“Vou humanizar o personagem”, garante Guilherme Winter sobre Judas na novela Jesus

Publicado há 2 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Jesus, nova novela da Record, Guilherme Winter será Judas. Considerado o grande traidor de Jesus, na trama ele ganhará contornos pouco maniqueístas pelo menos no que depender de seu intérprete.

Em conversa com o Observatório da Televisão, o ator contou que tentará humanizar o personagem, e mostrar que o motivo da traição não foi apenas uma fraqueza material, algo comum ao ser humano. Durante a entrevista, Winter comentou o motivo de ter recusado o papel como protagonista de Apocalipse. Confira:

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Ana Furtado recebe visita da filha em sessão de quimioterapia

Você pode falar para a gente um pouco sobre Judas, considerado o maior traidor da humanidade?

Pois é. Quero mudar esse negócio aí, e tentar humanizar o personagem ao máximo. Todo mundo tem um equilíbrio entre luz e sombra, e uma fraqueza ao material. Mas ele é um cara completamente devoto, apaixonado por Deus. Pede para seguir Jesus (Dudu Azevedo), e acredita realmente que ele seja o Messias. E acha que o que acontece lá na frente é por uma causa muito maior que uma traição. Ele tinha medo de uma coisa maior, como causar uma revolta na população. E ele tem um fim muito triste, se suicidando de culpa e remorso. Então, creio que se fosse somente pela grana, ele teria se mandado. É um personagem multifacetado e estou muito feliz.

Personagens bíblicos

São dois grandes personagens nessa trajetória. Primeiro Moisés e agora Judas. Você sente que chegou ao ápice da carreira fazendo dois grandes personagens?

Acho que não. Cada personagem é um desafio novo na nossa carreira. O público tem muita expectativa devido ao sucesso que foi o Moisés em Os Dez Mandamentos. Claro que temos nossa responsabilidade porque estamos nos comunicando com o público, independente do personagem. Quando eu estava em Os Dez Mandamentos, escutava cada história, uma coisa incrível. Acredito que com Judas também vá ser assim, e quero tentar mostrar o lado de luz do personagem.

Então você acha que Judas não traiu Jesus por dinheiro?

Acho. A motivação dele era essa revolta popular. Mas Jesus já sabia disso. Lendo a bíblia, existe muito pouca coisa sobre Jesus, mas no Evangelho de Judas, fala que Judas foi o cara que entendeu a mensagem de Jesus, o único dos apóstolos. Jesus o chama e fala ‘cara, você vai ter que fazer isso’, e ele faz. E fica com o nome manchado para sempre.

Como foi sua preparação para o personagem?

Eu li a bíblia, e textos que fui encontrando pela internet, além de um livro que me foi passado por um historiador. O texto da Paula Richard (autora da novela) está muito bom, muito gostoso também.

Teve algum receio de interpretar Judas?

Não, nenhum. Queria muito fazer.

Mesmo depois de fazer um grande mocinho?

Para mim como ator é maravilhoso este desafio. O desafio me motiva.

Você não fez nenhum outro papel na TV depois do Moisés. Você acha que ficou muito marcado?

Eu fiz cinema, precisava dar um OFF. Foram dois anos, eu estava exaurido. Precisava descansar a cabeça um pouco, para agora voltar.

Guilherme Winter comenta convite para viver protagonista de Apocalipse

Você foi escalado para Apocalipse, e acabou não entrando…

Na verdade, eu queria fazer outra coisa. Eu fico muito feliz pelas pessoas lembrarem de Moisés, porque me falam até hoje sobre.

Apocalipse não era a oportunidade de você fazer um personagem contemporâneo?

Era, mas para mim seria mais do mesmo. Não queria fazer o mocinho de novo, e não estava muito feliz. A casa compreendeu isso, me colocou para fazer um vilão em Topíssima. A novela acabou caindo, e me convidaram para fazer Judas.

O sucesso do Moisés te assustou?

Foi surpreendente porque a gente nunca imaginou que poderia transcender tanto. Acho que é bom manter o pé no chão sempre. Até em outros países foi um sucesso por ser uma história universal, que fala muito de amor. Acredito que Jesus vá pelo mesmo caminho. O Moisés me trouxe muita coisa boa. Foram dois anos de muito trabalho, e me abriu muitas portas, até fora, na Argentina. Fiz um filme lá ano passado que está até na Netflix com o nome Desejarás, uma produção com grande elenco, que se passa nos anos 70. Tive convites para novelas na Argentina, mas não consegui.

Você acha que faltava essa mensagem de amor na TV?

Cara, a vida está muito difícil. Só desgraça nos jornais, e notícias tristes. Quando uma novela conta uma história assim ela faz sucesso porque o público se apega a isso. Chegar em casa e relaxar, ver uma história contada bem, tem tudo para ser um sucesso.

Construção do personagem

 O que você pegou de referência para viver Judas? Algum filme?

Não, não vi filme. Li manuscritos, o evangelho de Judas, que é mais alternativo. Como se fosse um lado B da história que não é contada. Não fiquei vendo filmes sobre Judas para não influenciar, e também, porque me apego ao texto que vamos receber.

As pessoas vão estar preparadas para te ver como um grande vilão?

Vou humanizar o personagem, não tentar fazer um vilão. Claro que o personagem precisa ter uma curva. Ele tem uma fraqueza pelo poder, algo natural do ser humano, mas nem por isso ele é um vilão. Tem uma coisa que ele faz ali contra a rainha, e contra o rei que ele acha um frouxo. Ele acha que a rainha é adultera, e ele é um cara devoto e temente a Deus, por isso ele decide seguir Jesus de alma e coração. Ele larga tudo para andar embaixo do sol, e o faz por amor. A mensagem da novela é essa, e estamos precisando disso. Amor, paciência, tolerância. Esse personagem tem sido muito especial, gosto muito de fazer personagem histórico.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio