“Espero que a novela mude a cabeça fechada das pessoas”, diz Donatha Augusto, dançarino drag queen em Malhação

Publicado há 3 anos
Por Cris Veronez
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A dança e a jovem Maria Alice (Alice Milagres): essas são as duas paixões que permeiam a vida do estudante Leandro, interpretado por Dhonata Augusto, 21, em Malhação – Vidas Brasileiras.

Malhação: Filho de Rafael surge e atrapalha encontro do pai com Gabriela

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Por subir aos palcos vestido de drag queen em suas apresentações como dançarino, o jovem acabou sendo vítima de preconceito por parte de alguns colegas e também do pai. Todos eles, no entanto, reviram suas opiniões e se retrataram com o jovem.

Dançarino que sofre preconceito em Malhação, Dhonata Augusto revela que enfrentou o mesmo por querer ser ator

Na vida amorosa, o relacionamento que ele deseja ter com Maria Alice ainda é incerto. O ator, no entanto, torce para que a adolescente esqueça Alex (Daniel Rangel) de uma vez por todas e fique com Leandro.

“Não posso falar o que vai acontecer, mas eu estou torcendo pelo casal. Eles são tão fofos juntos”, disse o ator, em entrevista ao Observatório da Televisão.

Confira o bate-papo:

O Leandro é de fato apaixonado pela Maria Alice ou o que ele gosta mesmo é da conquista?

Eu sinto que ele gosta mesmo dela, está sempre tentando alguma coisa diferente pra conquistar o coração disputado de Maria Alice.

Você acha que dá certo ficar com uma pessoa quando se é apaixonado (a) por outra? Na sua opinião, um amor pode curar outro?

O amor pode curar tudo. Nos apaixonamos de formas diferentes, pra mim uma pessoa nunca vai ocupar espaço de outra. Uma dica: quer esquecer alguém? Ocupe seu tempo! Vai trabalhar, faça coisas novas, faça novos amigos e deixe as coisas acontecerem.

O pai de Leandro, no início, não incentivou o filho a seguir a carreira na dança, que é o sonho do rapaz. Sua família sempre o apoiou na carreira de ator?

Fui criado pela minha mãe e meu tio. Eles sempre me apoiaram. Uma parte da minha família paterna não acreditou muito no meu sonho, mas eu provei o contrário.

Conta um pouco para a gente sobre a sua vida, sobre sua trajetória na TV, que inclui outras novelas, e sobre como você chegou até Malhação.

Tenho 11 anos de carreira, fiz bastante coisas antes de Malhação. Além de peças teatrais fiz minisséries, filmes e novelas. Meus últimos trabalhos: um filme alemão chamado “Bach in Brazil”, novela das 19h “Totalmente Demais” e a segunda temporada de “Cidade dos homens”.

Você já conhecia o universo da dança? Como é a experiência de interpretar um personagem com essa veia artística?

Antes do teatro eu já dançava em frente à TV imitando o Michael Jackson. Aprendi a dançar sozinho, só observando e reproduzindo os passos que via. Fiquei uns três anos sem dançar e agora tive a oportunidade de voltar e estou amando!

Malhação está discutindo o tema machismo sob diversas perspectivas: relação entre casais, entre professores e alunos e, no seu caso, entre pai e filho. Você acha que sua geração é mais consciente sobre o assunto?

Com certeza. Hoje temos mais acesso às informações. Vejo que nossa geração está debatendo mais sobre o assunto e espero que a novela mude a “cabeça fechada” de muitas pessoas.

Como o público está reagindo nas ruas? Já dá para sentir a repercussão do personagem?

Está incrível. Amo quando as crianças pedem para tirar foto. Ultimamente estão me parando muito na rua pra falar sobre a novela e o feedback da galera está sendo bem positivo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio