Publicidade

Ana Hikari recorda Malhação: Viva a Diferença e fala sobre racismo: “Eu tenho medo”

Atriz fala sobre a importância da trama teen para sua carreira

Publicidade

A reprise de Malhação: Viva a Diferença na tela da Globo tem um gostinho todo especial para Ana Hikari. Intérprete da determinada Tina, uma das cinco protagonistas, ela tem adorado conferir novamente seu trabalho de estreia na telinha.

Eu sou uma pessoa muito autocrítica e pensei que seria mais difícil, mas tenho tanto carinho por esse trabalho que tem sido bom assistir“, confessa a jovem de 25 anos, que, recentemente, voltou a encarnar a personagem na série inédita As Five.

Foi um desafio gigante poder interpretar a Tina nessa nova fase da vida dela. Ela está passando por situações complexas, e isso fez com que eu experimentasse em cena grandes desafios de interpretação“, adiantou.

Continua depois da publicidade

Confira o bate-papo completo da estrela com o Observatório da TV.

OBSERVATÓRIO DA TV – Malhação: Viva a Diferença foi seu primeiro trabalho na TV. Como você chegou até a novela?

ANA HIKARI – Eu sempre trabalhei com teatro e já tinha experiência com curtas metragens. Acabei recebendo a chamada pro teste da novela quase por acaso. Resolvi ir até a Globo para fazer meu cadastro e, quando entrei nos estúdios, me disseram que estavam rolando testes pra uma personagem do meu perfil naquele dia. Me indicaram ali mesmo, mandaram uma foto minha e fui pro teste no mesmo dia em que fiz o cadastro.

Você está acompanhando a reprise da trama na Globo? Como é rever a si mesma na pele da Tina três anos depois?

Eu estou adorando acompanhar a reprise! Eu tenho postado curiosidades sobre os capítulos no Twitter nesse período, e tem sido divertido. Eu sou uma pessoa muito autocrítica e pensei que seria mais difícil, mas tenho tanto carinho por esse trabalho que tem sido bom assistir.

Como você recebeu a notícia de que Viva a Diferença seria reprisada? A interação com o público, nas redes sociais ou até mesmo nas ruas, mudou com a volta da novela?

O nosso público é extremamente ligado nas novidades, então ficamos sabendo primeiro pelos fãs. Eu converso muito com ele pelo Twitter e pelo Instagram, e costumo brinco que eles sabem mais coisas do que eu mesma! Depois recebemos um e-mail da Globo, comunicando sobre a reprise. Ficamos muito felizes! Eu acho que a interação só cresceu. Sempre gostei de ter esse contato próximo com o público, acho uma delícia trocar com eles, mesmo a distância. Então, com a reprise, foi só mais um motivo pra estarmos juntos nas minhas redes sociais.

A Tina enfrenta o preconceito da própria mãe, Mitsuko (Lina Agifu), por namorar um rapaz negro, Anderson (Juan Paiva). Você já vivenciou ou presenciou uma situação parecida? Acredita que situações assim ainda acontecem na realidade dos dias de hoje?

Nunca vivi algo assim, porque meus pais são um casal como a Tina e o Anderson – minha mãe é brasileira de ascendência asiática, e meu pai é negro. Eles não lidariam com a situação como a Mitsuko lida. Mas, por ser filha do meu pai, já presenciei muitas situações racistas de que ele foi vítima. Quando eu era criança, perguntavam pra ele coisas do tipo ‘onde você pegou essa criança?’, ou não acreditavam que era meu pai. Já aconteceu de ele ser abordado pela gerência de uma farmácia por acharem que iria roubar. São situações que, infelizmente, ainda acontecem muito. Acho que o que a nossa novela retratou foi fiel à realidade. Felizmente nossos personagens estão vivos, porque na vida real esse racismo estrutural é o que causa o genocídio de muitas pessoas negras. Eu tenho medo, pelo meu pai e pelos meus amigos.

Como foi para você reviver a Tina na série As Five? O que você pode adiantar da trajetória da personagem nessa continuação?

Pra mim foi uma experiência incrível, porque é uma personagem que eu gosto muito e que teve uma transformação imensa. Foi um desafio gigante poder interpretá-la nessa nova fase da vida dela. Ela está passando por situações complexas, e isso fez com que eu experimentasse em cena grandes desafios de interpretação. Foi uma delícia!

Vamos falar um pouco da sua vida pessoal. Como é a Ana fora das telas? Sua relação com a família, os amigos… O que gosta de fazer nas horas vagas?

Eu adoro ouvir música, ler, estudar… Estou sempre fazendo algum curso novo, aprendendo algo, aprimorando meu trabalho como atriz. Faço atividade física (yoga principalmente) e adoro sair com meus amigos – agora, na pandemia, essa parte faz bastante falta! Sinto saudades dos meus amigos. Eu não moro com meus pais, mas sair da casa deles fez nossa relação melhorar muito. Falo com minha mãe todo dia.

Por falar nisso, como é a rotina da Ana Hikari em tempos de quarentena? O que mais mudou no seu dia a dia com a pandemia?

Acho que a primeira coisa que mudou drasticamente foi o contato com os amigos, porque eu, como uma boa sagitariana, sou muito de sair e estar com os amigos – mas na pandemia, estou total em casa, no isolamento. Eu tenho tentado manter uma rotina de estudos e exercício físico. Algumas semanas são mais difíceis que as outras, mas tentar é o mais importante! Faço yoga e superioga, continuo com minhas aulas de canto três vezes por semana, faço francês e leio bastante.

Publicidade
© 2020 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade