Destaque de Novo Mundo, Daniel Rangel descarta rótulo de galã: “Meu foco vai estar sempre em fazer um bom trabalho”

Publicado há 4 anos
Por Cris Veronez
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um dos destaques da novela Novo Mundo, Daniel Rangel conta em entrevista ao Observatório da Televisão sobre esse novo desafio em sua carreira.

A trama é a substituta de Sol Nascente, que enfrenta problemas de audiência, na faixa das 18h. A Globo espera reverter a situação com o folhetim de época.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Confira a entrevista:

Daniel, conta pra gente, do Observatório da Televisão, como foi que você recebeu o convite pra fazer o teste pra novela. O que você sentiu na hora?

Foi uma situação muito curiosa. Eu estava em casa lendo um livro que amo, ‘O Segredo’, que fala sobre energia, lei da atração… E meu celular tocou, era a produtora Marcia Andrade, me convidando pra fazer o teste pro Miguel no dia seguinte. Quando desliguei o celular eu já sabia, senti que ia passar, não sei explicar como, mas talvez a lei da atração saiba… (risos)

– Quando a gente está na escola, aprende muito superficialmente sobre a história do Brasil. Você já conhecia bastante sobre a vida de Dom Miguel ou precisou correr atrás disso? Como foi seu processo de estudo para compor o personagem?

Apesar de sempre ter gostado de história na época da escola, não me recordo de ter conhecido nada sobre a vida de Dom Miguel… Então eu tive que correr muito atrás, li bastante coisa sobre ele, sobre a família real e também sobre esse período em que se passa a novela, início do século XIX. E assim fui tentando desvendar as facetas desse príncipe pra construir um personagem crível, fiel a sua origem, mas também com a minha percepção, minha visão sobre o que ele sentia, como andava, observava o mundo, se relacionava com os outros… E outro fator que sempre ajuda na construção dos meus personagens é o texto, me guio muito pelo que está ali sendo dito pelo meu personagem e sobre o que os outros personagens dizem sobre ele. O texto dos autores Thereza Falcão e Alessandro Marson é brilhante, então facilitou muito!

– Quais são as características mais marcantes do seu personagem?

Acho que a ironia é a maior arma do Miguel, mas ele também é muito observador, inteligente, ambicioso, vaidoso e não gosta de demonstrar fraqueza. Ele se considera muito melhor que o irmão e muito mais capacitado pra ser rei. Por isso, vai infernizar e irritar Dom Pedro de todas as formas possíveis. Sua mãe, Carlota Joaquina, sempre alimentou esses sentimentos no Miguel, estimulando-o desde muito novo a querer ser rei no lugar do irmão, então ele tem uma ligação muito forte com ela. Na verdade acho que o Miguel se vê sozinho no mundo e enxerga a mãe como sua única e fiel companheira.

– Ele vai se envolver amorosamente com alguém na trama?

Até o momento não, mas ele vai ficar de olho nas pretendes de Dom Pedro e vai arriscar em algum momento, afinal, ele quer tudo que o irmão tem. E isso também inclui as mulheres!

– Como é contracenar com seus colegas de núcleo, como a Débora Olivieri, Léo Jaime, Caio Castro, Letícia Colin?

A verdade é que já viramos uma família e estamos juntos desde a preparação que começou em novembro. Desde então, os laços foram ficando cada vez mais fortes. Está sendo um presente, aprendo diariamente com cada um deles. A Débora é uma atriz espetacular e, além disso, uma mãezona mesmo. Conversamos muito sobre a profissão, signos, teatro, temos um carinho enorme um com o outro, assim como Carlota tem pelo Miguel. A diferença é que, na vida, não conspiramos uns contra os outros (risos)! Quando encontrei o Leo, depois de saber que ele seria meu pai na novela, a primeira coisa que disse foi que já era seu fã. Às vezes, quando estamos conversando, me sinto como se estivesse no ‘Papo de Segunda’. As observações e os conselhos do Leo são sempre os melhores! Caio é um ator muito disponível, alto astral, está sempre de bom humor. Entre uma gravação e outra trocarmos ideias sobre várias coisas! Somos tão “irmãos” que, um dia, no camarim, descobrimos que nossas mochilas eram iguais (risos). No dia seguinte, ele chegou com uns broches presos na dele pra gente não confundir e levar a mochila do outro pra casa! A Letícia é uma atriz que eu já era fã antes de contracenar. Agora sou mais ainda! Quando ela chega no set, todo mundo já abre um sorriso… É uma pessoa do bem e uma atriz fantástica, transmite uma energia maravilhosa!

– Você vem do teatro, já fez bastante coisa nos palcos, certo? Essa experiência fez com que você se sentisse mais seguro na televisão?

Sim! Inclusive, quando começou a preparação pra novela, eu tive que conciliar com duas peças: ‘Buscado’, que já estava em cartaz desde maio, e a ‘A Reunificação das Duas Coreias’, que estava ensaiando dentro da Globo no projeto Trupe Cena, organizado pela empresa. Sem dúvidas, acho que o teatro é a grande escola pro ator, é o lugar onde a gente descobre nosso real potencial e também nossos limites. Quando faço teatro gosto de errar muito, errar feio, errar rude, me permito errar e acho isso liberador! Com certeza minha experiência no teatro me deixou mais seguro pra fazer televisão!

– Você já parou pra pensar que, quando a novela for ao ar, você pode começar a ser visto como galã? Esse rótulo te incomodaria?

Não me considero um galã e não curto muito a ideia de rótulos. Mesmo assim, também não tenho nenhuma grande questão quanto a isso porque não vejo como algo pejorativo… O importante é que o meu foco vai estar sempre em fazer um bom trabalho!

– Fala pra gente um pouco sobre a sua trajetória como ator, desde que você resolveu se mudar pro Rio…

Sou de Campos, interior do Rio de Janeiro. Me mudei pro Rio em 2013 porque percebi que precisava expandir meus horizontes pra ir atrás do meus sonhos! Assim que cheguei, me matriculei na CAL. Nunca tinha feito teatro, nem nada parecido antes, mas sabia que precisava começar pelo teatro. Ao longo desses quatro anos, me formei em teatro na CAL, fiz 11 peças e um filme!

– Tem outros trabalhos em vista para depois da novela?

Dia 15 de junho, estreio nos cinemas fazendo o Guilherme no filme ‘Fala Comigo’, do Felipe Sholl, onde fui indicado como melhor ator coadjuvante dentro do Festival do Rio 2016. Também estou em um outro longa com previsão de filmagem pra esse ano. No teatro, estamos planejando voltar com ‘Buscado’ fazendo uma turnê pelo Brasil e uma quarta temporada em Buenos Aires. E, na telinha, após ‘Novo Mundo’, espero voltar ao ar em breve!

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais