Sandy revela que a maternidade ainda a deixa sensível: “Não saberia ser jurada do The Voice Kids”

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sandy foi uma das convidadas do evento de gala que aconteceu na Globo para o lançamento do projeto Caldeirão do Huck Inspiração, onde pessoas que fazem a diferença na sociedade serão homenageadas e terão suas histórias contadas pelo programa. A cantora conversou com o Observatório da Televisão sobre seus projetos futuros. Confira a entrevista:

Como foi sua participação no Caldeirão do Huck Inspiração?

Desta vez eu não tive participação só vim prestigiá-lo. O Luciano (Huck) me convidou pessoalmente e eu adoro apoiar causas bonitas assim.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Existe alguma causa que você apoie fixamente?

Fixamente não. De vez em quando apoio algumas causas: Já fui embaixadora do Ser Diferente é normal por exemplo, e já ajudei algumas instituições fazendo shows beneficentes, só não divulgo muito, mas sempre que dá eu ajudo.

Com a maternidade você ficou com mais vontade de ajudar?

Fiquei mais sensível. Qualquer propaganda que passa na televisão já estou chorando, mas ajudar efetivamente não porque agora tenho ainda menos tempo.

Agora além de mãe, você vai ser tia. Como está lidando com essa novidade?

Estou muito feliz! Era um desejo do meu irmão. Ele e a esposa planejaram isso, e eu fiquei muito feliz por eles. Foi uma noticia maravilhosa pra minha família. Agora o Teozinho vai ter um primo.

Você é madrinha?

Não sei, eles não me chamaram.

Mas se não chamarem vai dar problema em casa?

Não. Imagina, ele já é padrinho do meu filho. Já temos essa relação de irmão, e ele é meu compadre pelo menos de um lado.

Qual a sua maior inspiração?

Tem muita coisa que me inspira mas a arte como um todo é muito inspiradora. Eu me emociono lendo um livro, assistindo a uma peça de teatro, a um balé, a um filme, assim como a natureza, e brincar com meu filho também me inspira. Meu pai é uma figura muito inspiradora na minha vida, e de quem admiro a trajetória e a forma como ele conduziu a carreira dele, com muita força e honestidade.

Vimos recentemente um vídeo de um show seu em que um fã subiu no palco e você se desequilibrou. Você ficou assustada?

Eu levei um susto na hora, mas essa coisa de invasão a palco foi sempre muito comum na minha vida. Só foi um pouco perigoso porque ele puxou forte e eu quase caí, mas tadinho eu fiquei com dó dele, eu fui um pouco ingênua e quis dar a mão e naquela situação de agarrar, segurar pra me ter um pouquinho, ele acabou puxando forte, mas isso é normal.

A tônica do programa é inspiração e bons exemplos, Todo mundo sabe que ao longo da carreira você foi apontada como exemplar. É uma preocupação sua ser um exemplo?

Graças a Deus nunca encarei isso como um peso. Tenho consciência que eu acabo influenciando as pessoas que acompanham o meu trabalho, mas nunca precisei adotar comportamentos artificiais para esse fim ou deixar de fazer algo pra alguém gostar de mim. O público gostou de mim como sou e eu dou muito valor a poder ser eu mesma, ser autentica e de verdade senão nem vale a pena. A vida é muito curta pra brincar de ser personagem.

Você teve convite de estrelar um musical. Como está este projeto?

Eu não sei. Recebi o convite há quase 3 anos e nunca chegamos a começar de fato alguma coisa. Nem sei se o projeto está caminhando sem mim. Já recebi inúmeros convites para musical, mas é muito difícil de encaixar na minha vida porque eu teria que deixar minha carreira de lado pois são meses de preparação e ensaios, e as temporadas em cartaz são muito longas, são finais de semana inteiros e assim fica difícil.

Aparentemente você se vê muito na sua mãe? Vocês se parecem muito.

Eu e ela não vemos tanto isso. Sabemos da nossa semelhança mas não achamos que seja tanto.

Quais são seus novos projetos?

Estou atualmente divulgando o DVD Meu Canto; Comecei a turnê pelo Nordeste e partirei para outras regiões. Ano que vem pensarei em outros projetos musicais.

Você acompanha o The Voice Kids? Gostaria de ser jurada?

Eu não assisto sempre porque fins de semana normalmente estou trabalhando mas acho lindo o programa. As crianças são super talentosas, os jurados também. Eu amo a Ivete, mas eu não queria estar no lugar dela porque é muito difícil, é um papel cruel mais do que com as crianças mas com a gente mesmo por ter que dizer “nãos”, fazer críticas ainda que construtivas. Todos eles têm muito tato pra falar com as crianças mas eu não saberia fazer isso, principalmente com filho pequenininho, eu ainda estou muito sensível.

Sua relação com o público mudou? Você sente a diferença agora em relação à época da dupla?

Sinto bastante diferença. Meu público hoje é composto de 60% de fãs que já acompanhavam a dupla e 40% de fãs que chegaram depois, e isso muda. Esses fãs cresceram, mas eles são muito calorosos e participativos, cantam a plenos pulmões e isso passa uma energia enorme pra gente. Como faço shows em teatros, todo mundo sentadinho, mudou um pouco, porque antes eu fazia shows pra 80 mil pessoas, agora faço show para 2 mil, no máximo 3 mil. As duas experiências são maravilhosas. Esse formato atual preenche quem eu sou como artista hoje em dia, assim como o formato antigo preenchia quem eu era como artista antes.

Você se sente abençoada?

Muito, Só tenho a agradecer. Eu fui sempre fazendo o que me dava vontade, ouvindo meu coração, no processo de olhar pra dentro ao começar um novo projeto e tudo foi dando tão certo que nunca precisei fingir nada. Principalmente agora nessa fase solo, eu não tenho pressão de gravadora pra gravar nada em determinado tempo, tenho mais liberdade. Isso é tudo o que qualquer um pode querer.

Entrevista realizada pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais