ficam muito abaladas.

E foi assim, oferecendo um dos mais complicados triângulos amorosos da teledramaturgia brasileira que Lícia Manzo fez sua estreia no horário das seis com A Vida da Gente. Complicado porque não havia um vértice mais fraco neste triângulo: todas as pessoas envolvidas eram íntegras e corretas, mas se viram como grandes vítimas do destino. Ana e Manu foram vítimas das circunstâncias da vida, e era muito difícil tomar partido de alguma delas. Até houve torcida entre o público da novela, divididos em “team Manu” e “team Ana”, mas a verdade é que ambas mereciam ser felizes e retomar a amizade que sempre as uniu. Ana e Rodrigo até retomam o relacionamento no decorrer da obra, mas, no fim, o amor construído entre Rodrigo e Manu fala mais alto e os dois retomam o casamento, enquanto Ana termina a trama feliz nos braços de Lúcio.

Com A Vida da Gente, Lícia Manzo deixou forte seu estilo de dramaturgia, totalmente calcado em dramas humanos e conflitos psicológicos. Além da história central, A Vida da Gente trazia várias tramas paralelas com a mesma proposta de fazer uma crônica cotidiana, sem vilões e nem viradas rocambolescas. Entre elas, a história de Vitória (Gisele Froes), a exigente treinadora de Ana, que abre mão de sua vida pessoal para se dedicar à carreira. Seu ex-marido, Marcos (Ângelo Antonio), acaba se envolvendo com Dora (Malu Galli), mas esta acaba percebendo que Marcos é sonhador demais e a relação entre eles fica difícil. Há também a história de Alice (Sthefany Brito), filha adotiva de Suzana (Daniela Escobar) e Cícero (Marcello Airoldi), que luta para conhecer seus pais biológicos, mas se decepciona quando descobre que foi abandonada por Vitória. E ainda, a divertida Moema (Claudia Mello), que passa a vida se dedicando ao marido acamado e ignorando as investidas de seu Wilson (Luiz Serra). No entanto, quando o marido finalmente morre, é Wilson quem encontra outro amor e fica dividido. Sem esquecer de Nanda, irmã de Rodrigo, a “ovelha negra” da família. Descolada e sincera, a jovem amadurece quando conhece Lui (Marat Descartes).

A Vida da Gente também chamou a atenção por fugir do eixo Rio-São Paulo. A trama se passava no sul do Brasil, nas cidades de Porto Alegre, onde vivia a maioria dos personagens, e também em Gramado, onde ficava a bela casa de Iná. Com tantas qualidades, A Vida da Gente fez uma bela carreira internacional. A trama foi licenciada para mais de 110 países, se tornando a terceira mais exportada da Rede Globo atrás apenas de Avenida Brasil e Caminho das Índias, e ultrapassando sucessos como Da Cor do Pecado, Escrava Isaura e O Clone.

Aclamada pela crítica, a novela não chegou a ser um grande sucesso de público, mas seus resultados tampouco decepcionaram. O primeiro capítulo obteve 23 pontos no Ibope em São Paulo, e seu recorde foi de 27 pontos, registrados nos dias 23 de novembro e 28 de dezembro de 2011. Sua média geral foi de 22 pontos.

A Vida da Gente teve 137 capítulos, e foi escrita por Lícia Manzo e Marcos Bernstein, com colaboração de Álvaro Ramos, Carlos Gregório, Giovana Moraes, Marta Góes, Tati Bernardi, Daniel Adjafre e Dora Castellar. Foi dirigida por Fabrício Mamberti, Teresa Lampreia, Adriano Melo, Luciano Sabino e Leonardo Nogueira, com direção-geral de Jayme Monjardim e Fabrício Mamberti e direção de núcleo de Jayme Monjardim.

Leia também:

Há 28 anos, estreava a novela O Sexo dos Anjos

Reveja um dos muitos momentos tensos entre Manu e Ana em A Vida da Gente:

Publicidade
© 2021 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade