“Não vai ser no fim da novela esse perdão da mãe”, afirma Luisa Arraes sobre a sua personagem em Segundo Sol

Publicado há 2 anos
Por Henrique Carlos
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A atriz Luisa Arraes vive um momento de ascensão na dramaturgia da TV Globo. Agora como a polêmica Manuela em Segundo Sol, Luisa tem dado um show de atuação e recebido elogios da critica e em entrevista ao Observatório da Televisão, ela comentou sobre o futuro da sua personagem e o que acha de estar em sua primeira novela de João Emanuel Carneiro.

Leia também: Laureta descobre que Roberval é traficante de diamantes

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Manu vai entrar o ano em um ciclo bem complicado, não é? Ela vai ser sequestrada, virar refém, vai ver a mãe levando um tiro. Como é que vai ficar a cabeça dela?

Olha, o João Emanuel não poupa história. Ela está entrando numa aventura, ela vira refém, ela volta para casa, ela gosta da família dos sequestradores, então toda hora que você acha que entendeu, vem uma nova coisa e muda a nossa perspectiva de novo. Ela está bem louca.

Parece um pouco até Síndrome de Estocolmo, porque ela volta para a casa dos caras que sequestraram ela.

Se você parar para pensar ela não foi sequestrada, ela foi até a casa deles, ficou lá e ela está gostando de estar lá. Ela não é coagida.

Leia também: “O Roberval é traumatizado”, analisa Fabrício Boliveira sobre seu personagem em Segundo Sol

O que faz ela gostar dessa família?

Ela nunca se identificou com nenhuma família, ela nunca teve um lugar que ela gostasse de ficar e esse é o lugar em que ela mais se identifica. Ela está nessa onda de querer vender drogas, ela quer ajudar nisso e está totalmente sem querer olhar para a independência dela, ali é um lugar onde ninguém reclama que ela usa droga, ela está em um céu.

O pai desde o início é contra a permanência dessa menina lá, até porque ela pode causar um problema enorme e ele já vislumbrando o que pode acontecer, arma toda uma situação para acabar essa relação com ela. Ela cria um afeto por ele e por aquelas pessoas ali, certo?

Ele não gosta dela, nunca gostou. Ele a acha uma confusão, uma maluca, uma pessoa instável e ela é, mas ela está tentando mostrar que pode trabalhar ali para eles. Ela gosta de estar na família de traficantes, ela está gostando deles.

Ela compactua com essa atitude deles de conseguir uma grana, um resgate?

Sim! Depois ela vai ter uma virada de entender que ela está sacaneando as pessoas que ela gosta, mas no primeiro momento para ela não é julgar essa família por vender drogas, pelo contrário, ela gosta.

E o sentimento dela pelo Narciso? O que ela sente de verdade por ele?

Ela não tem muito amor no coração ainda, ela é muito autocentrada, então ela vai para um, vai para outro, os meninos tentam, mas ela não dá muita bola. Ela se envolve com o Narciso pela questão da droga e fica ali atrás deles, mas ela não tem muito amor no coração não.

Leia também: Grávida, Rosa trai Valentim com Ícaro

E nessa virada que tem a coisa dela com essa família, o sequestro, o resgate, a volta, a Luzia tentar defender essa menina ao saber que ela está jurada de morte. Essa vai ser a grande virada dela com a mãe?

Não vai ser no fim da novela esse perdão da mãe. O que é surpreendente porque ela teve toda essa relação com a Luzia e o Ícaro não, a gente achava que a Manoela iria perdoar mais fácil e o João inverteu, quem perdoou mais fácil foi o Ícaro e ela ficou mais arredia.

Essa é sua primeira novela com o João Emanuel? O que você está achando disso?

Sim, é a primeira. Estou achando fantástico, estou apaixonado, porque isso dele não poupar história é muito bom. Eu estava pensando hoje no estúdio, como é legal ter a oportunidade de fazer uma personagem feminina tão cheia de reviravoltas.

E sobre esse momento que a mãe da Manuela vai praticamente dar a vida por ela, como será?

Ela vai literalmente dar a vida, ela vai levar um tiro no lugar da filha e isso dela quase morrer, vai ser bem profundo.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio