José de Abreu fala da relação de Dodô com Remy em Segundo Sol: “Acho que ele pensa que Remy não é seu filho”

Publicado há 3 anos
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Por André Romano

Dando vida ao Dodô de Segundo Sol, o ator José de Abreu analisa seu personagem e fala de sua relação com os filhos. O ator ainda revelou durante a entrevista que nunca pensou em ser ator e que por muito tempo sobreviveu produzindo teatro infantil. Perguntado sobre política, José de Abreu falou abertamente sobre sua relação com o PT e com o ex-presidente Lula.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja também: Que lindeza! Lília Cabral, Letícia Colin e Johnny Massaro fazem leitura de peça em Botafogo

Como surgiu o convite para integrar o elenco de Segundo Sol?

Eu não estava na novela. Eu estou nessa novela desde que eu sai de A Regra do Jogo. De repente dois meses antes, no dia que eu vinha conversar com o Dennis Carvalho, em dezembro, eles me ligaram dizendo que eu era muito novo pro papel, que eu e Herson Capri iriamos sair da novela, que eles tinham optado por atores mais velhos. E me liberaram, e eu fui embora e pediram para voltar e fazer a novela do Aguinaldo. Três dias antes de eu viajar me ligaram de novo e perguntaram como estava a minha vida. Eu não imaginava, eu perguntei: “Que novela que havia pintou?”, eles disseram que o João e o Dennis me queriam de volta.

José de Abreu revelou que foi escalado em cima da hora para Segundo Sol

Eu já estava com uma viagem marcada para dois festivais fora do país, conversamos, eu fui, e voltei em cima da hora para começar as gravações. No dia seguinte eu gravei uma cena de delegacia, sem conhecer ninguém. Chegamos, gravamos e fomos embora. Não conversamos nada. No dia seguinte na piscina do hotel eu cheguei e eles estavam falando sobre a peça deles, sobre trans, empoderamento feminino e a audiência de negros na novela. Outra coisa que aconteceu é que eu me senti sem pai nem mãe, quando eu cheguei eles já estavam há dois meses gravando.

Existe a história de que ele se envolveria com outras mulheres e com novinhas. O que você tem a dizer sobre isso?

A Naná fala em uma cena logo quando eu começo a cobrar dela um comportamento como o Nestor. Ela fala: “Logo você que não pode ver um rabo de saia?”, mas, por enquanto não apareceu nada.

Dodô e Remy vivem em pé e José de Abreu acredita que seu personagem imagina não ser pai legítimo de Remy

Dodô (José de Abreu) e Remy (Vladimir Brichta) de Segundo Sol (Divulgação/TV Globo)

Como você avalia a relação do seu personagem com o Remy?

Tanto a Naná quanto o Remy dizem que eu quebrei o braço dele numa surra, eu digo que não, eu digo que ele fugiu, caiu da escada e quebrou o braço sozinho. Mas tem momentos que o Beto fala, que os dois aprontavam e que eu batia mais no Remy. Eu acho na minha cabeça de ator que ele pensa que o Remy não é seu filho. O Nestor vai preso na ditadura e a Naná fica sozinha quando chega o Dodô, mas ainda não tem o que eu falo é que ele era comunista, guerrilheiro, terrorista, assassino (brinca ele).

José de Abreu abre seu coração e fala sobre política e amizade com o ex-presidente Lula

Em Salvador as pessoas conversavam com você sobre política?

Demais! Salvador é petista. Até o governador está eleito. Muita gente me falou e obviamente que tem muito mais gente que veio falar comigo apoiando a minha posição mesmo os que são contra o PT. Cada um tem o direito de pensar como quer. É óbvio que eu não gosto de fascista nem nazista. Mas se chega uma pessoa que filosoficamente é fascista eu converso numa boa.

Te incomoda quando lhe associam ao PT?

Não, absolutamente. Eu faço política desde que eu tinha 18 anos. É engraçado, antigamente você pegava minha geração inteira; Paulo Betti, Fagundes, Marieta, todo mundo era de esquerda. Teatro era uma coisa de esquerda, a gente foi muito perseguido pela ditadura, pela censura. Eu nunca tive uma posição assim muito partidária de ser petista. Nunca fui em reunião. Eu sou um esquerdista mais aberto. Nunca fui comunista.

Emilio Dantas , Vladimir Brichta , Armando Babaioff , Luis Lobianco , José de Abreu e Arlette Salles em Segundo Sol (Divulgação/ TV Globo)

José de Abreu lançará sua biografia em Agosto

Sua posição política atrapalhou sua carreira em algum momento?

Não. Aqui na Rede Globo não. N aminha vida inteira, foi esse menino de São Paulo que publicou uma carta que ele escreveu para a imprensa é de um baixo nível, e eu nem publicarei no meu livro, que estou publicando uma biografia chamada Abreugrafia agora em agosto pra comemorar 50 anos de carreira. Eu nem publiquei porque foi uma coisa tão idiota. Também fui atacado por uma senhora na praia porque fui brincar com o cachorro dela e ela me xingou de todos os nomes. Teve um episódio de um motoqueiro que passou e me xingou: “Comunista que mora em Paris”, fora isso, nunca. Nem em aeroporto.

Você foi visitar o lula na cadeia?

Não. Nem tenho tanta intimidade com ele. De vez enquando ele liga pra conversar, mas a verdade é que eu nem tenho tanta intimidade com ele. Nunca tive intimidade com ninguém do PT. Eu tive intimidade com o José Dirceu porque ele foi um colega de classe.

Quando o assunto é Rachel Sheherazade, o ator da Rede Globo é bem direto “Não temos nada a ver”

Rachel Sheherazade não tirou o chapéu pra você no Programa Raul Gil. O que você acha disso?

É um prazer não ter o chapéu tirado por alguém como ela. O passado dela não tem nada a ver com o passado meu. As pessoas me mandam essas coisas, mas eu não tenho nada pra falar dela.

José de Abreu (Reprodução)

O ator segue como um dos nomes cotados para a próxima trama de Aguinaldo Silva, O Sétimo Guardião

Você está escalado para a novela do Aguinaldo Silva?

Não dá. Isso é coisa da direção da emissora. Eu já fiz muito Aguinaldo, normalmente quando tem novela dele eu estou lá reservado. Depois eles resolvem se eu faço ou não.

Qual balanço você faz da sua carreira?

Eu só agradeço. Eu nunca tinha pensado em ser ator na minha vida. Eu comecei a fazer teatro antes de ver uma peça. Eu era caipira do interior. Eu nem sabia que um tio meu fez um filme em 1954 e eu vi filmar em Santa Rita do Passa Quatro, onde eu nasci. Eu não tinha noção. De repente me vi numa carreira que eu nem sabia que existia. Quando eu fui morar no Rio Grande do Sul foi difícil. Eu comecei a ter filho, e ninguém ia ver peça adulta, lá eu descobri um nicho que era o teatro infantil. Aprendi a produzir e fazia uma peça infantil e uma adulta e depois passei a produzir super produções.

Thalita Carauta avalia sua personagem em Segundo Sol e revela: “Me inspirei em uma história real”

A atriz Thalita Carauta vem conquistando o público de Segundo Sol na pele de Gorete, uma personagem excêntrica, divertida e cheia de sonhos. Thalita retorna para às novelas após 12 anos. Seu primeiro folhetim na emissora carioca foi em Páginas da Vida, de 2006. “Gorete chega para causar muita confusão”, disse a atriz durante a entrevista. Na história de João Emanuel Carneiro, a personagem de Thalita se apaixona por Clóvis, personagem do ator Luis Lobianco. Ela explica sobre as principais características da personagem, inspirações e sobre seu retorno para o horário nobre da Globo.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio