Thiago Thomé fala sobre o sucesso de Radu, seu personagem em O Outro Lado do Paraíso: “Fiquei muito feliz, abracei e agarrei”

Publicado há 3 anos
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Quando foi escolhido para fazer o Radu, de O Outro Lado do Paraíso, Thiago Thomé só teve um trabalho: ficar sarado. O ator, que faz o segurança de Clara (Bianca Bin), na trama das 21h, chegou discreto, cresceu e, atualmente, tem uma trama própria. O envolvimento dele com a juíza Raquel (Erika Januza) tem até torcida para um final feliz.

Em entrevista ao Observatório da Televisão, Thomé revelou que não esperava esse sucesso todo. Se mostrou muito agradecido pela oportunidade de brilhar em uma novela da Globo, ao lado de nomes como Fernanda Montenegro.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja também: Em entrevista exclusiva, Marieta Severo revela que cenas de Sophia com Estela lhe custam mais emocionalmente

Ainda no bate-papo, ele contou um pouco da vida pessoal, como concilia a rotina de gravações nos Estúdios Globo e a agenda de shows, como cantor. Falou também da relação com a filha e avaliou o empoderamento feminino na atualidade. Confira.

Todo mundo quer um Radu. O que você escuta por aí?

“Todo mundo quer um segurança para chamar de seu e eu fico muito feliz com a repercussão que o personagem está trazendo, a visibilidade e a possibilidade de abrir portas para outros trabalhos no futuro. Eu adoro as mensagens, respondo todo mundo. As mais saidinhas, eu dou uma risadinha e ensaio de lado, mas é muito bom receber o carinho do público. A gente, que trabalha com a arte, precisa disso: amplificar a margem. Quanto mais gente conseguir visualizar a sua arte, mais você consegue ser relevante, então, o meu maior ganho na novela é esse.”

Como é que você se preparou para o personagem?

“Quando a nossa produtora Bruna Bueno informou que eu tinha sido aprovado para o papel, ela falou que eu precisava estar sarado e forte, então eu fui para a academia para chegar nesse corpo que o personagem precisava, gostei e vou manter para a vida.”

A sua mulher sente ciúme das sua cenas com a Erika Januza?

“A cena do beijão, ela preferiu não ver. Mas o Neymar também não vê as da Bruna Marquezine, então, está tudo certo (risos).”

No início, você já sabia que o Radu teria um envolvimento com a juíza?

“Não, na verdade, eu e a Erika (Januza) fomos pegos de surpresa porque a gente recebe as coisas da novela como se fosse um livro. O que eu sabia era que eu seria o motorista da Clara, mas na sinopse não tinha nada sobre esse envolvimento. Quando chegou, a primeira coisa que a gente fez foi se ligar e dizer: ‘Vai rolar um negócio aí’ (risos). Foi uma surpresa muito boa porque a Erika é uma parceira de cena muito boa e a gente está construindo uma amizade muito legal fora daqui.”

Tem o Bruno (Caio Paduan) na parada. O que você acha que vai acontecer?

“Enquanto Thomé, telespectador, acho que ela teria que ficar com o Bruno porque é uma história de 10 anos e tem toda aquela história do preconceito da Nádia (Eliane Giardini). Mas, como Radu, eu quero que ela (Raquel) fique comigo (risos).”

O Radu sabe que a Raquel gosta do Bruno. Você se envolveria numa relação assim?

“Eu não gosto de disputar nem bola, quanto mais uma relação amorosa (risos). Eu gosto de pessoas descomplicadas. A minha mãe fala uma coisa muito sábia em relação ao amor, que é ‘a gente só se apaixona por quem a gente se aproxima’. Então, se você está vendo de fora que essa pessoa é complicada, não vai. Se você começar a conviver, você vai se apaixonar. A paixão vem da convivência. Se você sabe que é complicado, não vai para não correr o risco, entendeu? Depois já era, você acaba aceitando coisas… O Radu não teve isso, foi meio que empurrado para essa situação.”

Você ficou impressionado com essa galera que surgiu torcendo para a Raquel terminar com o Radu?

“A Raquel é uma mulher forte e poderosa, que venceu o preconceito, que veio de uma classe social baixa e conseguiu ser juíza. Como ela é uma mulher forte, ela precisa de um homem forte ao lado dela. O Bruno tem esse lugar da fragilidade, de ser mandado pela mãe e. mesmo sendo delegado, não vê as falcatruas do pai. Esse lugar do personagem faz com que as pessoas torçam por Radu e Raquel mesmo com esse amor tão forte entre o Bruno e ela, que é contado desde o início da novela. Com o empoderamento feminino, já não basta esse lugar do amor que passa por cima da traição. Hoje, a mulher precisa mais de parceria, não só de amor.”

Falando sobre essa questão da representatividade, a Erika Januza interpreta uma juíza e o seu personagem cresceu…

“Eu acho que a gente está num momento mundial da equiparação de tudo. Eu acho que a gente começou a equilibrar a balança, colocar a mulher num lugar de equidade com os homens e colocar o negro num lugar de equidade com os brancos. Isso é falando de uma forma bem clara, sem separatismo. Quando a gente toca nesse assunto, parece uma coisa ruim, mas a verdade é essa. Há de se ter cuidado com isso. Na novela, tem outro casal negro, que é um garimpeiro com uma manicure. Isso é importante para mostrar para crianças como a minha filha, que isso é possível.”

Raquel e Radu formam um casal bem-sucedido, né?

“Sim, o Radu não é um segurança qualquer, ele é segurança de uma mulher milionária. A gente até brinca nos bastidores que ele é um homem especialista em ‘Krav Maga’, que sabe atirar com várias armas. A Clara é uma mulher muito poderosa, então se ele foi escolhido para esse lugar é porque ele é um cara preparado.”

Nós somos filhos de uma geração machista e agora estamos vendo o movimento contrário. Como é que é, para você, passar por esse movimento? 

“Eu acho que o artista tem a missão de curar. Eu ouvi isso de um amigo meu e nunca mais esqueci. Quando uma pessoa está num consultório, o médico fala algo que pode curar uma pessoa. Quando o artista está com a palavra, ele pode dizer algo que vai curar uma multidão. O mesmo acontece com um líder religioso, que pode transformar a vida de uma pessoa. Eu acho que o artista tem essa missão, independentemente do seu posicionamento, ele tem que olhar a sociedade como um todo, ver o que ela precisa e canalizar aquilo para uma mudança. Eu fui criado por três mulheres e Deus me presenteou com uma filha mulher, então não tem como pensar diferente.”

Como é a relação com a sua filha?

“Ah, não tem nada melhor que chegar em casa depois de um dia de trabalho e receber um beijo. Eu tenho uma ligação com ela muito incrível. Ela mora com a mãe e sempre que eu posso ela está comigo.”

Recentemente, um vídeo que você postou fazendo as unhas da sua filha viralizou. Você acha bacana mostrar isso, acha que rola muito preconceito?

“Eu sou filho de educador infantil e eu acho que o futuro do mundo está nas crianças. Se a gente conseguir educar bem as crianças e informá-las da situação mundial mostrando a história do mundo para elas entenderem que não há diferença de raça, não há diferença de cor, não há diferença de gênero, de nada, essas crianças vão se tornar adultos melhores que os de hoje, que são tão cheios de preconceitos e pensamentos ruins. O que eu gosto de fazer com a minha filha é isso: mostrar que ela é linda e que não importa o que o mundo diz para ela. O cabelo dela é lindo e ela pode ser o que quiser enquanto mulher. Eu sou pai de menina e a minha missão é essa.”

Como você é com a sua mulher, é parecido com o Radu?

“Casamento é parceria, é concessão, né? Você cede aqui, o outro cede ali. E depois de uma certa idade, que você já passou por outras relações, vai trazendo experiências para fazer com que a atual dê certo. Eu faço um omelete, sou bom nisso (risos). Só não dá pra dar uma de manicure, mas é isso… parceria total.”

Há um ano, você estava no anonimato e hoje está contracenando com a Fernanda Montenegro. Você pensa nisso?

“Quanto mais eu trabalho, mais sorte eu tenho. Eu sou dessa filosofia, de prospectar o que eu estou fazendo. Quando eu estava no anonimato, eu sempre buscava testes, tocava violão, ligava para cá. Quando você se movimenta para o universo, o universo entende e pensa: ‘Vou ajudar esse cara, ele está pedindo tanto’ (risos). Cada um tem que depositar a fé no que acredita.”

Você esperava esse sucesso?

“Não imaginava que seria dessa forma. Fiquei muito feliz, abracei e agarrei. Quando surgiu uma oportunidade, o diretor Maurinho (Mauro Mendonça filho) veio falar comigo, pediu para eu me dedicar porque tinha muitas possibilidades nesse casal e eu só agradeci, como eu sempre faço.”

Como é que está sendo conciliar a carreira de ator com a de cantor?

“As meninas da produção (da Globo) me ajudam muito. Sempre quando surge uma data de show, eu ligo para elas e peço para me ajudarem, elas ficam loucas (risos). O bom é que aqui a gente grava até sábado, então eu sempre viajo no sábado, e no domingo eu posso tocar porque a gente nunca grava. Eu só preciso estar de volta na segunda cedo. Mas estou conseguindo conciliar as agendas.”

O que você faz para cuidar do corpo?

“Musculação e dieta. Só posso comer as coisas que eu gosto uma vez por semana. Mas eu gostei do resultado, cuidar bem do corpo é bom não só pelo personagem, eu sei que faz bem para a saúde. Comer muita gordura faz mal. Também estou adorando correr. Minha esposa é deste mundo há muito tempo, então é mais fácil.”

* Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio