Beth Goulart comenta papel desafiador em Jesus: “Me sinto desafiada quando tenho que fazer personagens de uma outra época”

Publicado há 2 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Jesus, nova novela da Record TV, Beth Goulart dá vida à Mirian. Melhor amiga de Maria (Claudia Mauro), divertida e sincera, ela se mostrará uma pessoa a quem a mãe do protagonista pode confiar de olhos fechados. Viúva, ela é mãe de Tiago Menor (José Victor Pires), um dos apóstolos de Jesus.

Em conversa com o Observatório da Televisão, a atriz falou sobre a oportunidade de interpretar a personagem, contou o que sentiu ao gravar no deserto no Marrocos, e ainda comentou os contratos por obra, que possibilitam aos atores não ficarem presos a uma única emissora. Confira:

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Leia também: Ciumento? Edson Celulari fala da relação com a filha de 15 anos

Mais uma novela bíblica? Como é a sua personagem?

Mas essa bíblica é muito especial. Eu faço Mirian melhor amiga de Maria (Claudia Mauro), então ela acompanha toda a história desde o comecinho. Ela é uma testemunha direta, ocular de todos esses acontecimentos, desde a gravidez especial de Maria até o nascimento. Ela sabia que Jesus Cristo era o Messias, e sempre acreditou nele. Ela vai ajudando a Maria com os outros filhos quando a amiga fica viúva. Ela também fica viúva, e tem dois filhos, um deles discípulo de Jesus. Miriam é aquela amiga que está presente em todos os momentos. Nos bons e nos difíceis.

Gravações no Marrocos

Do bem total?

Com certeza. Do bem, e é uma personagem que tem humor, que faz um ótimo contraponto às situações mais difíceis. Ela é quase uma advogada da Maria, porque elas se defendem nas situações complicadas. São personagens que vão representar lindamente a presença do poder feminino na história da humanidade. É uma autora, uma mulher que está contando essa história, e é muito bacana ver a presença das mulheres em toda essa trajetória e como cada um de nós também dá sua contribuição para isso. De certa forma elas acabam sendo discipulas de Jesus porque elas levam a palavra dele, e seguem seus milagres. E vão levar adiante toda essa missão.

Como foi gravar no Marrocos?

O deserto é um espaço muito forte porque o céu e a terra têm a mesma dimensão e aquilo invariavelmente te coloca para dentro de você mesmo. Te faz repensar em tudo na sua vida. Na presença de Deus, na força da natureza, na força das atitudes positivas e boas da nossa vida. Te faz repensar sua função aqui como ser humano e sua contribuição a dar na história da humanidade. Isso é transformador.

Essa novela é sua segunda bíblica. Muitos atores dizem que saem com aprendizado por causa do texto. Com você também é assim?

A gente interpreta mulheres que têm uma realidade muito diferente da nossa. Quando você lida com uma cultura diferente da sua, numa época diferente da sua, te faz ter um ponto de vista diferente sobre sua realidade. Só isso já é transformador, e você acaba ganhando novos olhares sobre a realidade das mulheres, sobre a sua realidade na sociedade que vive. Então é muito bacana fazer. Me sinto desafiada quando tenho que fazer personagens de uma outra época, a gente aprende muito com isso.

Religião

Qual sua relação com a religião?

Eu sou muito religiosa. Sou espiritualista, toda a minha família é. Acredito em Deus acima de tudo, na fé do ser humano. Na capacidade transformadora que todos nós temos diante das escolhas que fazemos na vida. Então isso me define de uma forma geral. Respeito todas as religiões e onde quer que eu esteja, oro para que elas atinjam todo lugar.

Você está um tempo aqui na Record. Como você vê o seu caminho?

Eu gosto muito da casa, me sinto respeitada aqui. Cada lugar que você trabalha, cria parcerias, abre portas, possibilidade de realização e tem que ser bom para os dois lados. Enquanto a casa gostar da minha participação, acharei muito bom estar aqui e darei sempre o melhor de mim onde quer que eu esteja.

Estávamos falando com o pessoal da Globo, que não existe mais aquela barreira de emissora com os contratos por obra. O que você acha?

Isso é muito positivo porque na verdade é importante você estar num lugar sendo útil naquele lugar, realmente realizando bons trabalhos. Não importa qual casa, mas que você seja um bom profissional honrando nossa função de ator, como instrumentos para contar uma determinada história. Então isso, onde quer que você esteja…

A peça Simplesmente Eu, Clarice Lispector continua?

A Clarice está aguardando aquele intervalo entre uma novela e outra. Provavelmente depois da novela, eu volto à peça. É que eu ia fazer uma outra novela, que acabou não sendo feita, que era Topíssima, e entrei em Jesus. Isso atrasou o cronograma, mas Clarice está sempre pronta para voltar.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio