“Eu a admiro muito”, conta Kiko Mascarenhas sobre atuar com Adriane Galisteu em O Tempo Não Para

Publicado há 2 anos
Por Henrique Carlos
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Após ter atuado ao lado de Taís Araújo e Lázaro Ramos em Mister Brau, o ator Kiko Mascarenhas agora dá vida ao personagem Teófilo, em O Tempo Não Para. Teófilo é uma espécie de “braço direito” de Dom Sabino (Edson Celulari) e também um garanhão. O personagem está flertando com Coronela (Solange Couto), Januza (Bia Montez) e Zelda (Adriane Galisteu). Em entrevista ao Observatório da Televisão, o ator falou sobre os rumos do seu personagem e se quer continuar atuando em novelas. Confira:

Leia também: Aline Dias fala da importância de O Tempo Não Para discutir questões sociais: “Refletir sobre valores”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como está a recepção do público na internet e nas ruas?

O Teófilo é um personagem incrível e a receptividade das pessoas na rua também é incrível. Principalmente com as crianças. Outro dia eu estava saindo na rua e umas crianças me chamaram pelo nome do personagem.. É surpreendente que seja um personagem que também atinge as crianças, mas também entendo o porquê, ele tem características de ser ingênuo. Ele tem uma certa malandragem, mas também essa ingenuidade. Principalmente por ele ser de outra época.

Perca de memória

Tem também o fato de ele ter perdido a memória e o público torcer para que ele recupere as lembranças. Como é isso para você?

Eu já sabia que ele iria perder a memória, mas não sabia se ele iria recuperar. Na medida que vieram os blocos de capítulos, eu apostei de que a memória dele não voltaria na integra, ele tem flashes de memória. Depois eu comecei a perceber que era oportuno, que ele perdia a memória de acordo com o interesse dele. Mas de um tempo para cá, a gente realmente percebe que é uma malandragem dele. Ele perde a memória sim, mas ele usa isso também para a malandragem.

E o casamento dele com a Coronela, porque ela quer ele de qualquer jeito, não é?

Não sabemos ainda, porque o Teófilo já está flertando com outras personagens. Então não sei exatamente como vai ser o caso dos dois, mas ela está bem interessada nele e não vai largar ele tão cedo, porém a Zelda também está.

Malandragem

O Teófilo vai roubar o barão, mas ele sabe que se o barão descobrir vai colocar ele em uma corda sem fim. Como é para você interpretar esse homem tão lúdico e em uma era que a gente está vivendo?

Eu recebi a informação de que ele era desonesto antigamente, em uma cena que eu fiz com o Edson Celulari. Onde mostra eles conversando sobre a amizade deles na infância e aí o Dom Sabino conta para ele que ele sempre foi malandrão, que ele sempre tentou passar ele para trás, mas que nunca foi bom nisso. A partir dessa informação, eu comecei a entender que ele não era tão honesto o quanto eu imaginava. Talvez ele até roubava o Dom Sabino naquela época e a gente não sabe disso. Ele é divertido até, tem a maldade, mas é uma maldade ingênua e quase inconsequente.

Você já tem uma carreira gigante no teatro e na TV. Você coloca o Teófilo como um dos seus personagens mais populares?

Eu acho que não saberia colocar em uma ordem. O que eu acho é que, como a novela é diária e eu venho de séries, que geralmente é exibida vez por semana, a novela já é diária e trás uma visibilidade muito maior para o seu trabalho de ator. Acredito que isso é reflexo dessa constância na TV, mesmo que você não esteja em todos os capítulos, pelo menos três ou quatro vezes por semana, você adentra a casa das pessoas. Então sim, eu colocaria o Teófilo na lista dos mais populares, provavelmente por isso.

Carreira

Sobre a sua experiência em teatro, séries e cinema, que são obras fechadas. O que você está achando de fazer novela e você vai querer fazer novela sempre?

Eu não tenha essa questão com o produto, todos esses veículos me interessam. Mas eu adoraria fazer outros personagens em outros registros. Porque o Teófilo vem de um registro cômico, que vem me acompanhando dentro da TV e no cinema, já há algum tempo. Eu como ator tenho a ambição de ter outras oportunidades que não dentro do humor. Não que eu não goste do humor, pelo contrário, eu me divirto horrores fazendo humor e sei que ele é importante.

Como é que está sendo essa sua troca com a Adriane Galisteu?

Eu já tinha visto a Adriane fazendo teatro, há muitos anos atrás. Ela é conhecida pelo grande público fazendo TV, mas é uma mulher que veio do teatro. É uma atriz que se formou, que tem experiência no teatro e a gente vê isso em cena na novela, ela está sempre muito preparada. Não tem jeito, o teatro sempre vai ser o lugar de preparação do ator, não tenho nada contra quem passa pelo teatro e se desenvolve dentro da TV, mas o teatro prepara para a vida inteira. A Adriane tem essa qualidade, ela está pronta e está jogando muito bem. Eu a admiro muito, porque ela é muito versátil, ela apresenta e atua.

Nova geração

Como é para você que já tem uma grande experiência, atuar com essa nova geração?

É incrível! A minha profissão me proporciona uma coisa incrível, que é contracenar com atores como Milton Gonçalves, Cristiane Torloni, Edson Celulari e tantos ali dentro que são mais experientes do que eu. Atores que tem uma carreira sólida e isso é sensacional. E também me proporciona estar vendo o início de muitos. Mas esse elenco especificamente falando, é muito especial, eu assisto os capítulos e acho todo mundo tão talentoso. Você conhece pessoalmente esses atores jovens e eles são muito diferentes dos personagens que eles fazem. Então me surpreende muito ver as escolhas artísticas deles, eles já fazem escolhas firmes e seguras. Eu acho que eu não tinha metade da segurança deles na idade deles, eu acho isso incrível.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio