“Ela tem um sutil caráter duvidoso”, afirma Cris Vianna sobre sua personagem em O Tempo Não Para

Publicado há 2 anos
Por Henrique Carlos
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Esbanjando uma boa forma aos 41 anos, a atriz, modelo e cantora Cris Vianna, está de volta às novelas da Globo, agora com a personagem Cairu em o Tempo Não Para, nova novela das 19h. Em entrevista com o Observatório da Televisão, a atriz revelou estar empolgada com novo trabalho e também falou sobre a preparação que teve para viver a personagem.

Leia também: Cris Vianna figura lista das mais sexy e arranca suspiros em foto públicada

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Conta para a gente o que mais te seduziu nessa personagem?

Tudo, desde o início ao fim. Na verdade, eu sou uma das congeladas. Sou uma das últimas e para mim está sendo algo muito especial, todo personagem sempre é muito importante na minha vida e trabalhar é o que me move. Essa personagem, a Cairu, é um outro grande presente, porque ela me dá a oportunidade de fazer o que eu ainda não fiz, ela tem um sutil caráter duvidoso, vamos dizer assim. Acho que vai ser divertido.

Qual você acha que vai ser a reação do público?

Eu não sei, acho que a gente ganha esses presentes que de alguma forma dialogam com a vida real e esse autor é extremamente inteligente. É bom esse raciocínio do público às vezes tentar separar o personagem da pessoa jurídica, digamos assim. Acontece de ter aquele personagem que você assiste e acha ele parecido com a pessoa que está interpretando, acontece, eu já vivi isso.

Como foi gravar as cenas da viagem?

Foi intenso. Eu já fiz escravo na televisão e no cinema também, então é um lugar em que eu já caminhei, mas essa é muito diferente, porque eu tenho parceiros, digamos que somos escravos juntos e dialogamos com lugares diferentes. A gente fez muitos exercícios, nós fomos num quilombo no Rio de Janeiro e foi muito especial, nós entramos num lugar que tinha mais de 300 anos. Foi todo um trabalho muito profundo, de como falar, de como se portar e assistimos muitos filmes, envolve muito o emocional.

Leia também: O Tempo Não Para: Entrevista com o diretor artístico Leonardo Nogueira

E como vai ser quando eles se verem livres?

Olha, cada um é de um jeito. Tem uns que não gostam de lidar com aquele mundo novo, tem uns que vão achar o máximo, eu acho que minha personagem vai curtir. O autor escreve muito bem, a gente não tem vontade de mudar uma virgula, tudo cabe na boca.

A gente sabe que a vida de um artista vive entressafras, teve algum momento que você se viu numa ‘geladeira’?

Olha, para ser sincera eu tenho muita gratidão, eu estou numa fase que sou muito grata a tudo. Estou completando 13 anos no Rio de Janeiro e tenho 10 novelas, se eu te disser que não sou grata… Não tem como não ser grata, sou muito abençoada.

Você se preocupa com isso ou vai se deixando levar?

Não, o que me preocupa é que eu ajudo a minha mãe desde sempre, agora eu tenho sobrinhos, a minha irmã e eu quero continuar presente sempre. Eu tenho muita gratidão pelos movimentos que a minha vida vai seguindo profissionalmente, eu vou seguindo passo a passo. Eu fiz muitos testes, muitas personagens me chegaram no caminho do passo a passo e é isso, cada dia tenho que estudar mais e mais.

Você tem essa curiosidade de saber como seria daqui a 100 anos?

Eu não quero nem estar viva nessa época! Eu morro linda com 70, 80. Eu falo que não quero ninguém cuidando de mim não. Eu não tenho medo da morte, eu tenho pavor de perder quem eu amo, esse é um lugar que me desestabiliza.

Leia também: Carol Macedo define sua personagem em O Tempo Não Para: “Uma menina exemplar”

O que você acha da trama da novela?

Eu acho o autor genial, a gente vai lendo os capítulos, eu choro, eu dou risada, é sensacional. Eu estou muito apaixonada e desejo muito que essa novela seja um sucesso, não só por mim, mas é de merecimento, criar uma novela dessa é muito legal.

A sua personagem vai ter algum relacionamento amoroso?

Ainda não me disseram, mas eu espero que sim.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio