Power Couple: presença de casais potencializa o jogo, mas atrapalha identificação do público

Reality demora a engajar público, mas traz conflitos que não existem nos demais programas

Publicado em 25/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Apesar de o Power Couple Brasil já estar em sua quinta temporada, a atual leva é a terceira que adota este formato meio “Big Brother”. Para quem não se lembra, as duas primeiras edições (que foram comandadas por Roberto Justus) não eram exibidas em tempo real e, assim, o público não participava das decisões. Havia menos episódios por semana, e o foco era maior nas provas do que no confinamento.

O formato foi modificado a partir da entrada de Gugu Liberato (1959 – 2019). Além do novo apresentador, o jogo passou a ir ao ar em tempo real, com episódios diários e votação popular. Ou seja, a ideia era trazer o que funcionava nos programas tipo BBB ou A Fazenda, numa tentativa de engajar o público na atração.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Entretanto, por mais que os resultados não sejam propriamente ruins, o Power Couple nunca se mostrou uma A Fazenda. Um dos motivos para que o público não embarque tão apaixonadamente na atração deve ser o fato de, justamente, ser um programa de casais. Afinal, ao selecionar 13 casais, a direção do programa confina nada menos que 26 pessoas. O excesso de personagens dificulta no processo de identificação do público.

Novos conflitos

Por outro lado, o fato de haver casais na disputa imprime conflitos ao Power Couple que não são vistos em nenhum outro reality. Afinal, os casais formam equipes, e uma disputa em equipe requer equilíbrio, paciência e muito jogo de cintura.

Assim, ao mesmo tempo em que o casal deve se unir para enfrentar os seus adversários, eles também devem se entender entre eles. E isso nem sempre acontece. É bastante comum um marido e uma esposa se desentenderem, desestabilizando a “equipe”. É a famosa “briga de marido e mulher”, mas acontecendo diante das câmeras.

Ou seja, por mais que seja difícil identificar os participantes do Power Couple, ainda assim se envolver com o jogo vale a pena. É interessante ver como os casais precisam aprender a lidar com as próprias crises para sobreviver até o fim da disputa.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio