“Eu me inspirei muito no Coringa do Heath Ledger”, afirma André Luiz Frambach sobre seu personagem em Malhação: Vidas Brasileiras

Publicado há 2 anos
Por Henrique Carlos
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

André Luiz Frambach que interpreta o personagem Márcio em Malhação – Vidas Brasileiras, se reuniu com jornalistas e falou um pouco sobre as mudanças de seu personagem na trama. Márcio é um personagem que vivia com os nervos à flor da pele, mas devido aos últimos acontecimentos do folhetim, acabou optando por uma mudança de conduta. Confira o bate-papo:

Leia também: André Luiz Frambach comenta desequilíbrio emocional de seu personagem em Malhação: “Ciúme não leva a nada”

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nós queremos saber sobre as mudanças do Márcio, porque parece que agora ele acalmou, não é?

É, estava na hora. Eu falei que quem poderia acalmar ele seria a Pérola e ele acabou depois de uma briga feia com ela numa festa revelando tudo o que sentia por ela, do jeito dele que falava que não conseguiria e acabou falando tudo. Eu acho que ele não sabia a forma de falar com ela, mas simplesmente foi sincero e deu certo, começou a namorar, acho que foi um dos fatores principais para ele começar a acalmar.

Repercussão nas Redes Sociais

O casal foi bem recebido pela galera das redes sociais?

Desde que o Peromar (nome do casal dado pelos fãs nas redes sociais) começou, já havia um motim para eles começarem a namorar, o pessoal gostava muito. Eu particularmente gosto muito desse jogo de gato e rato que eles têm. Eu acho bem bacana e achei que pudesse se perder quando eles começassem a namorar, mas para mim não perdeu.

O temperamento dele é um pouco difícil, até com a namorada, certo?

O Márcio é aquele problema. Ele melhorou, mas ninguém muda totalmente, a gente evolui, a gente se adapta, tenta construir uma relação, mas ele continua sendo quem ele é. Ele não vai se transformar numa outra coisa.

Parece que essa mudança dele foi a partir do episódio que ele teve com o pai, que ele soube que o pai foi alcoólatra, né?

A mudança principal na teoria foi depois do namoro, mas ela começou quando ele percebeu que estava afundando o pai. Justamente por querer buscar o amor, o carinho dele sem saber como, ele afundou totalmente o pai. E aí quando ele viu o que ele estava fazendo com a pessoa que ele amava, com a pessoa de quem ele estava querendo atenção, ele começou a acordar para a vida.

Leia também: Hugo tenta se aproximar de Dandara

Futuro do Personagem

Ele se sente um pouco fora da galera, com a família você acha que vai ser algo verdadeiro? Ele vai aceitar esses irmãos de verdade?

Acho que na verdade ele já aceitou. O Márcio é muito marrento, ele não pode simplesmente aceitar e falar que está tudo bem. Ele tem sempre que jogar uma piadinha, dar uma alfinetadinha. Ele ficou 16 anos sem o pai, quando ele consegue ficar com o pai, o pai arruma uma mulher. Além de três irmãos, e aí ele fala que queria o pai, agora tem isso tudo, mas ele já se adaptou.

Você recebe o carinho dos fãs, mesmo não sendo bonzinho?

O pessoal até que está sabendo diferenciar o ator do personagem e aí vem se queixar comigo do Márcio. O pessoal é muito carinhoso, elogia, palpita, opina e é bem bacana.

Pelo que a gente vê na internet, o casal Pérola e Márcio é muito bombado. Porque você acha que esse casal deu certo?

Olha, com sinceridade eu não sei. Eu acho que foi um trabalho que o pessoal comprou, uma química que realmente rolou entre eles. A Rayssa é uma excelente atriz, é uma ótima parceira de troca, de escuta, de tudo. Eu acho que foi até um pouco desse lance que a Patrícia (autora) escreveu, desse jogo de gato e rato, porque apesar de ser fofo e bonito um casal certinho e tranquilo, o povo gosta mesmo de ver um furdunço, uma confusãozinha. Aí quando viram a Pérola e o Márcio que se gostavam, mas não sabiam como que iriam demonstrar isso, com essa confusão, com esse jogo de vai e não vai, acho que o pessoal comprou essa ideia. Eu sei que fiquei feliz.

Fora da Tela

E você na vida real, tem essa de gato e rato?

Não, eu sou muito tranquilo, bem o oposto do Márcio. Eu sei bem demonstrar o que eu quero e não quero, quando eu quero, a forma que eu me expresso, sei demonstrar e receber carinho. Quando eu estou com uma pessoa e acontecer alguma atitude eu falo o que eu não gostei. Eu tento sempre ter um diálogo, que é o que o Márcio não tem. Qualquer coisa que aconteça, eu não deixo se prolongar muito, eu tento chegar e conversar com a pessoa.

Para compor o personagem, você conheceu alguém com a personalidade dele?

Na verdade, guardada as devidas proporções, eu me inspirei muito no Coringa do Heath Ledger. Eu acho que peguei um pouco dessa loucura dele. Do nada estava muito feliz, do nada vinha para a briga. Porque o Coringa na verdade ele queria ser o Batman e o Márcio nada mais queria ser o pai, queria o carinho e a atenção do pai e acho que tem vários Márcios por aí.

*Entrevista feita pelo jornalista André Romano.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio