“Ninguém é só revoltada ou só fofa”, diz Valentina Herszage sobre Bebeth, de Pega Pega

Publicado há 3 anos
Por Cris Veronez
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Aos 19 anos, Valentina Herszage experimenta as dores e delícias de estrear na TV com uma personagem cheia de nuances. Sucesso em Pega Pega, novela das 19h da Globo, a intérprete da adolescente Bebeth comemora os elogios recebidos do público e da crítica e dá uma parte dos créditos aos colegas veteranos que contracenam com ela.

Em entrevista exclusiva ao Observatório da Televisão, a atriz fala sobre a fase atual da personagem, que sofre com a prisão do pai, interpretado por Mateus Solano, e que deve enfrentar novos problemas familiares nos próximos capítulos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Durante o bate-papo, Valentina comenta também sobre a paixão pelos filmes de Almodóvar e pelo namorado, Ravel Andrade, com o qual diz ter uma relação “leve e muito incrível”. Confira:

Leia também: Fã diz que Arthur Aguiar parece figurante em O Outro Lado do Paraíso e o ator rebate

Como você define o momento atual de sua personagem, em termos de amadurecimento da ansiedade?

Eu acho que a Bebeth amadureceu muito desde o início da história. No início ela estava muito desamparada, se sentindo muito incompreendida e sozinha. Depois, foi conquistando as pessoas e criando relações, o que a fez se sentir mais segura. Ela perdeu a virgindade com o Márcio (Jaffar Bambirra) e eu acho que isso já é um grande passo para o amadurecimento dela. O passo de concretizar esse amor… E agora o pai da Bebeth é preso de novo. Então, vamos ver que sentimentos ruins ela vai voltar a ter a partir deste acontecimento.

Ela estava se dando bem com o Eric, mas pelo visto vai se chatear de novo com ele, né?

Atualmente ele está preso, então é mais uma incompreensão e mais uma inquietude do “por que isso está acontecendo de novo”? E ela sabe que ele foi acusado com falsas provas, então é mais um momento de primeiro entender e sofrer com essa prisão do Eric.

Notícias na web dizem que a verdadeira mãe da Bebeth é a Maria Pia. É verdade? É isso que vai fazer com que Bebeth saia do país, com a orientação de Sabine?

Olha, eu adoraria saber, assim como vocês, mas eu ainda não recebi essa informação.

A Bebeth tem tantas nuances… É difícil organizar a cabeça para interpretá-la?

É difícil. Eu lembro que no início da novela, na preparação com o Eduardo Milewicz e com a Maria Beta Perez, a gente tentou entender algumas dessas nuances e tornar a personagem muitas coisas, porque todos nós somos muitas coisas. Ninguém é só revoltada ou só fofa… E a Bebeth tem muitos lados. Ela tem esse lado adolescente revoltada, tem um lado amoroso, um lado divertido, tem esse lado apaixonado pela cozinha que ela descobriu… Então, a gente tem realmente que estudar isso e eu sempre tento entender esse mundo que existe dentro dela.

Você recebeu elogios do público e da crítica… Como avalia seu trabalho na novela até aqui? Tem alguma coisa que te deixou insatisfeita?

Tenho avaliado bem o meu trabalho. Estou com um elenco muito bom e com uma equipe maravilhosa, então o trabalho no geral está incrível e isso faz a gente caminhar mais e fazer um trabalho melhor. E eu devo muito disso aos meus parceiros de cena, que são incríveis. Estou assistindo a novela e acho que o meu trabalho é melhor por causa dessa troca. Estou muito feliz. A Bebeth é um tesouro pra mim.

Você está namorando o Ravel Andrade, né? Há quanto tempo estão juntos e como se conheceram?

Sim. A gente está junto há seis meses e nos conhecemos através de uma amiga.

Do que você mais se orgulha na relação de vocês?

Acho que da parceria. A gente confia muito um no outro, acompanha o trabalho um do outro e a nossa relação é leve e muito incrível.

Na descrição de sua página no Instagram, está escrito que você é uma “experiência almodóvadoresca”. Pode discorrer um pouco sobre o significado dessa frase para você?

Então, quando eu escrevi essa frase – e eu acho até que ela já perdeu um pouco o sentido – foi porque eu gosto muito de cor e o meu Instagram, até certo ponto, era muito colorido. E também porque eu amo os filmes do Almodóvar. A frase veio a partir daí, dessa utilização das cores, principalmente do vermelho, que é minha cor favorita e que o Almodóvar usa bastante.

Quais são os filmes de Almodóvar que você mais gosta e por quê?

Nossa! Que difícil. Abraços Partidos, Ata-me!, Volver, A pele que habito, Tudo sobre minha mãe… São muitos! Eu amo o Almodóvar. Já vi todos os filmes e é difícil escolher os favoritos.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais