Em entrevista Lucas Lucco fala sobre o futuro “Quero continuar fazendo novela e alegrando as pessoas com minha música”

Publicado há 4 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O Observatório da Televisão acompanhou os bastidores das gravações da novela Sol Nascente nos Estúdios Globo. O cantor e ator Lucas Lucco, que entrou na reta final da trama como Daniel contou um pouco sobre seu trabalho, a preparação para o papel e seus planos na música e na dramaturgia. 

Qual a diferença do Uodson, seu personagem em Malhação para o Daniel de Sol Nascente?

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Tudo! Desde o jeito de se vestir até a própria história de vida. O Uodson era um cara muito inocente, com pouco aprendizado e falava tudo errado. O Daniel é professor de veterinária, é um cara mais sério, tímido, não retraído, mas é um cara inteligente, está sempre bem vestido diferente do Uodson que andava só de chinelo, bermuda e regata.

Foi difícil adaptar?

Não. Li o perfil do personagem, vi que ele era um cara que estudou nos melhores colégios, nas melhores faculdades, tem um poder aquisitivo maior, então previ que seria um cara mais educado, com tom de voz mais baixo, porque o Uodson era bem expansivo. Como tive pouco tempo para compor o personagem foi importante ter um feedback dos diretores também, sempre perguntando o que eles acharam e tentando fazer o meu melhor.

Você disse em outras ocasiões que em 2017 gostaria de se dedicar à teledramaturgia, como será isso?

Eu gostaria de poder estudar mais enquanto estou trabalhando, mas a dificuldade maior em fazer cursos de atuação é que eu teria que sair do país para fazê-los, o que seria inviável pra mim porque não consigo ficar parado estudando sem fazer shows. Para aproveitar o tempo eu gostaria mesmo de estudar, gravar ou fazer shows, até porque tenho uma equipe que depende do meu trabalho seja como ator ou como cantor e não posso deixar essas pessoas na mão.

Lucas Lucco em Sol Nascente (Divulgação/ TV Globo)

Na sua primeira cena, seu personagem Daniel chegou montado num cavalo, você anda a cavalo?

Não. Apesar de eu ser do interior de Minas, uma cidade que inclusive tem cavalo na rua, tem carroça e tudo mais, eu nunca cheguei nos lugares a cavalo. Eu adorei a cena porque foi diferente e na internet o pessoal comentou bastante. Eu já havia andado a cavalo mas não em um como esse que parece mais profissa, é super alto, cavalo caro, fiquei meio receoso mas deu certo.

O que você costuma fazer nas horas vagas?

Eu fico em casa, vou treinar e assisto seriados. Eu gosto muito de seriados, até demais pra falar a verdade. Quando pego um pra ver não quero parar mais.

Quais seriados você gosta?

Os que tem sangue eu gosto (risos). Eu já vi Breaking Bad, Narcos, estou vendo Spartacus, que no início achei meio fraco mas depois melhorou bastante, e estou vendo Billions que é uma outra pegada, mais econômica sobre Wall Street. Eu olho a produção, os atores, a fotografia, fico reparando em tudo. Eu assisto a filmes também no cinema principalmente quando estou no Rio de Janeiro, porque tenho uma liberdade maior pra poder sair.

Você tem ideia de quando vai gravar DVD ou CD?

Eu estou no meio de um trabalho musical chamado Ensaios Lucas Lucco, então estou ensaiando em casa, gravo as músicas (que serão 5) e solto uma por semana, inclusive amanhã eu libero a próxima, que será a terceira. Devo fazer parte 2 e parte 3 deste trabalho para em setembro juntar as melhores músicas e gravar um DVD com o público numa cidade que ainda não escolhi A minha primeira música de trabalho de 2017 começa a tocar nas rádios a partir do dia 15.

Você tem 12 milhões de seguidores no Instagram. Você acha que isso ajuda você a conseguir os papéis?

Não. O número de seguidores não tem nada a ver. O que importa é o meu trabalho, o que posso vir a somar numa trama e minha competência dentro do set.

Você chegou onde você queria ou você sente que ainda falta algo para conquistar?

Não. Eu creio que cheguei até mais longe, porque nunca me imaginei no lugar em que estou. Eu olho pra minha vida, para meu pai, minha mãe, minha família toda e todas as pessoas que hoje dependem de mim, e me lembro do tanto que trabalhei. Eu estava contando no Instagram Stories algumas coisas porque as pessoas não sabem por exemplo que eu fui Office boy, que trabalhei como repositor num supermercado, sacolão pra depois ir para o estoque, pizzaiolo, depois como garçom no mesmo restaurante e eu nunca tinha sonhado pra mim tudo o que tem acontecido. Não tenho mais o que pedir, só a agradecer e continuar fazendo novelas, levando alegria para as pessoas com minha música, é só o que espero.

Giovana Lancelloti e Lucas Lucco (Divulgação/ TV Globo)

Todo mundo sabe que trabalho de ator exige mudanças no físico. Como é isso pra você?

Tranquilo. Inclusive tive que dar uma enxugada para este papel em Sol Nascente, porque eu estava mais forte. Se precisarem que eu engorde para um trabalho legal, claro que vou fazer, o que vai ser até bom para poder comer besteiras já que tenho uma alimentação super regrada.

O Fabio Junior há algum tempo assim como você se dividia entre ser ator e cantor e ele abriu mão de ser ator. Se isso acontecesse com você como seria?

Não sei. Eu não pretendo abrir mão, eu gostaria de fazer as duas coisas. Eu me inspirei muito no Fabio Junior, e em outros multi-artistas que também conseguem ser atores e cantores como Daniel, Sérgio Reis, Almir Sater. Eu amo as duas coisas e queria mesmo poder equilibrar a parte musical com a atuação.

Você se espelha no Fabio Junior também na parte sentimental?

Não. A referência que tenho sobre isso são meus pais, casados ha 25 anos. Eu queria muito namorar, casar, ter filhos e permanecer mas hoje em dia é tão difícil ainda mais na cidade grande. No interior, as pessoas ainda tem essa coisa de ficar junto e quando vejo que muitos amigos meus têm pais separados, eu não me vejo tendo pais separados e não vejo criando uma criança separado.

Sua avó é um sucesso no Instagram. Você fica com ciúme dela?

Não. Minha avó é uma figura, nasceu artista por dentro. Eu cresci ao lado dos meus avós e adoro a companhia dela, e essa coisa nela aflorou depois que eu me tornei conhecido, ela criou conta nas redes sociais, daí percebi que ela é mais artista que eu.

Entrevista realizada pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais