Jéssica Ellen conta que Amor de Mãe ainda terá muitos segredos a serem revelados

Publicado há 10 meses
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Amor de Mãe, Jéssica Ellen vive a jovem professora Camila. Nos primeiros capítulos da trama de Manuela Dias, a personagem emocionou tanto pelo discurso que fez para a mãe durante sua colação de grau, como quando cantou para que os alunos de uma escola pública lhe dessem atenção. Em entrevista ao Observatório da Televisão, a atriz falou sobre sua preparação para a personagem, e sobre seu laboratório vivo: o contato com seus professores na vida real. Confira:

Nós conversamos anteriormente
na coletiva de Filhos da Pátria, e
você não contou que estaria em Amor de
Mãe

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Pediram segredo, e eu
mantive. Estou reservada para essa novela desde que terminou Justiça. A Manu
(Manuela Dias) está escrevendo este personagem há alguns anos. Agora finalmente
vamos com tudo.

O que significa Amor de Mãe para você?

Significa um carrossel
de emoções porque essa novela é bem intensa. São muitos acontecimentos. Quando
você acha que descobriu um segredo, vem outro segredo, e tem muitas tramas se
atravessando. Não pode perder um capítulo, senão você perde muita informação.

E sua personagem?

Camila é uma personagem
muito especial, é professora de história do estado, e dá aulas para
adolescentes. Ela tem uma paixão muito forte pela educação, e acredita que
através da educação ela vai conseguir mudar a realidade de seus alunos e com
isso investe todo o tempo e dedicação nisso. Mais para a frente ela vai se
apaixonar e viver um romance. A relação dela com o Danilo, personagem do Chay
Suede, é de muito afeto e troca. Os dois são porto seguro um para o outro. Ela
tem uma relação muito forte com a família, gravo muito com este núcleo e damos
risada o dia inteiro.

Você acha que no decorrer
da novela será revelado sobre quem a abandonou?

Eu não sei, realmente
não sei. Espero que sim.

E essa ligação da
Camila com a Lurdes?

É muito linda. A Lurdes
nunca escondeu que a Camila foi adotada, e ela cresceu tendo uma gratidão
imensa por essa mãe que a adotou ainda bebê. Só gratidão e amor.

E ela se dá bem com
os irmãos?

Super! Tem aquelas implicâncias
bobas de irmãos… A Camila e a Érica são muito amigas, próximas, e o Magno é
uma figura mais paternal por ser o irmão mais velho, mas são super afetuosos um
com o outro.

Como é para você representar a classe
dos professores?

É muito emocionante.
Estou dedicando este personagem a todos os meus professores, em especial à
Sueli Maria, que foi minha professora de história no ginásio, e toda vez que
leio as falas da Camila, eu me lembro muito dela, porque ela era uma professora
que instigava a gente para além daquilo o que a gente tinha como realidade,
numa escola pública, que muitas vezes acontecem dificuldades, como o professor
que não vai, que não recebe como deveria… É uma classe que na minha opinião
deveria ser a mais valorizada do nosso país e infelizmente não é, e representa-los,
é muito emocionante. Toda vez que faço uma cena penso ‘tomara que os
professores gostem’.

E ela vai questionar
muito essa crise que vivemos na educação?

Vai. Camila são várias
emoções na escola.

Como acontece o
envolvimento entre Camila e Danilo?

Eles se conhecem num
samba, trocam uma ideia e começam a namorar. A história do Danilo é que ele é
superprotegido pela mãe, então quando a Amanda termina com ele, ele pela
primeira vez começa a romper essa relação de superproteção com a mãe, começa a
querer sair, descobrir um mundo que ele até então não conhecia, e nessas ele conhece
a Camila. É bem fofa a trama dos dois.

Qual sua expectativa
com a novela?

Estou bem nervosa, porque
nunca fiz novela das nove, e sempre rola aquele medinho, de saber se o público
vai gostar e receber de forma positiva, mas o bastidor é leve, acolher. A gente
se diverte muito e também se emociona porque é uma novela para se ver com a
garrafa d’água do lado e um lencinho de papel.

Como está sendo
gravar nesses novos estúdios?

Uma coisa que é muito
legal no MG4 é que os cenários são fixos, então a casa da Lurdes é realmente a
casa da Lurdes. A gente cria uma relação de intimidade com o espaço. Quando vi
o colégio que a Camila dá aula por exemplo, lembrei muito do colégio em que
estudei (Escola Municipal Joaquim Abílio Borges).

A escola em que a
Camila dá aula não tem uma boa infraestrutura. Ela vai passar por alguma
situação abusiva com alunos?

Ela não vive nenhuma relação abusiva com os alunos até então porque a figura dela na escola é muito transformadora com eles. Até então tem a diretora, dona Eunice, que faz um contraponto com a Camila porque acredita que os alunos não têm futuro, e a Camila chega para reacender essa chama da educação e com os alunos, cria uma relação de muito afeto.

Camila (Jéssica Ellen) em Amor de Mãe (Divulgação/ TV Globo)

Você acredita sobre o
papel social da novela para as pessoas refletirem sobre a situação da educação
no país?

Eu acho fundamental. A
gente que trabalha com comunicação, quando tem oportunidade de falar sobre assuntos
que vão instigar as pessoas, e fazê-las para pensar sobre isso, é uma responsabilidade
grande, mas uma sensação gratificante de poder tocar as pessoas.

Saiu uma pesquisa dizendo
que mais negros estão se formando nas faculdades, e a Camila se forma no
primeiro capítulo. Como é para você representar isso?

Fico muito emocionada, porque me identifico muito com a Camila. Fui a primeira pessoa da minha família a entrar na faculdade. Tem gente que não entende a importância disso. É algo tão simples, mas que significa tanto. Quando eu li a cena estudando o texto, eu chorei horrores, chorei depois assistindo.

Você é formada em
artes cênicas?

Eu fiz dois períodos
de artes cênicas, mas larguei porque precisava trabalhar, e depois me formei em
dança contemporânea.

Você disse que estudou
em uma escola pública. Entrar naquele cenário te traz alguma lembrança?

Muitas. Eu tive professoras
que assim como a Camila que eram inspiradoras, que acreditaram e acreditam que
a educação é um agente transformador. Tenho a sorte de ter muitas Camilas na
minha vida, que disseram ‘vamos embora juntas’. Eu tenho lembranças também, que
eu sempre participava das atividades culturais como semana da poesia, semana da
arte, eu era ativa nisso.

Você chegou a
procurar seus professores agora para estudar para a personagem?

Não precisei procurar
porque eles nunca se afastaram. Tenho eles no Facebook, inclusive tudo o que
sai sobre a novela, mando para eles.

Vai haver algum embate
com a mãe do Danilo por causa da superproteção dela?

Até agora dos
capítulos que recebi, não tem isso. O que acontece é que a ligação entre eles é
curiosa. A Lurdes, mãe da Camila sempre diz ‘minha filha, você só trabalha,
precisa namorar’, e a mãe do Danilo sempre diz ‘meu filho, você só fica em
casa, precisa sair, precisa namorar’. É assim que acontece (risos). É divertido,
pelo menos até os quarenta capítulos que recebi.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais