João Emanuel Carneiro celebra Segundo Sol e diz: “A intenção é mostrar uma Bahia realista”

Publicado há 3 anos
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Autor de grandes sucessos como Avenida Brasil, A Favorita, Cobras e Lagartos, além de questionada A Regra do Jogo, João Emanuel Carneiro está otimista no que se trata em relação a Segundo Sol.

Em entrevista para o site oficial da novela, João Emanuel contou um pouco sobre o que espera de Segundo Sol, além de explicar a história da novela. Para ele, a Bahia será mostrada como ela é, real.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja mais: Relembre as outras novelas de João Emanuel Carneiro, autor de Segundo Sol

Além disso, João explica como será a toada do folhetim, focando nas relações familiares e na vida do núcleo principal, algo que João Emanuel Carneiro sempre faz em suas tramas, tendo dinamismo e criatividade.

“A trama é calcada nas relações pessoais e familiares, no valor da família. Eu acredito muito em histórias de família para escrever novela. A trama vai contar a saga de Luzia, uma mãe buscando se reaproximar dos filhos, que precisou abandonar por diversas circunstâncias. O segundo sol significa a nova chance que ela vai ter para recompor sua vida”, explica João.

“Todos nós podemos ter a oportunidade de um novo começo e somos os protagonistas dessa mudança. A novela vai mostrar isso por meio da trajetória da Luzia e de outros personagens, como o Beto Falcão e o Roberval, cujas famílias também são muito importantes na trama”, comentou ele.

João Emanuel comentou também sobre a questão da ética em suas novelas e filmes. Para ele, Segundo Sol vai reforçar a dubiedade de seus personagens, incluindo aí o protagonista Beto Falcão, feito por Emílio Dantas.

“Essa questão da ética é forte em todos os meus trabalhos. No filme ‘Central do Brasil’, a protagonista escrevia cartas para analfabetos e não postava, tinha essa dubiedade. Em ‘Cobras e Lagartos’, o Foguinho se fazia passar pelo dono da loja em que trabalhava. Tenho vários outros exemplos”, exemplifica João.

“Nessa novela, a mentira da família Falcão é uma falha de caráter, mas vivida dentro de uma situação extrema. Beto vai o tempo todo se chocar internamente com a situação de precisar se esconder. Isso é um problema e um dilema ético fortíssimo na vida dele. Acho que a ambivalência é uma característica da complexidade do ser humano”, fala João.

Sobre as vilãs Karola e Laureta, feitas por Deborah Secco e Adriana Esteves, João afirmou que elas vão passar pelo humor em dado momento: “Elas são amorais, mas bem-humoradas, até um pouco palhaças. As duas se dividem nas maldades, mas a Laureta está sempre à frente, é a mentora dos planos. Karola e Laureta mantêm uma relação de dependência, um pouco simbiótica, se complementam”.

Veja também 

Segundo Sol: Luzia procura Beto para falar sobre gravidez e se surpreende com Karola

Globo reexibe cena de Celebridade em que Maria Clara espanca Laura Cachorra e web surta; veja

Por fim, João diz que mostrará uma novela com a Bahia realista e contemporânea. Mas ele fala que não tem ambições históricas, apenas de entretenimento. “É uma novela que se passa na Bahia, mas que não tem ambições históricas ou documentais. Quero que haja vitalidade, alegria, cor e luz na nossa história. A intenção é mostrar uma Bahia moderna, contemporânea, empreendedora e mais realista”, completa ele.

Segundo Sol vai ao ar diariamente, depois do Jornal Nacional, na Globo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais