Vingança mal elaborada: mesmo vibrante, Avenida Brasil teve seus tropeços

Faltou uma dose de esperteza a Nina, uma mocinha com atitudes de vilã

Publicado há 9 meses
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A reprise confirma que Avenida Brasil é uma novela que mexe com o público. Mesmo apostando numa história básica de vingança, João Emanuel Carneiro criou personagens tão encantadores, e os colocou em tramas tão impactantes, que a novela faz por merecer sua popularidade. Entretanto, há alguns tropeços na história principal que poderiam ter sido evitados.

Isso fica bem claro na trajetória de Nina (Débora Falabella). Na época do lançamento de Avenida Brasil, o autor declarou que se “inspirou” em Flora (Patrícia Pillar), a vilã de A Favorita, sua novela anterior. Carneiro afirmou que se impressionou com o sucesso da malvada e, a partir daí, pensou numa mocinha que poderia tomar atitudes de vilã. Assim criou Nina, uma vingadora capaz de fazer algumas maldades, como ficar com o dinheiro de um sequestro simulado, ou seduzir o amante de sua inimiga. O questionamento é válido: vale tudo em nome da vingança?

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No entanto, da ideia à prática, houve alguns tropeços. O principal deles foi o fato de Nina ter passado a vida pensando nesta vingança, mas não ter elaborado nada muito concreto antes de executá-la. A jovem, que foi abandonada no lixão pela madrasta Carminha (Adriana Esteves), cresceu com uma família adotiva na Argentina. Retornou ao Brasil quando seu pai adotivo morreu, com a ideia de se infiltrar na casa de Carminha e se vingar. Mas a verdade é que ela não sabia bem o que fazer.

Sem planos

Assim, seu único plano ao retornar ao Brasil era trabalhar na casa de Tufão (Murilo Benício) com o objetivo de se aproximar da inimiga. E só. Nina contou com a sorte, com a esperança de descobrir os podres da vilã e fabricar provas contra ela. Conseguiu. Porém, não foi feliz ao esconder as provas, além de ter demorado além da conta para mostrá-las à família, dando a chance de Carminha dar a volta por cima. E foi o que acabou acontecendo. Tanto que é Max (Marcello Novaes), e não Nina, quem desmascara Carminha diante de Tufão e sua família.

Isso não desmerece Avenida Brasil, claro. Só o fato de a novela subverter a condição de mocinha enganada e vilã manipuladora já a coloca num lugar especial. Nina engana Carminha durante boa parte da novela, enquanto a vilã mostra que não é tão boa assim na prática de maldades. Mas a novela teria sido mais interessante se Nina tivesse um plano mais bem elaborado, e realmente fosse ela quem denunciasse Carminha à família Tufão. A vingança, embora tenha entrechos memoráveis, ficou meio decepcionante.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio