Simples Assim tem estreia simpática, mas parece fora de lugar

Novo programa de Angélica é um show de produção, mas parece segmentado

Publicado há 21 dias
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Simples Assim, novidade da programação da Globo, marcou a volta de Angélica à TV dois anos depois do fim do Estrelas. A apresentadora, pela primeira vez, assume um programa autoral, criado por ela e que reflete o atual momento de sua vida. Cheio de boas intenções, Simples Assim é um programa simpático e otimista.

A ideia da atração é falar de temas que refletem as relações humanas e a busca pela felicidade. Na estreia, o tema “Curva da Felicidade” foi tratado em dinâmicas, com a presença de muitos anônimos contando suas histórias de vida. No quadro Dilemas da Vida Real, Angélica recebeu um casal em conflito, já que cada um quer viver em uma cidade.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Simples Assim é um show de produção. Cenografia caprichada, edição dinâmica, roteiro redondo. Além disso, conta com ilustrações charmosas que introduzem o tema. Os esquetes de humor, que poderiam cair no ridículo, são curtos e espertos, o que ajuda a tornar o programa descontraído.

Ou seja, a atração é bastante simpática, envolvente e seu tom otimista não chega a incomodar. Além disso, é interessante ver Angélica num outro lugar, se colocando e se posicionando mais, após tantos anos comandando programas chapa-branca. Simples Assim realmente tem a cara dela.

Fora de lugar

No entanto, a atração parece fora de lugar. Primeiro, porque o primeiro episódio foi gravado antes da pandemia. O tema da felicidade ganha novos contornos no atual contexto mundial. A discussão mostrada, embora seja recente, já parece datada. Pouco disse sobre os dias de hoje.

Além disso, sua proposta parece distante do que se espera num sábado à tarde da TV aberta. A proposta mais “cabeça” tem mais a ver com TV paga. Simples Assim parece programa do GNT, e não da Globo. Sim, ele busca arrebatar o público pela emoção, como a maioria dos programas da TV aberta, mas o faz com um verniz que o torna pouco popular. Parece algo segmentado, voltado a um público específico.

É louvável que Angélica tenha se proposto a fazer algo fora de sua zona de conforto, e tente se reinventar na TV após tantos anos de game shows e entrevistas com celebridades. Mas talvez seja a hora de ela pensar se sua atual fase ainda tem a ver com TV aberta.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais