“Difícil e delicado”, diz Pedro Carvalho sobre seu personagem em O Outro Lado do Paraíso

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O ator português Pedro Carvalho, conhecido no Brasil pelo papel de Miguel, protagonista da novela Escrava Mãe da RecordTV, começará em breve as gravações das cenas de seu personagem em O Outro Lado do Paraíso. Na trama escrita por Walcyr Carrasco, ele será um homem com ares de príncipe encantado que aparece para mudar a vida de Estela (Juliana Caldas). Durante o evento de lançamento da novela, ele conversou com nossa reportagem e revelou seu sentimento em poder fazer parte de uma obra das 21h da Globo. Confira:

Leia também: Médica vai abalar o romance de Bruno e Raquel em O Outro Lado do Paraíso

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como está sendo voltar ao Brasil para gravar uma novela da Globo?

É um privilégio. Terminei Escrava Mãe, fui para Portugal gravar um seriado, e voltei para cá em junho, quando recebi o convite. Uma novela das 21h, escrita pelo Walcyr Carrasco, com a equipe do Mauro Mendonça Filho, e com esse elenco, é um sonho tornado realidade e espero estar a altura. Meu personagem é um presente porque é muito polêmico, misterioso, tem um triangulo amoroso que vai dar o que falar.

Você já começou a gravar?

Não. Estou terminando a preparação essa semana, porque eu entro na segunda fase, à partir do capítulo 34, depois da passagem de tempo, e vou começar a gravar em breve.

Como é entrar numa novela já no ar?

Lá em Portugal assistimos muitas novelas brasileiras, e eu mesmo já assisti muitas novelas do Walcyr. Ver a Fernanda Montenegro, Lima Duarte, Nathália Timberg, Marieta Severo com quem tenho muitas cenas, dá um nervoso. E essa novela vai passar em Portugal também a partir de novembro, então, estou representando os atores portugueses por assim dizer, e não é um personagem qualquer, ele é muito forte. Estou ansioso para começar. Não posso revelar muita coisa, mas para vocês entenderem, é um cara que chega de Portugal, galanteador, muito romântico. A personagem da Juliana Caldas vê nele um príncipe encantado da Disney, e ele chama a atenção das mulheres.

Por que vai dar o que falar?

Porque é um triângulo amoroso entre meu personagem, o personagem da Juliana Caldas, e o personagem do Anderson Di Rizzi. Primeiro, vamos abordar algo que nunca se abordou antes em TV, que é o nanismo, o que é muito importante. Tenho amigos com nanismo e vejo as dificuldades que eles passam, e é uma bandeira que não está levantada, porque o preconceito existe. É interessante o Walcyr ter escrito um cara que se apresenta de forma lúdica, ter uma romance com uma pessoa que ninguém considera normal. Para mim, Pedro, a gente se apaixona por pessoas, independentes das diferenças. É muito interessante se abordar isso nessa história. E não é a toa que o personagem é português, porque a Estela (Juliana Caldas) estudou na Europa e eles acabam tendo formas muito parecidas de pensar.

Pedro, o que você aprendeu em relação ao nanismo que você não sabia?

Então, eu estudei mais e li mais relatos de preconceitos que existem. Tenho conversado muito com a Juliana para estabelecermos uma parceria, e é impressionante como existem preconceitos em torno disso.

Você já se percebeu tendo preconceitos sem perceber?

Não, eu fui educado com uma abertura muito grande. Por exemplo, não se pode usar a palavra ‘anão’, é a mesma coisa de chamar uma pessoa de amarela, preta, branca. Independentemente de como a pessoa é, ela é um ser humano, faz o que quiser, se veste como quiser, e merece respeito. Eu estou muito feliz de fazer parte de uma história, e dar ao público a chance de perceber que está cometendo preconceito sem perceber.

Conversei recentemente com o Ricardo Pereira, e ele sente uma felicidade por mais atores portugueses estarem vindo pra cá…

O Ricardo sente o mesmo que eu. Essa parceria que fazemos entre Brasil e Portugal é muito interessante. A última novela que fiz lá, tinham vários atores brasileiros também. A gente é irmão, desde muitos anos. Estou muito focado nesse trabalho que vou desenvolver, porque é um personagem muito difícil e delicado. Por mais que eu seja o mocinho, devo ter uma composição para não cair no caricato.

Você está preparado para o boom do seu personagem? Geralmente as novelas do Walcyr são muito populares…

Lá em Portugal, assistimos a todas. O meu núcleo é maravilhoso, eu não podia querer mais. Estou muito preparado para aprender com todas as pessoas ali, Marieta Severo, Lima Duarte, Grazi Massafera, Fernanda Montenegro. Muita gente já me perguntou se estou preparado para ser o príncipe da Disney, porque realmente o personagem passa essa imagem. Estou trabalhando muito isso na preparação para ser mais charmoso, porque eu Pedro, sou mais tímido e mais reservado. É legal porque saio da minha zona de conforto.

Pelo que a gente leu, vai existir um embate com a Marieta…

A personagem dela é bem ácida, ainda não tive nenhuma preparação com ela, não tive esse privilégio.

Você namoraria uma pessoa com nanismo?

Claro. A gente se apaixona por pessoas. As diferenças são qualidades. Se eu me apaixonasse, seguiria esse romance.

Você começou aqui no Brasil na novela Escrava Mãe, que fez um grande sucesso na RecordTV. Pra você, qual a importância dessa trama na sua jornada?

Tem uma importância muito grande. Eu trabalhei com uma ótima equipe e fiz amigos para a vida toda, como a Gabi por exemplo. Se você ver minhas redes sociais, a Gabi faz parte do meu presente diariamente. Eu aprendi muito nessa novela, me transformei como pessoa, como ator, foi um projeto incrível, e sou feliz por ter feito algo tão bom, feito com tanta qualidade.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais