Sem culinária, Olga Bongiovanni estreia novo programa na RedeTV! e afirma: “estará calçado na prestação de serviço”

Publicado há 2 anos
Por Neuber Fischer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Olga Bongiovanni está de volta a RedeTV!. A veterana apresentadora estreia seu novo programa na segunda-feira (15), às 10h da manhã. Depois de 10 anos fora da emissora e há 6 anos longe da TV em rede nacional, ela aposta em uma revista eletrônica moderna.

Olga, esse é o nome do programa que promete se diferenciar dos demais matinais. Sem culinária, isso mesmo, a atração não vai ter cozinha. Essa missão seguirá a cargo de Edu Guedes, que continua com seu programa, às 11h, após Olga.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“O programa estará bem calçado na prestação de serviço, na notícia, nas informações e dinamismo, com muita agilidade”, garante Bongiovanni sobre o conteúdo da atração matinal da RedeTV! que chega para disputar com Hoje em Dia da RecordTV e as novidades que a Band prepara para as manhãs com Silvia Poppovic.

Ela afirma ainda que está tranquila e que não houve nenhuma imposição de meta de audiência ou faturamento em seu novo contrato, pelo contrário. “Me deram liberdade total para trabalhar, fazer um programa gostoso, que eu me sentisse bem e eu estou me sentindo inteiraça dentro dele”, comemora a apresentadora.

Sucesso comercial

Garantia para se manter no ar, um programa de TV precisa ser bem vendido comercialmente e Olga afirma que sua nova atração vai muito bem nesse sentido. “Não sei exatamente com quantos merchans vamos estrear, mas o programa está bem vendido, teve uma boa aceitação do mercado”.

Olga disse também que por enquanto não vai produzir conteúdo para a plataforma digital da RedeTV!, a Peanuts, mas que gostaria de fazer algo na internet. “Quero ver se eu consigo falar de plantas, mas, novamente, eu preciso estruturar o programa da TV antes, colocar essa roda pra girar e aí eu vou colocar o meu pézinho lá na Peanuts”.

Confira a entrevista exclusiva completa que Olga Bongiovanni concedeu ao Observatório da Televisão:

Como surgiu a oportunidade para voltar a RedeTV? Como foi o convite?

Surpreendente e inesperado. Eu estava morando em Cascavel há 6 anos, trabalhando em uma rádio e TV locais e, de repente, com um telefonema minha vida virou de ponta cabeça. Fui convidada para voltar e ter um programa na RedeTV!. Vim pra SP no final de semana acertar tudo, voltei pra minha cidade, me desliguei dos empregos e, em uma semana, eu estava aqui para começar minha história no canal.

Você passou seis anos longe da TV em rede nacional, como foi essas experiência? Pontos positivos e negativos de voltar às origens na TV Tarobá?

Nenhum ponto negativo, só positividade. Voltei a conviver com pessoas que já trabalhavam comigo no passado, a emissora também cresceu, expandiu, e eu só acrescentei à minha vida profissional um grande aprendizado. E um ponto muito positivo foi ter conseguido voltar a fazer rádio, porque quando eu estava aqui em SP eu tentei, fiz durante um tempo na rádio capital, mas depois a televisão consumia todo meu tempo e eu não tinha mais condições. E isso eu fazia tranquilamente em Cascavel. Foi maravilhoso, voltar a fazer rádio foi muito bom.

O que fez você aceitar o retorno para a RedeTV! após 10 anos?

Desafio, eu gosto de desafios. Há 20 anos, quando eu vim a primeira vez para SP foi um grande desafio. Voltar para Cascavel, voltei também com um projeto, fui convidada para voltar. Seria inaugurado o digital, iríamos trabalhar com cenário virtual, eles queriam um nome conhecido e eu era muito conhecida na cidade e na região, no estado todo. Então, fui também com um objetivo e dei resultados, o resultado que eles queriam. Cumpri o meu papel lá e agora voltei.

No passado algumas notícias deram conta que o fim do seu programa na RedeTV! foi uma decisão sua, alegando que queria explorar novos formatos. Você conseguiu realizar esse projeto?

Totalmente não, porque eu ainda era ignorante com relação à internet. E se a gente olhar pra trás, olha a evolução que tivemos em dez anos. Eu queria fazer alguma coisa, tentei, mas não dava, não ia, era uma coisa que estava emperrada, eu não sabia muito como lidar com aquilo e aí eu aprendi. Agora eu já sei como lidar com esse bicho né, com a novidade o tempo inteiro a uma velocidade incrível. Então, na época eu não consegui realizar na totalidade, comecei a dar meus primeiros passos e aprendi muito, hoje já sei um pouquinho mais.

Nesse retorno para a RedeTV! você fará o mesmo estilo de programa feminino que a consagrou ou será algo diferente? Conte um pouco sobre o formato, quadros.

Quando eu estava aqui, no passado, mesmo quando eu fiz na Band também, o programa tinha culinária, tinha cozinha, neste não terá. Nós temos o Edu [Guedes], grande sucesso, o programa dele é maravilhoso, e não só por causa disso. Eu posso fazer culinária um dia ou outro, mas o programa estará bem calçado na prestação de serviço, na notícia, nas informações e dinamismo, com muita agilidade.

Qual será sua missão na A RedeTV? A emissora impôs alguma meta de audiência, faturamento para seu novo programa? Se sim, qual foi?

Nenhuma, não houve nenhuma imposição. Me deram liberdade total para trabalhar, fazer um programa gostoso, que eu me sentisse bem e eu estou me sentindo inteiraça dentro dele, porque estou participando da feitura dele como um todo, fazendo inclusive externas, que é uma coisa que o programa não tinha no passado tanto quanto vai ter agora.

No Paraná você também fez programa de rádio, não fará mais? Existe alguma proposta de alguma rádio em São Paulo?

A minha prioridade nesse momento é a RedeTV! e o programa aqui. A partir do momento que ele se estabelecer, se consolidar e eu sentir que tenho tempo na minha agenda, aí eu vou pensar em que porta eu vou bater, mas eu não tenho nenhum problema em chegar lá na porta, bater e dizer: ‘Estão precisando de alguém ai pra fazer rádio?’. E aí existe até a possibilidade, com a tecnologia que a gente tem hoje, de fazer algum programa em Cascavel, porque hoje a tecnologia permite isso. Talvez eu volte a fazer de dentro da minha casa mesmo um programa de rádio, tem várias rádios na minha cidade, mas isso é um segundo passo.

A RedeTV tem apostado em conteúdo para plataformas digitais, você também vai fazer algo para esse projeto da emissora? Algo como a Casa da Olga que você fez no UOL?

Olha, a Casa da Olga é um pouquinho mais elaborada, demanda mais tempo e produção, mas a gente quer entrar no digital. Quero ver se eu consigo falar de plantas, mas, novamente, eu preciso estruturar o programa da TV antes, colocar essa roda pra girar e aí eu vou colocar o meu pézinho lá na Peanuts [braço de conteúdo digital da RedeTV!] também, com certeza, porque eu estou amando essa possibilidade.

Antes de ir para o Paraná você teve programa na TV Gazeta. Algum tempo depois a Cátia Fonseca deixou o Mulheres e foi para a Band. Seu nome chegou a ser apontado como possível substituta dela, mas quem ficou com a vaga foi Regina Volpato. Você chegou a ser convidada pela TV Gazeta para substituí-la?

Pois você acredita que até hoje eu não sei disso. Me falaram, me ligaram: “Olha, o teu nome está sendo falado aqui”. Ah, legal, estão falando de mim, ótimo, é sempre bom quando falam da gente, principalmente quando falam bem, mas eu estava super bem estabelecida lá e não chegou a acontecer nenhum convite. A Regina Volpato é uma querida, um beijo pra ela também, eu creio que está super bem entregue o programa e vamos tocar a vida.

Os programas femininos são recordistas de merchandising na TV, seu novo programa já está bem vendido comercialmente? Você topa fazer qualquer tipo de merchandising? O que você não aceitaria fazer?

Olha, o merchandising é uma ação tradicional, dá um mega resultado e eu nunca tive problemas com clientes, porque sempre tivemos bons resultados. Por isso eles ficaram comigo cinco anos, foi uma história sempre muito boa. Alguns eu sei que já estão se manifestando, que querem voltar a anunciar comigo, e o pessoal está trabalhando. Não sei exatamente com quantos merchans vamos estrear, mas o programa está bem vendido, teve uma boa aceitação do mercado.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio