Bruna Marquezine fala sobre emagrecimento para personagem: “Achei que a Catarina ficaria mais potente no vídeo”

Publicado há 3 anos
Por Greicehelen Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Bruna Marquezine atualmente dá vida à Catarina, sua personagem em Deus Salve o Rei. Interpretando sua primeira vilã, a atriz de 22 anos contou em entrevista ao Observatório da Televisão, os desafios de gravar a novela cercada de chroma key, assim como seu processo de preparação. Ela, que emagreceu para compor a personagem disse acreditar que ver o seu rosto mais cheio no vídeo deixaria a personagem com aspecto mais infantilizado, exatamente o oposto do que ela desejava. Confira o bate papo completo:

Leia também: Equipe do SP Record será deslocada para o Cidade Alerta

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como está a sua expectativa para ver como a Catarina se sairá durante a trama?

“Enorme desde a primeira conversa eu tive com o Fabrício e ele me apresentou o projeto, acho que já tem uns quatro ou cinco meses. Foi muito tempo pensando nesse trabalho, vivendo isso. Depois, a gente começou a preparação, foi um mês muito intenso, de um mergulho muito profundo de todo elenco. É muito tempo nesse trabalho, eu já falei um pouco do quanto ele é especial e único em vários sentidos. A minha expectativa estava muito grande, eu estava muito ansiosa.”

Você já tinha visto cenas antes da estreia da novela?

Eu tinha visto pouca coisa, pouquíssima coisa. Eu vi basicamente o que vocês viram, e vi algumas cenas na edição, mas eram cenas que não estavam completamente fechadas.

Você é crítica com o seu desempenho em cena?

“Eu sou bem crítica com o meu trabalho. Eu acho que assistir é importante porque é daí que você consegue ter um retorno do que está fazendo. Você consegue ajustar, ver onde está errando, onde pode melhorar. É uma novela que tem uma energia muito diferente, o Fabrício tem uma energia que foi contagiando todo mundo da nossa equipe. Acho que todo mundo sentiu um pouco isso, essa emoção de ver nascer uma coisa que a gente está trabalhando tanto, se entregando tanto.”

A Catarina parece ser uma mulher muito imponente. Na vida real, você já se sente um mulherão, que já passou da fase menina?

“Eu me sinto com 22 anos, só isso (risos). A Catarina, de fato, é uma mulher muito altiva, uma mulher muito poderosa, uma mulher muito imponente.”

Mas tem algum momento em que você se sente poderosa?

“Não da mesma forma. Eu não sei te dizer um momento em que eu me sinto poderosa.”

Você tem acompanhado os movimentos dos seus fãs em relação à Catarina? 

“Eles estão divulgando a todo vapor imagens, vídeos, cada detalhe que cai na internet sobre a personagem. Eu acho que essa é uma das coisas que fez ficar tão ansiosa em relação à estreia. A Globo decidiu dividir grande parte dos nossos bastidores mesmo antes da novela entrar no ar, e fez com que o público se sentisse próximo, participasse de alguma maneira de todo nosso processo. É doido como a gente conquistou um público antes mesmo de entrar no ar. As pessoas já estavam se interessando pela novela, queriam saber mais, ansiosas para assistir.”

Na cena que você sai da banheira após o banho, a gente percebeu o quanto você está magra. Você não estranha ao se ver sem muitas curvas?

“Eu continuo tendo curvas (risos).”

Esse emagrecimento foi para a personagem ou por decisão própria?

“Por muito tempo eu tentei me enquadrar nesse padrão e eu sei o quanto isso nos machuca, a nós mulheres. Eu tento não ficar falando muito disso, de atrelar beleza com a magreza. Aconteceram duas coisas: uma é que de fato tem alguns personagens que exigem algumas mudanças no nosso corpo. A Catarina por ser essa mulher altiva, que tem sempre uma presença forte, eu imaginei que no vídeo, que acaba aumentando a gente um pouco, se eu estivesse um pouco mais magra, talvez, eu ficasse com o rosto um pouco mais duro. De fato, é uma questão estética, mas obviamente eu nunca pensei em prejudicar a minha saúde para isso. Isso eu pensei logo no início quando eu comecei a ler a Catarina, então, eu tive muito tempo para fazer essa transformação. Mas, consequentemente, junto com isso, eu descobri que eu tenho um probleminha na tireoide. Não chega a ser uma doença, mas não está funcionando muito bem.”

É um quadro de hipotireoidismo?

“Não, não chega a ser um hipo. É só uma função que não está rolando bem e acaba interferindo em todo o corpo. Muitas mulheres sofrem disso. Aí eu comecei a me cuidar e eu acho que isso fez também que eu acabasse emagrecendo, porque o meu metabolismo não estava funcionando como deveria funcionar para uma menina de 22 anos. Eu acho muito importante falar que tudo isso eu fiz acompanhada de profissionais. Eu estou cuidando da minha saúde, não emagreci por estética apenas.”

Mas a ideia inicial do emagrecimento foi por conta da personagem?

“Eu achei que a Catarina ficaria mais potente no vídeo. Eu tenho um rosto muito de menina e sempre que o rosto fica mais redondinho acaba infantilizando um pouco, e eu queria que ela tivesse essa cara um pouco mais dura e madura.”

Você passou a virada do ano em Fernando de Noronha, está bem bronzeada. Atrapalha na caracterização da Catarina esse bronze?

“Pois é, voltei bronzeada. Cheguei e disse que a Catarina pegou um sol em algum reino vizinho. Mas em todo nosso tratamento de luz, o bronzeado não imprime tanto. Aproveitei o sol um pouquinho nas férias, estava precisando.”

O Neymar sente um pouco de ciúmes com as suas cenas mais sexies? A Catarina tem um par romântico na novela, inclusive. 

“A gente está aqui para falar da novela hoje.”

Quando o Neymar participou do programa da Tata Werneck, o Lady Night, ele disse que era noveleiro, porém, não andava vendo tantas novelas. Agora com você em cena, ele ficou de acompanhar Deus Salve o Rei?

“Ele é bem parceiro e sempre me apoia.”

Recentemente, viralizou um vídeo seu ainda pequena em uma campanha de suicídio. Como é para você, depois de tantos anos, se ver em um trabalho gravado na sua infância?

“Aquele comercial é muito especial para mim, muito mesmo. Foi o meu primeiro comercial, a história dele é bem interessante. Eu tinha cinco anos, e fui de stand by porque era um menino de 4 anos, que ia fazer. Ele na hora deu uma travada e eu fui fazer o comercial, e esse diretor, que chama Roberto Berliner, foi a primeira pessoa que conversou com os meus pais sobre uma carreira. Até então, era uma diversão para mim, aquele clichê da criança que é muito extrovertida, que gosta de fazer teatro em casa, que adorava uma câmera, e para a minha mãe era mais uma questão de me agradar. Daí ele foi o primeiro cara que falou para os meus pais: “Se vocês gostam de imaginar esse futuro para a filha de vocês, podem investir, porque ela sente muito prazer fazendo isso”. E aquele foi o meu primeiro comercial, abriu portas para mim dentro da Globo, porque acharam que era uma história verdadeira. Ele passou só em São Paulo, era uma campanha sobre suicídio da Polícia Militar, e no Rio (de Janeiro) ele passou só no Jornal Nacional. Então assim, as pessoas da casa que viram, acharam que era verdade. Daí depois de um bom tempo, eu já estava fazendo Gente Inocente, na casa, descobriram que eu era atriz e me chamaram para fazer a Salete, na novela do Maneco.”

E agora ele está sendo visto pelo Brasil todo, né?

“É doido ver ele ressurgir assim dessa maneira. É sempre gostoso de ver. Eu gosto de ver ele porque me lembra de flashes daquele dia, foi a minha primeira experiência.”

Você já tem programação para o Carnaval 2018?

“Vai depender das gravações. Sair em Escola certamente não, mas eu não sei o que vou fazer, porque depende das gravações do meu roteiro.”

Você gosta mais de blocos, de sair na rua?

“Depende. Isso eu vou ver na hora, mas eu curto de tudo um pouco.”

Como é para você interagir, atuar com um cenário criado todo a partir de um chroma key?

“É doido, mas não chega a ser nada que atrapalhe, muito pelo contrário. A gente tem grande parte do cenário construído, toda a parte interna, a parte externa, mais de 50% está construído. O que a gente constrói depois no 3D é essa grandeza dos castelos. Uma cena ou outra de floresta que a gente usa mais esse recurso, mas é tranquilo. Na verdade, é divertido, uma experiência nova, gostoso, e é muito emocionante depois ver tudo pronto. É de arrepiar!”

Parece que a Catarina vai estar por trás da morte do pai. Você está preparada para essa grande virada da personagem? Para esse momento que ela se torna uma grande vilã?

“Eu estou mergulhada na Catarina. Eu espero estar preparada, eu espero ser capaz de continuar dando vida para ela da melhor maneira possível.”

E para as críticas do público nas ruas sobre essa vilã?

“Se eu ganhar bolsada na rua vou ficar feliz (risos).”

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio