Rômulo Arantes Neto entra em Malhação para causar e avisa sobre personagem: “Tem personalidade dúbia”

Publicado há um ano
Por Renan Vieira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O ator Rômulo Arantes Neto volta à franquia Malhação depois de 12 anos, quando estreou na televisão. Dessa vez, ele chega à temporada Toda Forma de Amar e promete ser um personagem importante, já que seu personagem é parte do núcleo central. O Rui tem relação com a protagonista Rita, da atriz Alanis Guillen, que teve uma filha com ele.

O rapaz possui um passado complicado, com o submundo e deu
sumida. Ao reaparecer, ele procura reconquistar a mocinha e quer saber toda a
verdade sobre sua filha. Para ele, não existe caso perdido e se for necessário
fazer o que for possível para conseguir o que quer, ele o fará. Tudo isso foi o
que disse o ator em entrevista ao Observatório da Televisão. Confira.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como rolou esse
convite para você vir trabalhar em Malhação: Toda Forma de Amar?

O convite aconteceu há cerca de dois meses e meio através do
Adriano Melo, que é o diretor da trama com o qual eu já tinha trabalhado antes.
Eu fiz uma participação no último capítulo de uma outra temporada também
dirigida por ele, aceitei este convite e estou muito feliz, pois é uma honra
voltar para a Malhação que foi onde tudo começou na minha carreira.

Vamos falar do Rui e
dessa fama de perigoso dele.

Sendo sincero, estou descobrindo. Ele tem uma personalidade dúbia, é misterioso e quando coloca alguma coisa na cabeça faz de tudo para atingir seu objetivo. Só tenho recebido textos que demonstram esse lado dele, mas estou pronto para tudo. Tenho uma tendência de em todos os meus personagens deixar nas entrelinhas alguns mistérios, afinal as novelas são obras abertas, e ficam muitas possibilidades no ar e com isso você tem vários caminhos para chegar a algum lugar.

O que você sabe da
relação dele com a Rita?

Alguma coisa muito esquisita e conturbada aconteceu no passado entre eles. O Rui é um cara que teve um passado problemático, envolvimento com algum tipo de droga que não sei qual, sei apenas que ele era um heavy user, e que isso culminou no desaparecimento dele, que abandonou o barco e ela fica tensa com a reaparição dele.  E ele ainda descobre que existe uma filha no paranauê, e começa a querer buscar a verdade, porque as informações que são passadas para ele sobre a menina não batem.

Em busca da verdade

A menina foi adotada
por outra família, e ele com um temperamento diferente, talvez tenha uma reação
péssima, não é?

Eu acho que como
ele é um cara sagaz, do submundo, ele tem faro para coisas mentirosas, é muito
esperto, e ele sente que a informação foi entregue para ele não é verdadeira
sobre a morte da filha. Mas também não sabe se a filha é dele, então só vou
descobrir as reações dele junto com todo mundo.

Mas ele gosta da
Rita? Vai atrás dela também?

Ele gosta da Rita!
Até onde eu sei ele gosta muito, e a quer para ele de novo, mas não sei se é um
objetivo muito profundo, verdadeiro, genuíno.

Você estava
acompanhando Malhação?

Confesso que não
estava, mas eu procurei dar uma olhada antes de vir gravar. Na trama tem vários
amigos e fiquei feliz em reencontrá-los. Tato já foi meu pai na novela, Henri
um colega de fora, Júlio Machado também é colega de fora, o filho do Novaes
também, legal vê-lo começando. A galera está trabalhando super bem.

Como é para você voltar
para a Malhação depois de tanto tempo? Você já se sente veterano?

Já tem 12 anos que participei de Malhação, e é muito legal voltar. Eu vejo essa energia deles [novos atores], a animação, e as inseguranças. Início de trabalho sempre dá um medinho, uma insegurança, ainda mais quando se está começando uma história na TV. É muito maneiro estar perto e poder se colocar disponível para ajudar de alguma forma sem querer invadir o espaço ou demonstrar a experiência. Estar de volta para um produto que você esteve há 12 anos, mas em outra perspectiva é bacana.

Insegurança da profissão

A profissão de ator é instável, hoje você pode ter
emprego, e amanhã não. Você já aprendeu a lidar com essa instabilidade?

Eu lido super bem. Eu não tenho medo do amanhã, e tento
fazer muito bem tudo o que faço. Sempre deu certo e vai continuar dando certo,
eu também tenho meu jeito de administrar minha vida financeira e profissional
de uma forma proativa.

O Rui é intenso e quer muito a Rita. O Rômulo tem disso
de brigar pelo que quer?

Demais da conta. Tenho muito objetivo e corro muito atrás.
Eu sou filho de Ogum, oguniado (risos).

Isso no amor também?

Em tudo. Se eu coloco uma coisa na cabeça, eu vou fazer, eu
vou conquistar, e adoro uma aventura também.

Você está entrando na trama com ela no meio do caminho. Você comentou que chegou e não estava acompanhando mas viu algumas coisas. Isso mudou depois que você foi construir o Rui? Talvez essa relação com a Rita que tem um ship muito grande com o Filipe.

Propositalmente ou não eu não dei muita atenção a esses detalhes porque ele é personagem completamente diferenciado, e está rolando essa interação deles ali [Rita e Filipe], o Rui chega com outro registro, então procurei me afastar desses aspectos para o Rui já chegar desencaixado.

Possibilidades na carreira

Ele vai ficar até o final?

Não tenho a menor ideia. Eu acho que o público gostando e os
conflitos sendo bons, aí vale. Para mim tanto faz, porque acredito tenham boas
histórias para serem contadas, seja aqui ou em outros produtos.

Você também é procurado pelo streaming, não é?

Bastante. Preciso ter versatilidade, sou um cara jovem, não
posso ficar acomodado, quero estar em várias frentes.

Muda muito o figurino
do personagem para o que você costuma vestir no dia a dia?

Muda porque gosto de roupa confortável, e as botas do
personagem não são confortáveis. (risos).

O que você estava fazendo quando rolou o
convite para Malhação?

Estava terminando um filme (Depois Dizem Que a Louca Sou
Eu), e gravando a série Filhos da Pátria, que estreia em 08 de outubro.

E você continua
praticando esportes?

Agora eu comecei a jogar tênis para poder colocar energia
para fora, porque eu pratico jiu jitsu, mas tive uma lesão no dedo enquanto
treinava, precisei colocar um ferro no dedo e vou fazer cirurgia para tirar em
breve.

O que você diria para
o Rômulo de 2007 que estreou em Malhação?

Comece a terapia mais cedo (risos). Não mudaria mais nada.

Cuidado com a saúde

O que aliviou com a
terapia?

Ajuda em tudo disposição, saúde mental, preparo para a vida,
te deixa mais inteligente e com mais autoconhecimento. Comecei a fazer tarde,
mesmo tendo passado por muitas coisas na adolescência, como perder meu pai e
meu avô que eram pessoas muito próximas. Eu era aquele tipo de garoto que
achava que podia dar conta de tudo sem conversar com ninguém, e quando eu
soltava, soltava tudo. E hoje também solto tudo no esporte, tanto no surf como
no jiu jitsu.

O que você faz em
Filhos da Pátria?

Um remador chamado Rômulo. Rômulo, o remador, e quis fazer
com esse nome que é uma homenagem ao meu avô que era remador. Eu adorei fazer,
foi a primeira série que fiz aqui dentro.

Como é para você
quando as pessoas se aproximam para falar de seu pai?

Eu recebo superbem. Várias vezes que as pessoas vêm falar
comigo é como se fosse ele mandando a mensagem, porque as pessoas falam sobre
com muito carinho. Todo tipo de gente, de tudo que é estado, para mim é um
prazer ouvir falar dele. Perdi ele quando tinha 13 anos, e não tinha maturidade
para ouvir certas coisas.

Você chegou a tirar o
nome Arantes. Por que tomou essa decisão?

Eu realmente meti na minha cabeça que queria me aprofundar
muito nessa profissão, fazendo uma terapia bioenergética pesada, e tudo o que
me amarrava ao mundo eu queria cortar. Então decidi tirar o Arantes para ficar
só com o Neto, e voltei atrás. Voltei atrás por causa da família, pensei ‘estou
confundindo a cabeça das pessoas, e é o nome da minha família que não tenho
como negar’. Tenho Arantes tatuado no braço em homenagem ao meu pai e meu avô,
então voltei, para honrar meu sangue, a história deles. E minha família de
Pernambuco, me cobrando.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais