Publicidade

Âncora oficial do Oscar pela TNT, Domingas Person diz ser necessário falar de assédio em Hollywood

Publicidade

Filha do cineasta Luís Sergio Person, diretor do longa São Paulo SA, 1965, com Walmor Chagas e Eva Wilma, que faleceu ainda jovem, Domingas Person vem se destacando há anos na TV como atriz e apresentadora.

Como atriz desenvolveu trabalhos na TV, teatro e cinema, já como como apresentadora de atrações focadas em artes visuais sua carreira foi marcada por passagens pela TV Cultura, Canal Brasil, Multishow, Telecine, Fox, GNT e atualmente na TNT.

Domingas representa o Brasil nas principais cerimônias e premiações transmitidas pela TNT, entre elas,  Miss Universo, Golden Globe Awards, Critics’ Choice Movie Awards, Screen Actors Guild Awards, Grammy Awards e o Oscar há mais de quatro anos.

Continua depois da publicidade

Como 2018 já começa com uma agenda cheia de premiações, o Observatório da Televisão bateu uma papo com a âncora oficial do canal para conhecer um pouco mais da sua rotina à frente das transmissões e as suas apostas para as principais categorias.

Domingas vem estudando as principais obras há um bom tempo, mas ressalta que é impossível assistir a tudo. A comentarista afirma também que é preciso tomar cuidado com os escândalos envolvendo celebridades e produtores de Hollywood. 

“Já era hora de jogar o holofote nestas histórias, que sabemos, existem mesmo e há tempos. Mas atenção: também é hora de se informar muito sobre os assuntos, se manter bem informado antes de fazer acusações e linchamentos em redes sociais”, ressalta a atriz.

No próximo domingo, 07/01, 22h, a TNT exibe com exclusividade e ao vivo o Golden Globe Awards com a apresentação de Domingas e do crítico de cinema Rubens Ewald Filho contando ainda com Carol Ribeiro e Hugo Gloss no tapete vermelho.

Confira:

Para alguns janeiro é o mês de descanso. Mas o primeiro mês do ano para você é pura adrenalina. Como fica a sua rotina para estudar e cobrir tantos eventos e com uma visibilidade enorme?

É a temporada de premiações! Mas tem que lembrar que o “estudo” acontece o ano todo, quando os filmes, as séries e as músicas são lançadas, tem que ficar ligado o ano inteiro. E aí chegam os prêmios, é uma retrospectiva e uma celebração ao mesmo tempo.

E como faz para estudar tantas obras, lançamentos, biografias?

Não dá para ver e ouvir tudo por completo, então tento me concentrar nos destaques, nos lançamentos e no que eu mais gosto de ver e ouvir também.

E quando chega a Las Vegas, EUA, você aproveita pra tirar férias, curtir a cidade com a família?

Não, é só trabalho e tudo muito intenso. Mas passeio um pouco quando há tempo livre, corro no parque e saímos para comer e conhecer alguns lugares também.

O seu pai já foi homenageado com uma exposição em São Paulo. Quando ele faleceu você era muito pequena, mas certamente as suas obras te influenciaram a seguir na carreira artística, não?

É muito especial ter um legado como este, os filmes do meu pai até hoje são muito comentados e São Paulo SA, por exemplo, é muito atual, o que faz com que o debate sobre ele não se esgote. É um orgulho e uma influência muito boa, certamente. Ele gostava muito de ler, escrever, criar. Uma pessoa intensa, com muita energia e criatividade.

Você troca ideias com a sua irmã [a apresentadora, crítica de cinema e agora atriz Marina Person que trabalhou na MTV, Cultura e agora Arte 1] sobre cinema e música?

Quando temos tempo! Mas fico muito feliz que Marina está conseguindo seguir sua carreira no cinema, fora do trabalho como apresentadora.

O cinema, a música e a TV são os grandes destaques das premiações que estão por vir. O quanto a arte pode contribuir para que o público forme a sua opinião em relação aos últimos acontecimentos (política, economia, cultura e comportamento de uma forma geral)?

A arte é essencial para criar reflexão, e não somente para ser diversão. Ela mostra a cara de um povo, de uma cultura, de uma época – e de pessoas em particular também. Não há como viver sem ela: a arte deve fazer parte da vida de todos desde o mais cedo possível.

Você está à frente dessas premiações há um bom tempo. Aqui no Brasil não temos essa tradição de realizar tantos prêmios, falando em TV, temos o Troféu Imprensa e o Melhores do Ano do Faustão, e no caso do cinema, música e teatro temos prêmios que, infelizmente, não são destaque na imprensa de uma forma geral. Como analisa o comportamento do brasileiro em relação aos festivais e o quanto eles são importantes para a valorização e o incentivo à cultura?

As premiações como programa televisivo são parte da cultura americana, eles fazem isso há muitos anos e melhor do que ninguém. E por ser uma indústria tão grande, interessa a todos. No Brasil, temos festivais específicos muito importantes, que prestigiam nossos artistas e suas obras, como os festivais de cinema, tradicionais e longevos como os de Gramado e Brasília, e há ainda premiações da crítica, como a APCA. Mas são coisas diferentes.

Durante a cobertura você tem a liberdade de opinar sobre determinado filme/série ou artista?

Tento passar mais informações do que opinar, acho mais importante dizer uma curiosidade sobre um premiado ou sobre a trajetória de uma obra do que dizer o que eu penso. Até porque o tempo é curto! Quando acho necessário falo minha opinião, faz parte do trabalho.

Acredita que os escândalos envolvendo celebridades e produtores podem de alguma forma atingir negativamente a indústria? E o quanto esses casos, vindo à tona, podem contribuir para que dezenas de mulheres possam ter seus direitos assegurados?

No caso dos abusos e assédios, já era hora de jogar o holofote nestas histórias, que sabemos, existem mesmo e há tempos. Mas atenção: também é hora de se informar muito sobre os assuntos, se manter bem informado antes de fazer acusações e linchamentos em redes sociais. No mais, a indústria é forte demais e consegue contornar os escândalos que possam prejudicá-la a fundo.

Quais são as suas apostas, no caso do Globo de Ouro?

Ainda não sei! Estou tentando não criar expectativas, porque o prêmio está chegando e ainda tenho muito que assistir! Como tem um produtor brasileiro envolvido no filme “Me Chame Pelo Seu Nome”, fico feliz que esteja lá nos indicados e torço para que saia premiado.

Quais as suas séries, filmes, bandas/músicas favoritas? (ainda que não estejam na lista de indicados)

As séries protagonizadas – e produzidas – por mulheres deste ano me fascinaram: The Handmaid’s Tale, Big Little Lies. E ainda Feud, com as duas deusas Jessica Lange e Susan Sarandon, cujas carreiras acompanho desde pequena, e agora na idade em que se encontram, estão ainda mais maravilhosas. E ainda a série Genius, que começa com a vida de Albert Einstein. Adoro quando encontro um ator como o jovem Einstein, Johnny Flynn, pouco conhecido do público, e tão cativante que queremos saber mais sobre ele.

Quais os filmes e atores que você acredita que devam ter destaque nas premiações?

As séries que mencionei com produção da Reese Witherspoon e da Elizabeth Moss devem levar muitos prêmios. Ainda estou muito ansiosa com os filmes deste ano, a maioria não estreou!

Quais artistas (músicos) você acompanhou em 2017 que talvez ganhem destaque no Grammy?

Curto muito o Kendrick Lamar, torço pelo avanço dele dentro de um gênero que justamente não é meu favorito. Pode-se dizer que seu último álbum Damn é uma obra prima. Também gosto muito do Bruno Mars, uma artista no sentido mais completo, que compõe, dança, entretêm e leva uma mistura de outras lendas como Michael Jackson, Stevie Wonder e Prince.

Novos projetos pra 2018?

Estou bolando um curso especial para compartilhar minha experiência na área de comunicação. Espero que seja um sucesso!

Um bom critico é aquele que…

Amplia o sentido, ajuda as pessoas a entender melhor uma obra ou um artista. Um pensador com ótimas referências e que ama o que faz, e vê e ouve.

Agenda das próximas premiações transmitidas pela TNT:

Quinta 11/01, às 23h,  23ª edição do Critics’ Choice Movie Awards.
Domingo 21/01, às 22h, 24ª edição do Screen Actors Guild Awards.
Domingo 28/01, às 22h30, 60ª edição do Grammy Awards.
Domingo, 04/03, às 21h, 90ª edição do Oscar.

Publicidade
© 2020 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade