Deborah Secco diz que Segundo Sol não polemizará tanto sobre prostituição: “A novela é um drama familiar”

Publicado há 3 anos
Por Leandro Lel Lima
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Longe da TV desde Malhação: Pro Dia Nascer Feliz, em 2016, Deborah Secco está de volta às novelas e em horário nobre na Globo. Sob a direção de Dennis Carvalho, a atriz terá a missão de interpretar a grande vilã de Segundo Sol, Karola, escrita por João Emanuel Carneiro, responsável por Avenida Brasil.

Em entrevista ao Observatório da Televisão, Deborah Secco adiantou detalhes do folhetim que estreia em maio tendo como cenário a Bahia e as suas influências culturais: música, a capoeira, a culinária e a religião.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja também: João Emanuel Carneiro diz que vilã de Adriana Esteves, em Segundo Sol, será uma diaba

Um dos mistérios da trama é a relação entre Laureta (Adriana Esteves) – que fará uma cafetina de luxo – e Karola que podem ser na verdade mãe e filha: “Não sabemos. Tem um terceiro personagem envolvido. Tem uma relação de amor e ódio”. Ao lado de Adriana Esteves, Deborah formará uma dupla do mal que promete infernizar a vida de Beto (Emílio Dantas) e Luzia (Giovanna Antonelli).

Secco também fez mistério sobre o passado de sua personagem, afirmando que não conhece muito sobre a vida da vilã, que pode ser uma garota de programa de luxo: “Não entra muito nesse assunto, não. Não fala. Ela [Karola] diz que já trabalhou, que não quer fazer mais isso”. Confira.

E esse retorno ao horário nobre em uma trama do João Emanuel Carneiro?

É grande vilã da novela. Um grande orgulho. Nunca escondi a admiração que eu tenho pelo João Emanuel Carneiro. Ele é um cara fenomenal, não esconde história. Já temos 18 capítulos na nossa mão e já acontece tudo e muito mais.

Por conta da passagem de tempo, que acontece no décimo capítulo, você passa por uma mudança no visual?

Não vou mudar porque tive que gravar tudo simultâneo. Começa como uma menina, depois vira uma perua rica. Muda a roupa, o corpo…

A Karola é filha da Laureta, personagem da Adriana Esteves?

Não sabemos. É uma coisa que o João ainda não decidiu ainda. Ele não contou nem pra gente. Tem um terceiro personagem envolvido. Tem uma relação de amor e ódio, uma relação familiar. Se odeia, mas não vive sem.

Mas a Laureta possuí grande influência na vida da Karola, não?

A Laureta é a mentora da Karola. A trama passa entre a Luzia, o Beto e a Karola. A Laureta ajuda a Karola acabar com esse triângulo amoroso. E a gente acaba.

Ela tem um passado sofrido…

Ela tem um passado.

Fala de prostituição?

Não entra muito nesse assunto, não. Não fala. Ela [Karola] diz que já trabalhou, que não quer fazer mais isso…Não fala o que…Não sei se ele [autor] vai falar mais pra frente.

A sinopse é cheia de mistérios?

Até pra gente. Ele [João Emanuel] fala que a novela não terá tantas polêmicas. A novela é um drama familiar, puxa muito pra esse lugar.

Ela tem uma grande amor?

A Karola ama o Beto. Ela é louca pelo Beto e pelo Valentim, filho. O Remi [Vladimir Brichita] é o amante, ela usa ele pra chegar no Beto.

E quais são os cuidados que você está tendo por conta do sotaque?

A prosódia é uma coisa muito difícil pra gente. Eu tenho um marido baiano, procuro colocar muitas coisas que eu aprendo com o Hugo. Eles [Globo] pedem um sotaque discreto. ‘Não é filho da Deborah, é filho de Deborah. Amo Beto’. Eu e Giovanna [Antonelli] rimos bastante, a gente se diverte muito. Eu gravei mais com ela até agora. Nossa professora de prosódia só olha pra ver se tá certo…Essas pequenas coisas são bem difíceis. Às vezes, Hugo me vê passando o texto em casa.

E a Darlene de Celebridade passa na sua casa?

Darlene mora na minha casa. Tenho um amor. Vendo a Darlene eu vejo outra pessoa, uma alegria. Nós sofríamos tanto, eu a Juliana Paes.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio