Retorno precoce de Jesus é um equívoco da Record TV

Emissora não tem muitas opções de reprise

Publicado há 4 meses
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A pandemia de coronavírus afetou o cronograma de gravações de todas as novelas. E o efeito da paralisação das produções acertou a Record TV em cheio. O canal, que já não é muito bom com estratégias, se viu tendo que tomar uma atitude emergencial que expõe ainda mais suas fragilidades. Com as gravações de Gênesis suspensas, a emissora tratou de substituir a reprise de O Rico e Lázaro pelo repeteco de Jesus na faixa das 21h30. A exibição original da trama foi encerrada há menos de um ano.

A escolha de Jesus para tapar o buraco é uma boa amostra de que a Record TV não dispõe de muitos títulos para uma reprise. Afinal, desde que o canal apostou no filão das novelas bíblicas, o que não faltou foram reprises delas pouco tempo depois de sua exibição original. O fenômeno Os Dez Mandamentos ganhou um repeteco na faixa das 18h (que depois saltou para às 19h). Na sequência, vieram reprises de Os Dez Mandamentos – Nova Temporada e A Terra Prometida, sua continuação direta.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mais tarde, o canal demonstrou dificuldades em seguir com produções inéditas na faixa bíblica. Entre uma ou outra produção inédita pouco expressiva, a emissora reexibiu antigas minisséries bíblicas para ganhar tempo, em razão da demora em se definir substitutas, ou por conta de atrasos de produção. Neste contexto, Jesus “furou a fila” na linha das próximas produções, em razão do fracasso de Apocalipse. Na sequência veio a macrossérie Jezabel, que deveria ter sido substituída por nova novela inédita. Mas Gênesis sofreu com os atrasos nas gravações e com trocas constantes de autores, obrigando o canal a reexibir O Rico e Lázaro.

Sem opção

Ou seja, foram tantas reprises seguidas de produções inéditas, que a emissora já reexibiu praticamente todas as suas tramas bíblicas. Deste modo, para manter a temática na faixa das 21h30, o canal só tinha Jesus como opção, ou seria obrigado a apostar numa re-reprise. Já que até mesmo Apocalipse, um fiasco retumbante, já foi escalado para a faixa de Amor Sem Igual. Sobrou para a saga do líder do cristianismo.

Esse é o problema quando não há uma estratégia firme no sentido de manter a linha de produções inéditas. Quando há uma situação de emergência, como a que estamos vivendo agora, a emissora se vê sem maiores opções para preencher sua programação. Isso porque o canal já queimou seus cartuchos no passado. Assim, a Record TV obriga seu público a rever uma trama que ainda está muito fresca em sua memória. Complicado.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo. 

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais