Simone Gutierrez fala sobre sua personagem em Órfãos da Terra: “Tem um lado cômico”

Publicado há 2 anos
Por Henrique Carlos
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A atriz Simone Gutierrez está voltando para a TV, logo depois da grande transformação física que teve ao perder 46 quilos. Simone estará em Órfãos da Terra, próxima novela das seis da TV Globo. Na trama de Thelma Guedes e Duca Rachid, a atriz será Aline, uma descendente síria e que promete levar os telespectadores do riso ao choro.

Em entrevista ao Observatório da Televisão, Simone Gutierrez falou sobre sua personagem e sobre a transformação que teve em dois anos. Confira:

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também:Após bombardeios, refugiados iniciam primeira travessia em Órfãos da Terra

O que você pode nos contar da sua personagem?

“A Aline é uma personagem completamente diferente de tudo o que eu já fiz. Tem um lado cômico, mas também vai ter uma curva dramática bem legal, em relação a maternidade e adoção. Ela consegue engravidar, mas perde a criança e depois resolve adotar uma refugiada. Eu sou meio que escolhida para ser a mãe dela, porque ela não fala com ninguém, só com a Aline. Mas aí a mãe dela resolve aparecer.”

Como está sendo as pessoas na rua vendo você completamente diferente?

“É que eu falo assim, eu não sou celebridade, eu sou artista. Então eu até gosto dessa coisa das pessoas não reconhecerem, ficarem olhando. Porque você não perde tanto a privacidade. Porque o ideal é você ser bem-sucedida no trabalho e não ser tão conhecida nas ruas, porque aí você tem uma certa liberdade. Mas é legal porque você acaba virando uma referência, pedem ajuda, perguntam como foi, o que eu fiz. E eu até criei um canal que se chama comer, malhar e amar. Agora nós vamos lançar um programa de 21 dias, aí é desde o primeiro dia tudo o que eu fiz para poder chegar na meta que eu queria, que era uma meta saudável. Eu perdi 46kg em dois anos e meio.” 

Processo

E qual foi o seu maior prazer depois desse processo todo?

“O meu maior prazer foi saber que eu não precisaria operar mais do meu cisto, não cresceu mais e não precisaria também operar da tireoide, porque eu morro de medo. Saber que eu trouxe coisas saudáveis para mim, foi bom, porque o que estava ruim eu transformei em positividade. O pior de tudo foi ter que deixar de fazer aula de dança, foi onde eu procurei o médico. Até então nada era ruim para mim, eu estava super bem resolvida fisicamente, fiz sucesso por ser gordinha. A coisa mesmo foi a saúde.”

Como você se preparou psicologicamente para essa mudança toda?

“É como eu falei, não adianta você emagrecer e não ter hábitos saudáveis. Não tratar a comida como inimiga, porque você pode comer, só não pode comer muito. Eu quero uma bolacha recheada, mas você vai comer tudo? Não! Mas você não precisa comer o pacote todo. Eu procurei coaching, métodos de meditação, porque eu sempre emagreci e engordei por conta de personagens. Dessa vez eu falei que seria no meu tempo e sem cobrança.”

Família

Quem é a sua família na novela?

“Sou descendente de sírios. A minha mãe é síria, a Eliane Giardini e o Paulo Beth, meu pai.”

Como foi a preparação?

“Na verdade, a preparação foi mais com as pessoas que são de lá, por causa da língua. A gente é de um núcleo que já está no Brasil. Na família da Aline quem fala um pouco sírio é a Eliane. Porque ela é de lá, casou com uma pessoa de lá. A gente é uma família da Vila Mariana, eu sou casada com um nordestino. A Laila é sobrinha da minha mãe.”

É diferente para você se mostrar de outra forma para o grande público?

“É um desafio encantador, porque como é uma coisa que eu não estou acostumada a fazer, dá aquele medo. Mas é um desafio bom, porque você pensa que agora as pessoas vão te ver de uma outra forma. Porém, o bom do meu personagem é que eu vou fazer rir e emocionar. Tem situações engraçadas na família, o núcleo que eu estou é considerado engraçado, mas tem esses problemas dela, com a adoção e a filha que é um pouco mau caráter.”

Cidade Cenográfica

A maior parte das cenas são em estúdio de cidade cenográfica ou tem alguma coisa em São Paulo?

“A nossa casa é na Vila Mariana, o bairro onde a família mora. Mas a gente grava mais em cidade cenográfica e estúdio, as minhas cenas são mais em estúdio. São poucas coisas externas.”

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais