Sem vontade de competir, participantes “minam” No Limite

Os ex-BBB's não se mostram envolvidos de verdade com a disputa

Publicado em 16/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A nova versão de No Limite, com ex-participantes do BBB, está sofrendo do mesmo mal que vem acometendo boa parte dos principais realities da TV brasileira. Ao recrutar participantes que parecem mais interessados em atrair novos seguidores para suas redes sociais em vez de jogar, o programa entrega ao público um entretenimento parco e sem sentido.

Várias das edições mais recentes do BBB sofreram deste mal. Com a proliferação de “digital influencers”, os novos participantes da atração já entram focados em manter uma boa imagem, atrair novos seguidores e faturar neste meio. Ou seja, o prêmio deixa de ser o grande objetivo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Assim, os jogadores passam pela mansão da Globo como se estivessem numa colônia de férias, sem se envolver de verdade na disputa. O BBB 19, de triste lembrança, foi o exemplo máximo desta “nova era”, quando a produção se esforçou horrores para agitar o game, mas a turma se manteve numa postura “good vibes”. Com isso, as edições 20 e 21 apostaram em famosos e algumas surpresas, tentando driblar esta dificuldade.

Mas, no No Limite, não há o que fazer. O time de ex-BBB’s recrutados para ressuscitar a franquia estão ali apenas pela vitrine global. Nota-se um claro esforço no sentido de manter uma boa imagem, além do evidente desinteresse em viver a experiência em sua plenitude.

Resultado: os participantes já estão “pedindo para sair”. Lucas Chumbo e Arcrebiano, cansados das restrições impostas pelo jogo, solicitaram aos colegas de equipe para serem votados. E, surpreendentemente, foram atendidos. Ora, se houvesse um interesse legítimo no jogo, os participantes iam preferir competir com jogadores mais “fracos”, para terem alguma vantagem.

Se os próprios jogadores não apresentam sangue nos olhos e vontade de vencer, o público fica sem opção para escolher alguém para torcer. Como se envolver num jogo no qual os próprios competidores não estão interessados? Este é mais um motivo para o fraco desempenho da nova temporada de No Limite.

Convidar ex-BBB’s para o No Limite parecia uma boa ideia, já que seria um interesse a mais. Mas, na prática, a ideia não se revelou tão boa assim. Os ex-BBB’s encararam o desafio como encararam o próprio BBB, e não estão nem um pouco dispostos a passar pelas dificuldades impostas pela atração. O último que sair que apague a luz.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio