Sem ‘gorduras’, Cordel Encantado encerra reprise em alta

Publicado há 2 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em sua curta reprise no Vale a Pena Ver de Novo, a novela Cordel Encantado se despede hoje (03) repetindo o sucesso de sua primeira exibição. Depois dos parcos resultados de Celebridade e Belíssima, a faixa de reprises da Globo deu a volta por cima com a reexibição desde clássico recente. Oito anos depois, a novela de Duca Rachid e Thelma Guedes mostrou que envelheceu muito bem e, mais uma vez, encantou o público.

Até hoje considerada a melhor novela da dupla, Cordel Encantado foi um sopro de vitalidade no horário das seis em 2011. As autoras foram felizes na mistura de um reino distante e cangaceiros, baseadas nas famosas literaturas de cordel. Com a ideia, elas puderam fazer um folhetim despudorado, afinal estavam narrando a trajetória de uma princesa perdida numa cidadezinha do interior do Brasil.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Assim, Cordel Encantado foi um divisor de águas na carreira de Duca Rachid e Thelma Guedes. Com a novela, elas imprimiram um estilo próprio, baseado em não economizar história. As autoras não adiavam nenhuma resolução. As tramas eram propostas e logo solucionadas, sendo substituídas por novas histórias. Isso ficou bem claro quando foi revelado que Açucena (Bianca Bin) era a princesa perdida, ainda logo no início da novela. Nas mãos de qualquer outro autor, a revelação poderia ter se arrastado por capítulos a fio.

No entanto, esta agilidade foi também um (pequeno) ponto fraco da narrativa. Em algum momento, Cordel Encantado não tinha mais para onde ir. Houve uma fase em que, semanalmente, o vilão Timóteo (Bruno Gagliasso) sequestrava Açucena. Jesuíno (Cauã Reymond) descobria e a salvava. Pouco tempo depois, tudo se repetia. Mas, felizmente, a reprise não causou esta sensação. A trama foi reeditada para o horário da tarde, e perdeu estas “gorduras”, ficando ainda mais envolvente.

Vale a Pena Ver de Novo

Com o fim de Cordel Encantado, assume a faixa a reprise de Por Amor, no ar desde a última segunda-feira (29). A saga de Helena (Regina Duarte) e sua filha, a mimada Maria Eduarda (Gabriela Duarte), foi exibida originalmente em 1997. Na época, penou um pouco na audiência, já que batia de frente com o fenômeno Ratinho, que começava a se destacar na Record. Porém, os anos a tornaram “cult”.

Considerada por muitos como uma das melhores novelas de Manoel Carlos, Por Amor já foi reprisada três vezes (uma vez na Globo, e duas no canal Viva). Isso mostra a força da trama, que segue mantendo o interesse do público, mesmo depois de mais de 20 anos. Mas mostra também que não há tantos clássicos recentes que merecem um repeteco. A Globo recorrer à uma novela mais antiga que as atuais do Viva é sintomático.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio