“Eu tomo remédio contra calvície há vinte anos”, revela Gabriel Braga Nunes

Publicado há 4 anos
Por Redação
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Gabriel Braga Nunes retorna ao vídeo no papel de Thomas Johnson, o grande vilão de ‘Novo Mundo’, a nova novela das seis da TV Globo.

Em uma conversa descontraída, o ator falou um pouco do personagem e da vantagem de ser pai depois dos 40.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Confira o papo:

Personagem

“O personagem chama Thomas, é o vilão da trama. O personagem é muito espirituoso de muita atitude. É o tipo de personagem que faz a conexão entre os outros, que faz as tramas girarem. Então, vai ser um ano bem agitado, 2016 foi muito parado em relação a trabalho. Eu estou trabalhando pela quarta vez com o Vinícius Coimbra, que é um diretor que eu admiro muito. Já é um parceiro desde ‘Insensato Coração’.”

Troca com a nova geração

“Que tem metade da minha idade (risos). Eu estou achando eles excelentes. Eu não tinha ainda contracenado com o Chay (Suede) nem com a Isabelle, e eu estou gostando muito dos dois. Eu tenho mais cenas com a Isabelle e o Chay fica ali fazendo umas ceninhas pra incomodar a gente. A Isabelle é ótima, muito talentosa. O que mais me chama a atenção nela é como ela escuta, a capacidade de ouvir o outro. O que é uma coisa não tão comum quando a gente tem vinte poucos anos.”

Visual

“Eu fiz ‘Liberdade, Liberdade’, que eu já era cabeludo também e aí fui deixando crescer a barba. É um pouco de praxe a gente já ir deixando crescer pra ter material para o próximo trabalho, principalmente quando você tem problema de queda de cabelo e não é tão fácil colocar um aplique.”

Fora Calvície!

“Eu tomo remédio contra calvície há vinte anos. Eu sou o único homem da família que tem cabelo, todos são carecas. Então, por uma questão de genética eu seria careca.”

Visual desleixado

“Tanto faz, são tantos anos nessa profissão que a gente desapega completamente. Mais da metade da minha vida eu não usei o visual que queria.”

Passagem do tempo

“Não sei sobre vaidade, mas sobre o passar do tempo eu preferia que demorasse mais. Às vezes eu penso assim, eu estou com 45 anos, fiz agora, se pudesse ser o primeiro terço e não a metade, eu adoraria. Se daqui pra lá a expectativa de vida do ser humano aumentasse para 150 anos, eu iria achar sensacional.”

2017, um ano frenético

“Tem essa peça ‘Inutilezas’, que eu faço com a Bianca Romaneda, a gente faz há 15 anos, com texto de Manoel de Barros. A gente fez temporada no Rio e em São Paulo no ano passado, esse ano por conta da novela a gente não vai fazer temporada, mas a gente vai vender a peça e fazer apresentações quando der uma brecha.”

Felicidade no olhar

“Estou adorando esse papel. Estou adorando ser pai. Eu demorei a ser pai, depois dos 40, e estou adorando.”

Pai faz tudo

“Sim, faço pacote completo. Sou o pai que gostaria de ser sim. E acho que é porque eu tive filho num momento que eu estava cem por cento tranquilo. Milha filha, Maria, está com dois anos e meio. Falando muito.”

ENTREVISTA REALIZADA PELO JORNALISTA ANDRÉ ROMANO

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais