Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
caiu

Power Couple Brasil repete “maldição” ao começar promissor e terminar entediante

Adriane Galisteu foi o destaque positivo de uma temporada irregular

Publicado em 23/07/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A estreia da quinta temporada de Power Couple Brasil na Record TV encheu de esperanças o coração do fã de reality show. A atração estreou mostrando bala na agulha, ao reunir um elenco capaz de oferecer o chamado “entretenimento raiz”. Se o BBB vinha padecendo com participantes mais interessados em angariar seguidores do que no jogo, o Power Couple veio com exatamente o contrário.

Casais como Medrado e Claytão, JonJon e Carol Santos, Rod Balla e Márcia Felippe, Nina Cachoeira e Filipe Duarte, e Deborah Albuquerque e Bruno Salomão surgiram sem medo de causar. Intrigas mirabolantes e brigas pelos motivos mais tolos trouxeram alguma animação na Mansão Power, garantindo um enredo interessante.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

No entanto, apenas Deborah e Bruno conseguiram se segurar até o fim. Os demais foram sendo eliminados, enquanto casais menos expressivos, como Dany Hipólito e Fábio Castro, ou Renata Dominguez e Leandro Gléria, foram ficando. Com isso, o programa perdeu fôlego no decorrer das semanas.

A atração só retomou alguma vitalidade no penúltimo episódio, que promoveu o “Quebra Power”. Nesta ocasião, os casais eliminados retornaram e protagonizaram intensas discussões, colocando “fogo no parquinho”, como costuma dizer Tiago Leifert no BBB. Mas foi um caso isolado de uma reta final que acabou se mostrando previsível.

Power Couple, então, repetiu uma “maldição” que vem se tornando cada vez mais frequentes no realities: a sensação de “queimar a largada”. Dá a impressão de que o programa entrega muito em suas primeiras semanas, mas logo perde fôlego e se arrasta para o final.

Adriane Galisteu

Assim, Power Couple muito prometeu e pouco cumpriu. De positivo mesmo foi a presença de Adriane Galisteu, que é uma comunicadora de mão cheia. A apresentadora esteve à vontade em todo o momento, sem jamais perder o jogo entre os dedos. Sua atuação na “lavação de roupa suja” foi impecável, mostrando segurança, jogo de cintura e muita sensibilidade, sabendo fazer as perguntas certas na hora certa.

Ou seja, neste contexto, o Power Couple serviu para mostrar que a escolha de Adriane Galisteu para a apresentação de A Fazenda foi muito acertada. A artista está pronta para o desafio de comandar o principal reality show do canal. Power Couple, então, fez justiça à trajetória da apresentadora, que andava um tanto desacreditada em razão de seus insucessos dos programas anteriores.

Porém, sobre o programa em si, fato é que Power Couple Brasil merecia um chacoalhão, no sentido de trazer alguma novidade para as próximas temporadas. Talvez retomar o formato original, com uma competição mais enxuta, pudesse fazer bem. Tanto que a primeira temporada ainda foi a mais marcante do programa. Um olhar apurado para o passado pode fazer bem ao reality show.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....