Pânico na Band perde a relevância e o rumo

Publicado em 12/06/2017

Há menos de dez anos, tudo o que a trupe do Pânico fazia, nos tempos de Pânico na TV da RedeTV!, repercutia. Mesmo em tempos de redes sociais ainda sem tanta força quanto hoje, o que os humoristas aprontavam eram o assunto da semana. Pânico tinha fãs ardorosos, um poder de influência bem grande e, sem dúvidas, ditou o rumo do humor brasileiro, sobretudo na década de 2000.

No entanto, já faz tempo que o atual Pânico na Band não aparece, novamente, com as loucuras e a repercussão que lhes era peculiar. Na última semana, a atração até virou notícia, mas não por uma coisa boa: supostamente, Pânico na Band focou um humorista com o pênis à mostra. Segundo o colunista Flavio Ricco, tal situação levou a direção da Band a repreender a atração.

No entanto, antes deste lamentável incidente, o Pânico já vinha mal das pernas. A atração perdeu sua relevância no campo do humor e não soube se reinventar nestes quase 15 anos na televisão. Quando entrou no ar, Pânico vinha com uma proposta interessante, a de desmistificar e “desglamourizar” o mundo das “celebridades”, fazendo uma ácida crítica a este universo. Suas matérias em porta de festas chamavam a atenção por mostrar os artistas desarmados diante das câmeras. Além disso, deu espaço a toda uma geração de novos comediantes, ótimos de improviso e raciocínio rápido. Wellington Muniz, o Ceará, foi o primeiro a despontar com sua imitação de Silvio Santos. Depois vieram Carlinhos e seu impagável Merchan Neves, o Christian Pior de Evandro Santo e todos os tipos vividos por Eduardo Sterblich, além das ótimas imitações de Carioca.

Passada a fase de ouro, porém, o Pânico não trouxe mais nada de novo. Foi ultrapassado pelos humoristas que vieram depois, não soube reinventar a sua proposta, e acabou deixando o tom crítico inicial para se tornar uma espécie de arena de molecagens, com brincadeiras tolas que agradavam, somente, seus fãs mais ardorosos. Para o público em geral, o Pânico já não diz muita coisa. Não por acaso, o programa, atualmente, tem dificuldades diante do Encrenca, da RedeTV!, um programa bem ruinzinho, formado basicamente por vídeos da internet. Pânico perdeu fôlego e não dá sinais de que o reencontrará.

Leia também:

Há 20 anos na TV, Amanda Françozo constrói uma digna carreira

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.