Reprise de Sai de Baixo “salva” as tardes de sábado da TV aberta

Publicado há 4 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta semana, a direção da Globo definiu que a reprise do humorístico Sai de Baixo, atual cartaz da Sessão Comédia, deverá ser exibida para todo o Brasil. Até então, a faixa entre 14h e 15h dos sábados não era obrigatória para toda a rede, e as emissoras afiliadas da Globo exibiam produções locais neste período. Com a mudança, a faixa local será reduzida à meia hora, das 14h às 14h30.

Assim, todo o Brasil passará a ver de novo a partir deste sábado (15) a reapresentação do Sai de Baixo. Uma boa novidade, já que a comédia foi um verdadeiro fenômeno nos anos 1990 e, até hoje, conta com fãs saudosos ardorosos. O humorístico é um dos carros-chefe da programação do canal Viva desde seu lançamento e, agora, chega também ao espectador da TV aberta. Uma boa chance para rever as trapalhadas da família do Arouche, ou conhecê-los pela primeira vez.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sai de Baixo, deste modo, passa a ser a “salvação” das tardes de sábado da TV aberta, que andam bem mornas ultimamente. Anos atrás, os canais abertos fizeram da grade de sábado uma competição entre programas de entretenimento que até lembrava as “lendárias” guerras dominicais. Enquanto a Globo atacava com seu Caldeirão do Huck, a Record vinha forte com os antigos Programa Raul Gil e, depois, O Melhor do Brasil, e o SBT corria por fora, ora tentando ser alternativa, com filmes e séries, e ora partindo para o ataque, com produções como Fantasia, Falando Francamente e o Show da Gente, entre outros. Até Band e RedeTV! tentaram lugar ao sol, com os programas de Raul Gil, Gilberto Barros e atrações esportivas.

No entanto, o que temos hoje? A Record simplesmente desistiu do dia, exibindo filmes sem muito apelo, reprises de reality shows e o Cidade Alerta. O SBT exibe há um bom tempo o Programa Raul Gil, que, convenhamos, não tem a mesma força de antes. É um programa tradicional voltado a um público igualmente tradicional, sem temperatura. A Band, depois que perdeu o futebol, encheu suas tardes de sábado de enlatados. E a RedeTV!, depois que desistiu do Sábado Total, veio com uma boa ideia, a Super Faixa do Esporte, que começou muito bem, mas hoje não tem nada de “super”. O espaço foi reduzido para a entrada de games caça-níquel, e os eventos esportivos diversos arrefeceram.

A Globo é a única que ainda investe bastante no horário, mas atualmente também não exibe grandes coisas. O Estrelas Solidárias, de Angélica, estreou trazendo uma boa ideia, mas, após três meses no ar, já cansou. Quando o novo formato foi anunciado, foi dito que cada temporada temática do Estrelas duraria cerca de três meses. Sendo assim, já passou da hora do programa de Angélica mudar de tema. Cadê a nova temporada temática prometida? Enquanto isso, Caldeirão do Huck segue com sua colcha de retalhos formada, principalmente, por quadros assistencialistas, que estão no ar há tempos. A única novidade da safra é Quem Quer Ser um Milionário?, que é legal, mas já foi visto com Silvio Santos anos atrás.

Com este cenário, a reprise de um programa de humor dos anos 1990 surge como a melhor alternativa. Triste.

Record erra feio com Geraldo Brasil às segundas-feiras

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio