Comparação com versões anteriores prejudica Éramos Seis da Globo

Publicado há 7 meses
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Éramos Seis está no ar na Globo desde 30 de setembro de 2019, na faixa das 18h. Pela primeira vez a emissora carioca adapta o romance de Maria José Dupré, sucesso editorial desde os anos 1940. Sua base é a versão escrita por Silvio de Abreu e Rubens Ewald Filho em 1977 para a Rede Tupi, refeita pelo SBT em 1994. Ângela Chaves responde atualmente por eventuais novas modificações na obra produzida pela Globo. Pois bem. A direção comandada por Carlos Araújo e Pedro Peregrino é muito feliz no tratamento das cenas e na orientação dos atores, e o elenco liderado por Glória Pires no papel de Dona Lola é cheio de acertos. Éramos Seis tem audiência na casa dos 20 pontos, considerada boa pela emissora para o horário hoje. A saber, na Grande São Paulo hoje isso significa algo em torno de 4 milhões de espectadores. Nada mau, sem dúvida. Mas ainda assim a novela é muito comparada às versões anteriores, principalmente à do SBT, mais recente – apesar de já ter quase 26 anos. Mudanças como as feitas no enredo, não apenas em relação ao livro como também a novelas anteriormente feitas com base nele, são normais e até necessárias para adequação da história aos novos tempos e novos públicos. Toda novela tem seus prós e contras, por vezes mais uns do que outros. Mas a novela das 18h da Globo é um produto de grande qualidade, merecedor talvez de melhor acolhida da parte da audiência.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais