“É triste que alguns homens ainda não entendam seu papel na criação dos filhos”, afirma Luellem de Castro, a Talíssia de Malhação

Publicado há 2 anos
Por Cris Veronez
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Luellem de Castro, 21, ainda não tem filhos e nem planeja ter, por enquanto. A falta de experiência pessoal com a maternidade, no entanto, nem de longe fez com que a atriz tivesse um desempenho abaixo do esperado como Talíssia, de Malhação  Vidas BrasileirasNa atual fase da trama, a estudante precisa dar conta da criação da filha pequena, Valentina (Maria Alice Guedes), trabalhar e voltar a estudar.

Ela sofre com o retorno do pai da menina, seu ex-namorado Marquinhos (Miguel Rômulo), que após anos sem dar a mínima para a filha, resolve fazer de tudo para conseguir sua guarda, deixando Talíssia desesperada. “Tenho algumas amigas na mesma situação. É realmente muito triste que alguns homens ainda não entendam o papel deles na criação dos filhos. É desesperador que esse pensamento machista continue se espalhando e repercutindo em pessoas tão jovens”, afirma Luellem ao Observatório da Televisão.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Sophia Abrahão exibe decote ao posar sensual-chique

Segunda quinzena de Talíssia em Malhação

Esta é a segunda quinzena em que a história de Talíssia fica em evidência em Malhação. Em abril, a personagem, que é adepta de uma religião de matriz africana, sofreu com intolerância religiosa. A estudante começou a perceber o preconceito por parte de alguns colegas do colégio, mas contou com o apoio da professora Gabriela (Camila Morgado) para levar aos alunos o conhecimento sobre a religião.

Luellem também chamou a atenção do público por seu talento como cantora, que foi mostrado nas apresentações da banda da novela teen. Seu próximo projeto agora é lançar uma música. “Eu estou para lançar um single. A música se chama Menina Hareboa. É uma dessas composições que começam como brincadeira e depois viram algo mais sério. É um projeto bonito, vai ser bacana. Até o final do ano rola com certeza”, revela.

Leia também: Danilo Mesquita renova visual após brilhar em novela

Confira o bate-papo com Luellem de Castro na íntegra:

Essa é a segunda vez que a Talíssia protagoniza uma quinzena em Malhação. Você já sabia disso ou foi surpresa?

“Eu já sabia. Como é uma obra aberta a gente fica esperando pra ver como vai funcionar, se vai rolar mesmo. Mas já tinham me falado!”

Como está o feedback do público?

“Está sendo incrível. Na primeira quinzena, recebi muitas mensagens de pessoas dizendo que se sentiram mais fortes para assumir a religião para os amigos, para a família. Outras dizendo que tinham preconceito, mas que a história da Talíssia fez elas pesquisarem e entenderem melhor. Nessa quinzena tenho recebido mensagens de muitas meninas dizendo que passam ou passaram exatamente pela mesma coisa. No lugar da Talíssia e no lugar da Valentina também. Espero que até o final essa quinzena também ajude alguém”.

A história da Talíssia agora foca no âmbito familiar. Quando você pensa em família, o que vem na sua cabeça? Que lugar a família ocupa na sua vida?

“Minha família é meu pilar de sustentação. Sempre tive ótimos exemplos. Minha mãe é mineira e mesmo longe ela está sempre conectada com a família dela. Eles torcem, vibram, cuidam. Eu tive muita sorte de ter vindo ao mundo com a família que eu tenho”.

Talíssia

Talíssia é uma menina-mulher muito forte, né? Mulher, preta e mãe solteira, como ela mesma ressalta, nesse mundão preconceituoso e misógino. Que outras características da personagem você pode destacar?

“A Talíssia é humana. Acho que essa é a maior qualidade dela. Humana, inteira sabe? Erra e acerta, se desespera e se reorganiza. Fico muito feliz em poder mostrar uma pessoa possível”.

Já ouvi de muita gente que o Brasil não é um país preconceituoso. O que você diria a essas pessoas?

“Olhem para além da zona de conforto de vocês”.

Você se inspirou em histórias reais para viver o drama de Talíssia, que sofre com as malandragens de Marquinhos? Infelizmente, histórias de pais ausentes (e que ressurgem do nada) é o que não falta, né?

“Tenho algumas amigas na mesma situação. É realmente muito triste que alguns homens ainda não entendam o papel deles na criação dos filhos. É desesperador que esse pensamento machista continue se espalhando e repercutindo em pessoas tão jovens”.

Estou sabendo que o relacionamento de Tali e Vini vai passar por uns perrengues, mas que depois vai acabar em casamento. Já gravaram as cenas da cerimônia? Como vai ser?

“O que posso dizer é que os dois se amam muito, se respeitam muito e vão ser muito felizes”.

Cantora

Você pôde mostrar seu talento como cantora em Malhação. Me conta um pouco sobre sua relação com a música.

“Meu pai é músico, meu irmão também. Minha mãe ama música, sempre ouvimos muito rádio. Eu não sabia que cantava até pouco tempo atrás. Descobri no teatro, fazendo Pineal um ritual cênico. Eu tinha um solo e cantava uma música, que é inclusive a música que eu cantei na primeira cena da novela. É uma relação recente, mas que me anima muito”.

Pelo que vi nas suas redes, você não tem filhos… Tem vontade de ser mãe? É a primeira vez que você interpreta uma mãe?

“É a primeira vez que interpreto uma mãe sim. Nunca tive vontade de ter filhos e admito que continuo sem vontade (risos). Talvez eu ainda seja muito nova para pensar nisso”.

Próximos projetos

Está solteira, namorando, casada, enrolada?

“Eu tenho namorado”.

Quais são seus próximos projetos?

“Eu estou para lançar um single! A música se chama Menina Hareboa. É uma dessas composições que começam como brincadeira e depois viram algo mais sério. É um projeto bonito, vai ser bacana. Até o final do ano rola com certeza”.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio