Polêmicas no Primeiro Impacto: jornalismo do SBT vive momento desolador

Publicado há 4 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O colunista Mauricio Stycer, do UOL, noticiou ontem, 08, que o produtor Cristian Gomes, do Primeiro Impacto, foi dispensado do serviço na última terça-feira, 07, após produzir uma reportagem que registrava um flagrante de adultério, e que foi realizada com a participação de atores contratados. O produtor falou a Stycer que a intenção era mostrar, com a ajuda de figurantes contratados, como é o cotidiano de uma detetive particular, e que a reportagem informaria ao espectador que se tratava de uma simulação. Gomes disse ainda que sua dispensa seria revertida. “Já chegou ao conhecimento do Silvio e me falaram para eu ficar tranquilo”, disse a Stycer.

O fato é apenas mais uma entre tantas polêmicas envolvendo o noticioso matinal do SBT desde que Dudu Camargo assumiu o seu comando, em outubro do ano passado. Além do apresentador inusitado, o Primeiro Impacto trouxe, ainda, Marcão do Povo, que ficou famoso nacionalmente também em razão de polêmicas e, mais recentemente, contratou o produtor Cristian Gomes, que era animador de auditório do programa de Gugu Liberato, na Record. Segundo vários sites de notícias, Gomes foi contratado após ter ido aos EUA encontrar Silvio Santos e apresentar ideias para “incrementar” o Primeiro Impacto.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O que se conclui diante de todos estes fatos é que, apesar de José Occhiuso responder pela direção de jornalismo do SBT, quem dá as cartas mesmo é Silvio Santos. E o apresentador e dono do canal está mesmo disposto a mudar o jornalismo da emissora, partindo para a “popularização” de seus noticiosos de maneira um tanto duvidosa. E o Primeiro Impacto tem sido o principal “balão de ensaio” nesta busca por um “novo” jornalismo de Silvio Santos. Nas últimas semanas, o matinal assumiu de vez sua porção policial, com apresentador berrando e matérias sobre violência urbana, sempre com vários tons acima. Por esses dias, inclusive, Marcão do Povo mostrou, ao vivo, um bate-boca entre duas mulheres no trânsito. Uma delas insistia em dizer que não queria aparecer na matéria, mas a câmera não parava de segui-la. E a repórter, no meio da confusão, atuou praticamente como uma “juíza”.

O jornalismo do SBT vive um momento desolador. O que se vê hoje são profissionais tarimbados perdendo espaço para um conteúdo controverso. Basta lembrar do próprio Primeiro Impacto, que estreou como um jornal leve, comandado por Joyce Ribeiro e Karyn Bravo, e olha o que se tornou. Isso sem falar no “sumiço” de Hermano Henning, um pilar do jornalismo do SBT, profissional do mais alto gabarito. Carlos Nascimento e Roberto Cabrini, assim, vão se tornando estranhos no ninho em meio a tantas “novidades”. Triste.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais