“Fui tratada como rainha”, diz Glamour Garcia sobre a Globo ao ganhar Melhores do Ano

Publicado há 9 meses
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O ano de 2019 foi especial para Glamour Garcia. A loira estrelou sua primeira novela A Dona do Pedaço, na Globo e chamou a atenção ao viver um romance adocicado com o confeiteiro Abel, vivido por Pedro Carvalho. O romance entre a transexual e o português tradicionalista caiu nas graças do público, e rende à ela o prêmio de atriz revelação no Melhores do Ano, do Domingão do Faustão.

O Observatório da Televisão, esteve presente na entrega dos troféus, que aconteceu neste domingo (15), e conversou com Glamour, que relatou ainda estar vivendo os resquícios positivos do que a personagem trouxe para sua vida. Embora ela não tenha falado sobre projetos para TV, uma coisa é certeza, o público poderá vê-la no teatro em breve. Confira o bate-papo:

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A gente acompanhou seu trabalho em A Dona do Pedaço. Como é para você ganhar como revelação no Melhores do Ano do Domingão do Faustão?

Eu
nem tenho palavras para descrever o que estou sentindo. É uma alegria imensa,
por ter dividido meu trabalho com as pessoas da melhor forma possível, de ter
me entregado. Deus sabe o presente que foi ser a Britney esse ano. Sou grata a
todos os artistas envolvidos nesse projeto, e grata à Rede Globo que me deu
mais que uma oportunidade. Me abriu não só portas, mas fui tratada como rainha
aqui dentro e agora estou sendo coroada com essa premiação. Ganhar esse prêmio
não contempla apenas minha vaidade, mas toda a minha trajetória, todos os
sonhos que eu tive como atriz. Ser atriz no Brasil é tão complexo, delicado e
difícil. São tantos os empecilhos, os pesadelos para uma mulher artista no
Brasil – não digo só atrizes, mas pintoras, cineastas, cantoras – todas temos
tantos momentos de superação, e acredito que esse seja muito mais que um
momento de superação, e tenho a honra de dividir essa alegria com toda a
população trans do Brasil. Espero que a comunidade LGBT toda se sinta
representada.

Depois
da novela, o que mudou na sua vida? O que espera para fazer em 2020?

Estou querendo terminar 2019, respirar um pouco toda essa repercussão extremamente positiva, todo esse espaço que tenho agora na mídia com o público, que faz com que eu ainda esteja vivendo a Britney, e tudo o que aconteceu nesse projeto. Tenho as minhas prospecções para 2020, de trabalho, tem televisão e cinema, mas o que eu posso afirmar por enquanto é uma temporada no teatro, porque estou com muita saudade e decidi voltar aos palcos. Estou num projeto da Lygia Fagundes Telles, em comemoração aos quase 100 anos de uma das maiores artistas do Brasil e por enquanto é só sobre isso que quero falar: Teatro.

Quais
momentos você acha que foram mais marcantes e que fizeram você levar esse
prêmio?

Eu
acho que são muitos! Agora faço parte da história da teledramaturgia brasileira,
um dos beijos mais lindos e românticos da história da televisão, e acho que
esse momento foi muito especial, repercutiu de uma forma emocionante, linda.
Como o público teve o carinho, a gentileza, e humanidade de entender que o amor
está nas pessoas, nas relações, esse é um grande momento dentro da trajetória da
personagem em si, e obviamente também o episódio que  a Britney conta para o Abel que é trans, acho
que foi o momento extremamente marcante. Levantou uma discussão para toda a sociedade,
sobre direitos e destituição de direitos também.

Interessante
que hoje nesse prêmio temos duas artistas trans…

Eu
acho que antes de mais nada, queria agradecer a todas as artistas trans que
vieram antes de mim, porque essas pessoas abriram espaço para que hoje eu
pudesse estar aqui junto com a Nany People. Só tenho a agradecer na verdade.

Você
virou uma diva, mas você enxerga que existe um pré-conceito ainda?

Até hoje honestamente, caso tenha acontecido não fui informada. Eu nunca recebi nenhuma notícia ou li nada sobre… Eu fui tão extremamente bem aceita que até fiquei impressionada.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais