Publicidade

No aniversário de Angélica, relembre Caça Talentos, novelinha que completa 20 anos em 2016

Publicidade

Se você foi criança na década de 90, certamente se lembra ou ouviu falar sobre Caça Talentos. A novela protagonizada por Angélica e exibida nas manhãs da Globo completou em setembro de 2016, 20 anos de sua estreia. Caça Talentos foi idealizada por Boni ao perceber o sucesso de tramas infanto-juvenis em outros canais como Colégio Brasil (no SBT, que por sua vez pegou carona no sucesso de Malhação), e a reprise de Meu Pé de Laranja Lima na Band.

Angélica foi recebida na Rede Globo com ares de superstar no alto de seus 22 anos, depois de ter passado pelo SBT (onde estava no ar com 3 programas simultâneos) e pela extinta TV Manchete, e estreou dois programas diferentes: O Angel Mix (programa de games, com musicais e exibição de desenhos animados) e Caça Talentos.

Enredo: Caça Talentos contou a história de Bela (Angélica), a jovem cujos pais morreram num acidente de carro numa floresta, e foi resgatada por duas fadas, Margarida (Marilu Bueno) e Violeta (Betina Viany), que a criaram como fada. Ao chegar na idade adulta, Bela que sempre foi considerada diferente das outras fadas, descobre que na verdade é uma humana. Como todo protagonista, Bela precisa fazer uma escolha de vida: decidir se deseja ser fada ou humana para sempre. Como a moça não conhece o mundo dos humanos ela embarca para lá a fim de conhecer as pessoas, seus costumes e criar uma vivência para então fazer sua escolha. Na novela, a passagem entre os mundos mágico e humano acontece exatamente no lugar onde funciona a Caça Talentos, uma produtora de vídeos com grande influência no mercado, mas com diversos problemas, inclusive financeiros.

Continua depois da publicidade
Angélica como Bela em Caça Talentos (Reprodução/ Canal Viva)

Arthur (Eduardo Galvão), o dono da empresa, trabalhava na agência Mundo Real Produções Artísticas junto com Silvana (Helena Fernandes), e Tremedeira (Antônio Pedro). Quando Lúcio Lobo (David Pinheiro), dono da empresa deixou Silvana, sua noiva no altar e demitiu Tremedeira, Arthur resolveu criar a Caça Talentos utilizando como sede o casarão que herdou de sua família. Sem investimentos financeiros, ele propôs à Silvana 32% das ações da nova produtora. Ela inicialmente foi considerada a vilã da trama, pois vivia tentando sabotar os projetos da agência, visando sua falência com ajuda de sua assistente atrapalhada Drica (Ana Furtado). Com a falência da agência, Arthur seria obrigado a vender a casa, e daria à Silvana em dinheiro seus 32%. A empresa conta ainda com Avalanche (Tony Tornado), o ex-pugilista e segurança do local, a secretária Karina (Claudia Rodrigues), e Souboy (Igor Lage). Bela foi então contratada para ser a produtora de vídeos subordinada à Silvana, com algumas trapalhadas pois não sabia lidar bem com as pessoas, e logo foi se tornando a queridinha dos funcionários, conquistando à quase todos com seu jeito meigo e divertido.

Silvana Karloff (Helena Fernandes) era a vilã cômica de Caça Talentos (Reprodução/ Canal Viva)

Audiência:  Caça Talentos teve centenas (sim, centenas) de participações especiais, inclusive de atores que já faleceram como Dercy Gonçalves, Leila Lopes, e Rogério Cardoso. O sucesso da novelinha foi tanto que em junho de 1997 com a audiência na casa dos 34 pontos, ela ganhou uma história especial de férias em 25 capítulos, aumentando seu tempo no ar de 30 para 45 minutos. As histórias de Caça Talentos eram divididas por semana: Na segunda-feira iniciava-se um tema e este era desenvolvido até a sexta-feira, misturando drama, comédia e muita magia. De acordo com o site Memória Globo o cenário da floresta encantada – que contava com árvores e um lago artificial – foi montado no Projac e consumiu cerca de 100 m² de grama verdadeira. Já as cenas que se passavam na agência, eram gravadas dentro dos estúdios Tycoon, no Rio de Janeiro.

Curiosidades: – A partir do capítulo 40, foi inserido um narrador antes de cada capítulo contando o que havia acontecido no capítulo anterior.

– A novelinha foi dividida em 3 temporadas (1996, 1997, e 1998), e cada temporada, Bela contava com um ajudante diferente, na primeira Órion (Eri Johnson) era quem guiava os passos da fadinha, como uma espécie de conselheiro. Na segunda temporada foi a vez de Max (Ernesto Piccolo), e na terceira temporada, foi a vez de Fred (Luís Carlos Tourinho), cujo ator pediu afastamento para se dedicar à sua participação no Sai de Baixo.

– Com a terceira temporada, e toda a reformulação na direção dos infantis, Caça Talentos ficou a cargo de Jorge Fernando. Foi nesta fase onde ficou decidido que era necessário mostrar a casa onde Bela vivia, criando assim um outro núcleo de personagens, que eram os vizinhos de apartamento da fadinha.

– Durante as 3 temporadas, Angélica inseriu em seus álbuns, músicas que faziam conexão direta com a novelinha. Em 1996, com a música “Fada Bela”, em 1997 com a música “Dança da Fadinha” lembrada até hoje por muitos adultos cujo álbum vendeu mais de 1 milhão de cópias, e em 1998 a música “Amor de Fada”, onde ela narrava a dificuldade da escolha de amar alguém e não poder beijar. Para que não se lembra, Bela não poderia beijar na boca, pois caso o fizesse se tornaria completamente humana.

Cláudia Rodrigues como Karina, seu primeiro papel na TV (Reprodução/ Canal Viva)

Caça Talentos ficou no ar de 16 de setembro de 1996 a 20 de novembro de 1998, completando mais de 500 capítulos inéditos exibidos. Os atores alegaram cansaço e vontade de seguir outros projetos fazendo a direção da Globo bater o martelo rumo ao fim, um tanto corrido, que mostrava Bela já tendo feito sua escolha, e decidido se tornar humana e se casar com Arthur, mas no fim Merlin, ordenou que Bela não se casasse, pois ela era o único elo entre os mundos. (Um verdadeiro furo no roteiro).

– Expressões como “Por Merlin”, “Que Merlin”, “Pára a palhaçada hein” se tornaram populares entre crianças e adultos, bem como os tremeliques dados por Arthur. O gesto mágico que Bela fazia ao usar seus poderes com certeza também ficou na memória de muita gente.

– Além de Claudia Rodrigues, outros atores tiveram seus primeiros papéis na novelinha como Samara Felippo e Gustavo Pereira.

– Em 1996, a novelinha ganhou um especial de fim de ano que foi o segundo maior em audiência naquele ano.

– A novelinha tinha como maior característica estar antenada na cultura pop. Absolutamente todas as personalidades, e situações da época foram citadas ou parodiadas, de Walter Mercado e É o Tchan a Spice Girls, e isso faz dela extremamente atual até nos dias de hoje. Foi reprisada pelo canal Viva duas vezes entre 2010 e 2013.

Momentos Marcantes: A página da novela no Facebook acumula quase 4 mil curtidas e dentre os momentos mais marcantes, os fãs citam:

Bela (Angélica) se transformou em bruxa durante o natal (Divulgação/ TV Globo)

Bela Bruxa – após cheirar a orquídea negra, Bela se transformou em bruxa fazendo maldades com todos no natal de 1996, inclusive aprisionando o Papai Noel (Lima Duarte) dentro de uma garrafa, junto com Pepê (Paula Saniotto), a filha de Arthur.

Apocalipse Girls, grupo musical formado por bruxas em Caça Talentos (Divulgação/ TV Globo)

Apocalipse Girls – O grupo inspirado nas Spice Girls, apareceu na Caça Talentos no início da terceira temporada, para que a agência produzisse um reality-show a fim de descobrir a quinta integrante do grupo. Após estranhos acontecimentos Bela descobriu que as cantoras eram bruxas que sugavam a energia dos jovens com suas músicas.

Drácula – Durante o especial de férias, Kino (Patrick de Oliveira) fez Bela cair dentro de um jogo mágico onde ela acabou entrando dentro do castelo do Drácula (Márcio Garcia) que queria casar com a fadinha acreditando que ela era Isabelle, sua amada do passado.

Miss Dayse (Dercy Gonçalves) consola Bela (Angélica) em Caça Talentos (Divulgação/ TV Globo)

Miss Dayse – Miss Dayse (Dercy Gonçalves) era uma milionária solitária que ao ver Bela estrelando um comercial de sua marca acreditou que a loirinha era sua neta perdida.

Considerada por muitos como o melhor programa infantil já produzido pela Globo, a novelinha é sempre relembrada no Vídeo Show. Deixou saudades!

 

Publicidade
© 2020 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade