Vitória Strada comemora primeiro papel na TV em Tempo de Amar, próxima novela das 18h

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em sua estreia em novelas Vitória Strada terá a missão de dar vida à Maria Vitória, protagonista da próxima novela das 18h, Tempo de Amar. A gaúcha de 20 anos, que atuou no filme Real Beleza de Jorge Furtado e fez uma participação em O Filme da Minha Vida, de Selton Mello conversou com nossa reportagem sobre sua personagem, e sobre a parceria com Tony Ramos, que interpretará seu pai na trama. Confira:

Leia também: Tony Ramos elogia Novo Mundo: “É uma grande responsabilidade substituir”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O que mais te encantou na novela e na personagem?

É um retorno à esperança de que o tempo pode não estragar certos sentimentos. O que me encanta na história desse casal é que mesmo com as dificuldades – como por exemplo a viagem de navio a Portugal, que naquela época durava 3 meses – eles prometem que vão se reencontrar e ficar juntos, e têm esperança disso. É uma grande diferença de hoje, que os jovens principalmente querem tudo muito rápido.

Qual é a sensação do seu primeiro trabalho na televisão já ser como protagonista?

A responsabilidade é muito grande, mas estou muito bem cercada por atores incríveis e sendo muito bem preparada, então Bruno Cabrerizo e eu começamos com o pé direito. Estamos muito felizes.

Como foi gravar a primeira cena com o Tony Ramos? Chegou a tremer?

Não. Ainda não gravamos juntos porque começamos a gravar as cenas no convento, depois fomos para o sul, mas no primeiro ensaio que fiz com o Tony Ramos, já era uma cena de briga e quando terminamos, todos ficaram se entreolhando, foi lindo.

Você está lendo alguma coisa que te ajude a compor a personagem?

Eu vou muito pelo texto, porque o texto já nos explica muito sobre o relacionamento da Maria Vitória com a Delfina (Letícia Sabatella), e com o pai. Ela é uma menina muito forte, e de referência pessoal tenho minha mãe que enfrentou muitas coisas durante a vida dela. A Maria Vitória tem esse quê de heroína, que sofre muito, mas se levanta e batalha sempre. Ela foi criada com muita liberdade pelo pai, e com muito amor. Devido a isso ela tem muita energia para batalhar pelo que quer. Ela sonha com coisas maiores que um casamento arranjado, coisa comum na época, então no momento que ela vê o Inácio (Bruno Cabrerizo) nenhum dos dois sabe explicar o que faz com que eles se apaixonem.

Que tipo de problema sua mãe enfrentou?

Tudo o que minha mãe tem e que ela me deu foi com muito esforço. Nós temos uma condição de vida boa, mas maravilhosa comparada a que meus pais tiveram, e tenho eles como exemplo por sempre terem me ensinado o valor das coisas, e me ensinado a sempre manter a cabeça no lugar independentemente de onde estivermos, e lembrar de onde viemos.

Você tem mais irmãos?

Não, só eu.

Você é de onde?

Porto Alegre. Meus pais vieram para o Rio de Janeiro comigo para conhecer tudo, acompanharam as gravações em Bento Gonçalves no Sul, e já voltaram para a casa deles. Estou morando sozinha aqui.

Qual foi a sensação de entrar no Projac pela primeira vez?

Eu tinha entrado a primeira vez aos 12 anos de idade, cheguei a cruzar com o Jayme Monjardim no caminho, e pedi uma foto. Naquela época eu pensava “Um dia quero trabalhar com ele”. Quando soube que ele iria me dirigir em Tempo de Amar, até fiz questão de mostrar a foto para ele. Foi a realização de um sonho. Mas conhecer o Projac como funcionária é diferente. Eu sou muito pé no chão, entrei ali querendo conhecer todo mundo. É incrível como são pequenas engrenagens que fazem o trabalho sair perfeito. Se uma coisa não sair certo, desanda todo o trabalho.

Seu contrato é por obra ou por tempo indeterminado?

Estamos vendo ainda, minha agente e eu. Mas quando eu soube que tinha passado no teste, e seria protagonista, eu disse para o Jayme “Não importa o tipo de contrato, eu quero trabalhar contigo”.

Você sonhava em ser protagonista?

Meu sonho sempre foi ser atriz e acho que a gente tem que sonhar grande, mas quando o Jayme disse que eu teria oportunidade de ser protagonista, foi um certo peso, porque é aquele tipo de sonho que a gente espera que talvez aconteça mais para frente.

Quando você fez o teste já sabia que seria para o papel de protagonista?

Me chamaram para fazer os testes e disseram que era um teste para a novela, mas sem personagem determinado. Fiz o teste, e o Jayme entrou em contato um tempo depois e perguntou “Você pode vir aqui fazer outro teste”? E fui. Quando cheguei ele contou, por isso a bomba foi maior, porque ele perguntou: “Você pode vir para o Rio de Janeiro? Eu quero que você seja minha protagonista”.

A resposta final ele te deu pessoalmente?

Não, o “Sim” final foi por telefone, quase meia noite, depois ele me ligou de novo para contar que o Tony Ramos seria meu pai.

Você está preparada para lidar com as pessoas querendo saber sobre sua vida pessoal?

Talvez essa invasão faça parte do pacote, mas digo sempre que vivo um dia de cada vez, e o que tenho recebido até agora é carinho e atenção. Cada um lida de um jeito com a fama e eu me sinto preparada para responder coisas sobre minha vida pessoal, responder por exemplo que estou solteira, embora muito focada no meu trabalho (risos).

*Entrevista realizada pela jornalista Núcia Ferreira

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais