Ellen Rocche conta se viveria uma relação como a de sua personagem em O Outro Lado do Paraíso

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em O Outro Lado do Paraíso, Ellen Rocche é Suzy, uma mulher bondosa que acabará se apaixonando pelo médico Samuel, vivo pelo ator Eriberto Leão, sem saber que ele é homossexual. Mesmo revelar sua orientação, ele aceita se casar com Suzy. A atriz conversou com nossa reportagem e revelou que já conheceu mulheres como sua personagem. Confira:

Leia também: Sophia incentiva que Gael agrida Clara em O Outro Lado do Paraíso

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Soubemos que sua personagem vai se apaixonar pelo personagem do Eriberto Leão, que é homossexual. Você viu alguma história assim na vida real?

Sim várias. O Walcyr é maravilhoso porque o texto dele é muito atual e muito presente. Ele levanta temas muito importantes que precisam ser discutidos. A novela pipoca isso. Fiz laboratório, mulheres que eram casadas e descobriram e aceitam a situação. E conheci também homens que se assumiram mas não contaram para as esposas. Tenho amigas que já se apaixonaram por homossexuais.

E você já se apaixonou por um?

Não que eu saiba. Se mentiu, mentiu muito bem.

Essas suas amigas que se apaixonaram, se apaixonaram de verdade? Porque existem mulheres que têm aquele pensamento “Comigo ele vai mudar”. Que tipo de coisa você fala para uma amiga numa hora dessa?

Miga.. Mexer com as coisas do coração é muito difícil. A paixão é cega e o amor vem com o tempo. Estou tão dentro do personagem que acho que amor é aceitação total. Quando você gosta de uma pessoa e convive com ela tranquilamente, se a ama de verdade, você aceita. Você pode até não concordar com essa situação e falar: “Desculpe, essa situação não é para mim”, mas o amor é aceitação. A paixão é louca.

Suzy (Ellen Rocche) e Samuel (Eriberto Leão) de O Outro Lado do Paraíso (Divulgação/TV Globo)

Ela é apaixonada por ele?

Por enquanto sim. Como é uma obra aberta udo pode acontecer. Estamos trabalhando com várias possibilidades.

Se você pudesse escrever essa história, qual final você daria para ela?

Acho que ela seria uma grande amiga do Samuel, curtir a vida juntos talvez.

Você passaria por essa situação de estar casada e aceitar normalmente?

Eu, Ellen não. Acho que as pessoas são livres para ser quem são e quiserem ser. O amor universal que a gente fala é saber dos defeitos e qualidades do outro e aceitá-los mesmo assim. Ou você aceita sem recriminar a pessoa ou não. Eu não teria um relacionamento amoroso de fachada, iria buscar alguém que me amasse inteiramente, mas não sei até que ponto a Suzy aceita. Ela tem necessidade de ter aquele homem, de mostrar para todos que está namorando.

Você acredita em príncipe encantado?

Eu não. Já passei dessa fase (risos). Eu acredito em pessoas reais com defeitos e qualidades. O legal do amor é achar uma pessoa na qual você ache um barato os defeitos.

Você está solteira?

Estou namorando, procuro não expor minha vida pessoal, mas estou muito feliz.

A novela tem esse tema da lei do retorno. Você acredita nisso?

Acredito. Tudo o que a gente faz, volta. A vida é um plantar e colher eterno.

Você tem religião?

Acredito em Deus, acredito em energia, e no amor universal, na força da natureza, e no bem acima de tudo.

*Entrevista feita pela jornalista Núcia Ferreira

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais