Daniel Rangel descreve relação do casal Marilex em Malhação: “Vai muito além de sexo”

Publicado há 2 anos
Por Greicehelen Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com o fim do seu conturbado envolvimento com as drogas, Alex (Daniel Rangel) está empenhando em descobrir o segredo que anda angustiando a namorada Maria Alice (Alice Milagres) em Malhação: Vidas Brasileiras. O casal, conhecido pelo shipper Marilex, não consegue ter a primeira relação sexual e um suposto abuso pode ser o grande fantasma na vida da moça.

Em um bate-papo com a reportagem do Observatório da Televisão, o ator Daniel Rangel falou sobre os próximos capítulos da novela, relação com os colegas de trabalho, reconhecimento do público e muito mais. Confira:

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Eliana relembra ajuda de primogênito em sua segunda gravidez

Como está a situação do Alex?

Pois é! Ele estava na dúvida e teve a recaída com a Pérola, voltou. Agora ele está 100% com a Maria Alice. Estão felizes e apaixonados. Só que tem a questão da intimidade maior que os dois não conseguem ter. Eles não transam por um mistério da Maria Alice que a gente vai descobrir já já, porque a história dela está chegando. Vai ao ar em setembro, talvez.

Vamos começar a gravar a história dela. E aí que acho que esse mistério vai ser desvendado. A gente vai entender as motivações dela, do por que eles não têm essa intimidade maior e quais são as questões dela. Eu acho que a partir daí eles vão poder ter um namoro sem problema nenhum.

Mistério de Maria Alice

O que você imagina que seja esse mistério?

Eu acho que aconteceu alguma coisa em Barretos que não sabemos. Ela está morando no Rio e não sabemos o que aconteceu lá para ela ter essa barreira com a vida sexual, com o contato maior com o sexo.

O namoro desses personagens flui mais lentamente. Você acha que é diferente dos relacionamentos atuais? É o amor que prevalece entre os dois?

Realmente, as coisas hoje em dia estão muito mais rápidas. Ninguém está querendo perder tempo. Mas, eu sou mais da moda antiga mesmo. Não é só sobre o sexo que os dois têm ou não, mas sobre a cumplicidade e amizade. Eles começaram muito amigos.

Quando ainda namorava a Pérola (Rayssa Bratillieri), ele e a Maria Alice foram criando uma amizade muito grande. Dessa amizade que veio o amor. A relação que eles têm é muito forte, vai muito além de sexo.

Daniel Rangel fala sobre a reação dos fãs diante do namoro de Alex e Maria Alice

Qual a opinião dos fãs sobre o casal Maria Alice e Alex?

A maioria está mais feliz porque o Marilex é muito shippado – assim como o Peromar também é muito shippado. Então assim, no momento estamos ok. Mas sempre tem algum comentariozinho. Eu postei uma foto e tinha fã embaixo botando: ‘saudade do meu Perolex’.

Com quem você quer que o seu personagem fique?

Eu acho que o Alex ama a Maria Alice. Eles vão enfrentar esse problema juntos e vão poder viver esse amor. Mas eu ator, Daniel, posso falar que sou muito sortudo de ter a Raíssa e a Alice. Elas são atrizes incríveis, viraram minhas amigas e gosto muito de trabalhar com as duas.

Como é a relação de vocês fora dos estúdios?

Às vezes saímos daqui direto para o japonês, para um rodízio. Se é folga vamos na praia. Os nossos horários são mais parecidos, então é mais fácil para marcar alguma coisa do que com os nossos amigos que estão fazendo outras coisas.

Alex e o envolvimento com drogas

O Alex sempre foi um cara do bem e, de repente, acabou envolvido em um caso de drogas. Como foi a reação do público nesse momento?

A partir do momento que o Alex foi para um caminho mais torto, a galera ficou meio confusa. Mas eu acho que o legal desse personagem é justamente isso, é mostrar que as pessoas são humanas, erram. Ninguém nasce perfeito. Por mais que ele tenha uma família estruturada, uma mãe incrível, um pai legal que tem uma conversa com ele, irmãos que ele ama, amigos que estão ao seu lado, ele é humano, erra.

Acho legal a gente reforçar que as pessoas erram, mas o que importa é o que elas fazem com esses erros. Se querem consertar, melhorar. E eu acho que o Alex sempre quer melhorar. Ele erra, vê que errou e corre atrás para consertar esse erro, e se tornar uma pessoa melhor.

Identificação com Alex

Você se identifica com o Alex?

Eu me identifico bastante, até com essa coisa dos amigos da escola. Eu tenho muito isso até hoje. Já saí da escola tem seis, sete anos, e eu falo diariamente com amigos que estudaram comigo a minha vida inteira. Eu estudei a minha inteira na mesma escola, desde o primeiro período ao terceiro ano do ensino médio. Então eu criei amizades muito fortes.

São pessoas que, mesmo eu morando no Rio e eles em Campos [dos Goytacazes], vêm me visitar. Eu vou para Campos. E o Alex é esse cara muito comunicativo. Eu também tenho uma relação muito boa com a minha família, graças a Deus. É um cara que está sempre para cima, tentando ajudar todo mundo. Acho que eu sou esse cara também.

Como é morar sozinho no Rio de Janeiro?

É muito louco! Às vezes, eu paro para pensar nas coisas que aconteceram. Eu estava em casa assistindo a série This Is Us, que é maravilhosa e eu choro muito assistindo. E depois de um capítulo que era sobre família, amigos e relação, fiquei chorando muito e olhando para minha casinha, falei: ‘cara, era tudo que eu sempre queria. Era o meu sonho’. Aí eu olhei e a minha realidade hoje era o meu sonho.

Morando sozinho

Os seus pais te visitam? Você consegue se virar bem na cozinha?

Os meus pais vêm todo mês, passam cinco dias aqui. Ultimamente eu não estou tendo tempo (de cozinhar). Estou tendo que, realmente, definir o que faço no meu dia. Mas quando não estava gravando e antes da Malhação tinha um pouquinho mais de tempo, eu gostava de me arriscar. Estava fazendo uns crepes bons. Crepe era a minha especialidade.

Sua mãe prepara seus pratos preferidos quando te visita?

Minha mãe é boa! Ela faz lasanha, uns pratos com camarão. Sempre quando vem ela faz um risoto de camarão, uma massa com camarão porque sabe que eu amo.

Assédio e exposição

Como você está lidando com a exposição e o assédio do público?

Eles são ativos na rede social. Não tem com ler tudo, ainda mais hater. Hater eu não leio mesmo. Eu acho que com o sucesso e o fracasso, se você acreditar em qualquer um dos dois, você vai cair em uma armadilha. Nenhum dos dois é real, é momento. O que está em foco é sempre o nosso trabalho, o trabalho que eu já estava fazendo no Rio. Desde que eu vim para cá há seis anos. Na minha primeira peça, pegando quatro ônibus para ir ensaiar, depois voltar para casa.

Graças a Deus eu estou em um trabalho mais estruturado, tenho uma condição agora melhor. Tem uma pessoa que cuida do meu figurino, uma pessoa que cuida do cenário. Antes, no teatro, eu fazia tudo isso, todas as funções. Inclusive, recebia o dinheiro da bilheteria do público. Então que bom que eu estou em uma empresa estruturada que funcionários para executar cada função, e eu fico focado no meu trabalho de ator.

Trajetória

Você já analisou a trajetória da sua carreira desde que participou da novela Novo Mundo até chegar em Malhação: Vidas Brasileiras?

Acho que Novo Mundo foi um trabalho incrível porque tive a oportunidade de trabalhar com atores que eu já era muito fã. Eu vi uma cena da Letícia Colin e quando encontrei com ela, falei: ‘é uma aula te assistir’. Novo Mundo foi o meu primeiro papel, antes eu tinha feito duas participações muito pequenas. E eu tenho oportunidade de trabalhar com essas pessoas que, realmente, são exemplos para mim é incrível.

Era uma direção cuidadosa. O Vinicius Coimbra é um gentleman. Um texto maravilhoso da Tereza e do Alessandro. Acho que me ajudou muito a chegar aqui, talvez, com um pouco mais de segurança e um pouco mais de é no chão.

Saúde

Como você cuida da saúde? Pratica algum esporte, vai à academia?

Eu gosto de pedalar. Academia eu não sou muito fã, mas vou uma vez na semana, duas ou três quando dá (riso). Eu gosto de pegar a bike, pedalar na orla, dar um mergulho.

Participando de uma novela teen é normal que você receba elogios nas redes sociais e nas ruas. Você se acha um rapaz bonito?

Eu não sei (risos). Uns acham, outros não. Isso que é o legal! Imagina se todo mundo tem a mesma opinião da gente, que chato seria.

Quando o Alex enfrentou problemas por causa das drogas, você recebeu mensagens de jovens que se identificaram com a história?

Com certeza! Principalmente gente que botou boa noite, cinderela. Muita gente comentou que estava na balada e, de repente, acordou no outro dia na casa de alguém.

Público adolescente

Como é abordar temas como esse das drogas para um público tão jovem?

Eu acho que temos uma responsabilidade grande de conscientizar essa galera. A gente acaba virando referência para eles, que são mais novos que a gente ou alguns na nossa idade. Mas a maioria, realmente, são pessoas mais novas e estão na idade de construir caráter, valores e o que vão fazer da vida.

Então, temos que ter muita responsabilidade na hora de tratar desses temas e, principalmente, dessa receptividade. Porque, querendo ou não, eles acabam vendo a gente como um canal. Apesar de estarmos aqui representando um papel, eu representando o Alex, eles não têm como falar com o Alex. Então eles vão procurar a pessoa mais próxima do Alex, que sou eu. Eu acho importante termos essa responsabilidade de dar o apoio, mas no limite também.

Vida real

Seus pais orientavam como você deveria se comportar nas festas, como analisar as bebidas e comidas que te ofereciam?

Com certeza! Minha mãe sempre conversou comigo. Eu fui em muitas festinhas de 15 anos quando eu tinha 15 anos, até menos, e nesses ambientes tem sempre que ficar ligado. Meu pai gostava de me pegar depois das festas porque ele já ia no carro sondando. Ia dirigindo de pijaminha e vendo o que eu estava conversando com os meus amigos, o que aconteceu.

Eles sempre ficaram muito ligados e tiveram um diálogo muito aberto comigo. E eu acho que por isso que eles confiaram tanto em mim quando eu quis sair de casa com 17 anos para morar sozinho no Rio.

Muitos atores de Malhação já foram convidados para ser príncipes em aniversários de 15 anos. Você também já recebeu algum convite?

A gente até conversa sobre isso nos bastidores. Não rola tanto isso mais. Eu acho que foi em uma época que era um auge e hoje em dia não. Pelo menos com a galera aqui não tem muito isso (riso). E também a gente grava sábado até 21h, então fica difícil assim.

Sonho profissional

Qual o seu sonho profissional?

Acho que meu sonho é continuar fazendo o meu trabalho dessa forma que eu estou conseguindo fazer. Essa semana, por exemplo, eu estou conciliando as gravações de Malhação com um longa. Eu gosto muito disso. Quando eu sair da filmagem do longa, o Rogerio Fróes, que é um autor maravilhoso, falou para mim: ‘você saiu do cinema, agora vai para televisão e à noite vai para onde? Vai para o teatro? ’. Aí eu falei: ‘Rogério, esse é o meu sonho. Vai ser meu sonho fazer cinema de manhã, Malhação à tarde e teatro à noite’. Então meu sonho é isso, é conseguir conciliar os três.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio