Cauã Reymond fala sobre as gravações da série Ilha de Ferro: “Foi difícil para caramba”

Publicado há 2 anos
Por Greicehelen Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta segunda-feira (19), o Tele Quente Especial exibe o primeiro episódio da série Ilha de Ferro. A produção mostra os dramas individuais de petroleiros em suas vidas na terra e no mar. Produzido pela Globo para o Globoplay, o material audiovisual contém 12 episódio – já disponíveis no streaming de vídeos.

Veja também: Fabio Assunção posa com o filho de 15 anos: “Fechamento”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A história principal da série gira em torno de Dante (Cauã Reymond) e Júlia (Maria Casadevall). Assim como os colegas de profissão, a dupla passa duas semanas confinada na PLT-137, a ilha de ferro. A plataforma está localizada a uma hora de helicóptero da costa brasileira.

Em entrevista ao Observatório, Cauã Reymond revelou alguns momentos da gravação da série. O ator também elogiou a direção artística da produção, assinada por Afonso Poyart. Confira a seguir:

Quais dificuldades você sentiu durante as gravações?

É um esforço todo, emocional. Foi difícil para caramba. Ser ator não é fácil. Os personagens exigiram de todo mundo, principalmente de quem estava na plataforma.

Ilha de Ferro é uma produção dramática do início ao fim?

Do meio para o final, a trama tomou um lugar de suspense. Mas temos momentos de dramas muito pesados. Principalmente do meu personagem com o Klebber (Toledo – Bruno), a Sophie (Charlotte – Leona) e a Maria (Casadevall).

Como foi gravar as cenas da plataforma de petróleo?

Foram muitos dias de filmagem, em dias diferentes. Eu adorei. Foi uma cena difícil.  Filmamos um dia na piscina. Outro dia, filmamos com um caminhão de água entrando em uma traquitana comigo e com o Kleber.

Filmamos uma cena dramática. Um dia filmamos o helicóptero levantando. Então foram muitos dias de filmagem.

Avaliando a série

O que você achou da direção artística do Afonso Poyart?

Eu acho que o Afonso está de parabéns. Ele dá um show nisso. Acho que, realmente, é um trabalho superior como direção e principalmente na parte técnica.

 Como é ser protagonista de uma produção tão intensa?

Eu fico lisonjeado com isso. Espero que isso se desdobre em números, em pessoas. Eu fico muito feliz porque eu, realmente, fiz escolhas para estar nessa série e nesse projeto. Eu neguei personagens muito interessantes em veículos fortes e potentes para estar aqui.

Carreira de Cauã Reymond

Como você tem administrado os seus projetos profissionais?

Eu estou filmando agora o Dom Pedro. Filmo até o dia 21 de dezembro. Eu retorno para o Ilha dia 02 de janeiro.

Nos últimos tempos você tem feito trabalhos mais dramáticos, né? 

Eu tenho procurando isso. Quando você sai e entra em outro tipo de dramaturgia, me interessa. Como me interessou fazer a comédia com a Tatá Werneck. Porque me levava para um caminho que eu sabia que ninguém imaginava. Está dento de mim, eu sou artista. Acho que se eu não fizer isso, vou virar um maracujazinho.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio