“O vilão é muito mais interessante de fazer”, afirma Marcello Novaes sobre personagem de O Sétimo Guardião

Publicado há 2 anos
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No dia 12 de novembro a Rede Globo estreia sua próxima novelas das 21h, O Sétimo Guardião. A trama marca a volta do autor Aguinaldo Silva ao realismo fantástico.  Com um elenco de grandes estrelas, um dos principais nomes é, Marcello Novaes. Seu personagem é o Sampaio, um vilão que vai movimentar Serro Azul, cidade que servirá de palco para o desenrolar da história. Em entrevista ao Observatório da Televisão, o ator abriu seu coração e falou sobre envelhecer, expectativas com a novela e, é claro, sobre seu novo personagem. Confira:

Veja também: Leticia Spiller retoma parceria com Aguinaldo Silva e afirma sobre personagem: “Capaz de tudo pela vaidade”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Sampaio vai ser um super vilão. Conte um pouco sobre ele?

“É um personagem ardiloso, falso, egoísta. Tem um pouco de humor que é essa falsidade dele, e usa desse humor para conquistar suas coisas. Mas o personagem é muito interessante. Ele é o braço direito da Valentina. Vem para causar”.

Você já fez de mocinhos a vilões. Qual lado você mais gosta de fazer?

“Eu não sei mais fazer mocinho. É muito mais difícil. O vilão é muito mais interessante de fazer, o desafio é muito maior. É o outro lado da moeda. Eu fiz um vilão que foi divisor de águas na minha carreira que foi o Max, de Avenida Brasil, e agora estou com o desafio de fazer outro vilão, diferente do Max. Ele tem outras características, ele é inteligente, ele trama as coisas, na outra novela quem tramava era Carminha, ele só executava. Sampaio é manipulador, sedutor”.

Adriana Esteves

Você que trabalhou com a Adriana Esteves em Avenida Brasil tem acompanhado a Laureta em Segundo Sol?

“A Adriana é uma atriz diferenciada. Ela merece todos os créditos. Eu estou gostando muito”.

Como você tem construído este personagem?

“É um desafio comigo mesmo. Eu usei como base o próprio texto mesmo, meu estudo foi tudo em cima do que o Aguinaldo me propôs. Ele foi estudado, montado, criado a partir do texto que eu recebi. Nesses capítulos que eu recebi deu para perceber como ele se forma”.

Como tem sido trabalhar com a Letícia Spiller na novela?

“Ela não é só minha amiga, mas é uma atriz maravilhosa, é sempre um privilégio. Esse é mais um trabalho juntos. Os nossos personagens por enquanto não se cruzaram, mas ela é uma pessoa por quem eu tenho uma admiração muito grande. É sempre um prazer enorme, é uma colega de trabalho maravilhosa. Só coisas positivas”.

Idade

O que pra você é envelhecer?

“Estou com  56 anos. Envelhecer é inevitável, a gente tem que ser inteligente, envelhecer com inteligência, existe o velho clichê que a gente envelhece na cabeça. Mas o corpo começa a apresentar coisas que não dá mais para fazer determinados esportes. Eu sempre fui de praticar esportes.

A gente anda mais devagar, mas a gente olha mais ao redor, a gente capta mais as coisas, trabalha mais com você mesmo, existe também a forma como você reage aos problemas. E tem a questão até mesmo a parte física, porque a pele envelhece, as rugas aparecem e tal, mas, eu me sinto muito bem, eu acho que tenho a cabeça bem jovem ainda. Meus filhos moram comigo e acho que eles me passam a juventude. Na novela tem a fonte da juventude e poder de cura, e eu tenho meus filhos que são meus parceiros, meus amores, são incríveis”

* Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio