“Gledson sonha com uma pessoa quente que pegue ele de jeito”, afirma Raphael Ghanem, de A Lei do Amor

Publicado há 4 anos
Por Leandro Lel Lima
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Ele é o grande confidente e parceiro de Luciane em A Lei do Amor. Conquistou não só a confiança da ex-garota de programa como também do público que acompanha a trama das 21h escrita por Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari. Gledson é de bem com a vida e sua sexualidade é aceita por todos na família. O público não o rejeita. Afinal, o humor é o seu grande aliado.

Em entrevista exclusiva ao Observatório da Televisão, o ator Raphael Ghanem fala sobre os desafios de ter um papel de destaque no principal folhetim da Globo e como tem sido a reação do público: Essa semana eu estava no ponto de ônibus e uma senhora me abordou e disse – Você é o filho da Mileide, o Gleydson? Respondi – Isso o Gledson! E ela disse – Nomezinho, né? Gleydson! – Não é Glay é Glé. e ela disse – Ah, não é gay? Puxa, mas parece demais. (risos) Eu tô adorando viver isso, afirma o ator. 

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Raphael também integrou o elenco de Verdades Secretas, Malhação, 220 volts, entre outros projetos na TV e no teatro. No Youtube, o ator mantém um canal de humor.

Confira a entrevista:

O personagem não sofre rejeição do público por conta da sexualidade. Na família, ele se dá bem com todos – irmão, tia e mãe. Como você define a relação dele com a vida?

Gledson vê a vida com poesia, mas também sonha com uma pessoa quente que pegue ele de jeito e o faça conhecer os céus… Ele é curioso e quer desfrutar a vida, ainda virgem, olha para todos com uma mistura de inocência e desejo. Até Luciane já deixou sua sexualidade embaralhada.

Fazer cenas com a Grazi deve ser o máximo. Ela está em um de seus melhores momentos. Como é o dia a dia de vocês em estúdio?

Ela tem sido um presente, abre meu olho para novas possibilidades, me ensina truques de eixo e me passa tudo que sabe sobre o ritmo da Televisão. Nós passamos o dia inteiro dando risadas. Acho que essa é nossa maior conquista, a alegria de estarmos juntos fazendo humor. Sinto gratidão por estar vivendo esse personagem ao lado da Grazi. Ela vê em mim o respeito e me aceita de forma gentil e amorosa.

Dupla tem garantido confusões pela trama (Cesar Alves/TV Globo)

O Gledson vai encontrar um amor, ou você acredita que a história dele está mais ligada aos demais personagens, sem focar em questões pessoais?

Eu acredito que esse amor irá acontecer, as pessoas me param na rua perguntando: “Quem será?”. Sem saber, eu tô vivendo o personagem dia após dia, com a esperança de que um grande amor apareça.

Como está o assédio do público?

Felizmente quente! Estou me divertindo e escutando todos, leio tudo que mandam e me divirto com as dicas amorosas. Essa semana eu estava no ponto de ônibus e uma senhora me abordou e disse – Você é o filho da Mileide, o Gleydson? Respondi – Isso o Gledson! E ela disse – Nomezinho, né? Gleydson! – Não é Glay é Glé. e ela disse – Ah, não é gay? Puxa, mas parece demais. (Risos) Eu tô adorando viver isso.

Quais os desafios de ter um personagem com tanto destaque e ainda calçado no humor?

O desafio é fazer o público em casa dar risada. Essa é minha meta. O tempo da TV é mais dinâmico, por isso conto com o ritmo da cena, com as deixas de cada personagem, com o figurino, conto com os câmeras, com a equipe de edição, com a trilha e claro agradeço profundamente a caracterização e a direção por tanta liberdade. Ainda estou caminhando, mas já estou descobrindo a fórmula, afinal, pretendo fazer humor com muita eficiência na TV. Fazer rir ao vivo não é igual fazer rir em uma filmagem, os tempos são outros e estou aprendendo e entendendo a cada dia. Quando eu recebo o feedback do público meu coração é preenchido por imensa paz e a certeza de que estou no caminho certo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio