Praticamente concluída, Nos Tempos do Imperador sofre para corrigir erros de percurso

Trama apresenta problemas que poderiam ser corrigidos, caso fosse uma obra aberta

Publicado em 6/9/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nos Tempos do Imperador tem sido a experiência mais complicada para a dramaturgia da Globo em tempos de pandemia. A obra, que já estava com chamadas no ar para estrear em março do ano passado, teve seu lançamento adiado em mais de um ano, e estreou com seus capítulos quase todos prontos. Com isso, o folhetim vem tendo problemas para entrar nos trilhos em pleno voo.

Novela é, tradicionalmente, obra aberta. Salvo uma ou outra experiência, as tramas são escritas enquanto estão no ar. Com isso, os autores têm a oportunidade de sentir a temperatura do enredo, compreender o que está funcionando ou não e redefinir algumas rotas, caso seja detectado algum problema.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Às vezes, a novela enfrenta uma forte queda de audiência e vira de cabeça para baixo para tentar se salvar. No entanto, quase sempre, estas mudanças de rota são apenas ajustes, comuns num produto tão grandioso. Um personagem que cai nas graças do público pode ganhar mais cenas, enquanto um núcleo rejeitado pode ser eliminado, ou mudar o foco. Enfim, são inúmeros os ajustes pelos quais uma novela pode passar.

Mas Nos Tempos do Imperador não tem este trunfo. Os autores Alessandro Marson e Thereza Falcão trabalham na obra desde 2018. Durante a pausa nas gravações, no início da pandemia da covid-19, os autores avançaram no texto, enquanto os trabalhos em estúdio foram retomados a conta gotas, em razão das dificuldades impostas pelos protocolos de segurança. Para não correr o risco de colocar a novela no ar e vê-la ser interrompida, a direção da Globo preferiu lançá-la com as gravações quase no fim.

Ou seja, Nos Tempos do Imperador, no ar, não é uma obra aberta. A novela está quase concluída, tornando o trabalho de corrigir a rota muito mais dificultoso. E, com a trama no ar, foram detectados vários problemas, que poderiam ser corrigidos caso a novela fosse uma obra aberta.

Nos Tempos do Imperador tem sofrido críticas pela abordagem da escravidão. A temática ainda surge “viciada”, mostrando negros que são ajudados por “brancos benevolentes” para conquistarem a alforria. Outra crítica se refere a Zayla, uma vilã que reforça estereótipos negativos da mulher negra. Não precisava.

O perfil idealista de Dom Pedro II (Selton Mello) também não é visto com bons olhos. A trama romanceia a história, claro, mas poderia apresentar o imperador como um ser imperfeito. Da maneira como aparece, Pedro soa pedante e um tanto hipócrita.

Estes são alguns dos problemas que poderiam ser corrigidos com certa facilidade, caso Nos Tempos do Imperador não tivesse uma frente de capítulos tão amplas. A única solução, agora, é ajustar a trama na edição, o que pode até mesmo prejudicar o entendimento da obra.

E o problema visto em Nos Tempos do Imperador pode se repetir. Quanto Mais Vida Melhor, próxima novela das 19h, também estreará pronta. O mesmo deve acontecer com Um Lugar ao Sol, próxima novela das 21h. Mas trata-se de um cenário provisório, ditado pela pandemia. Espera-se que, quando possível, a novela possa voltar a se desenrolar junto à exibição.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio