O Outro Lado do Paraíso: trajetórias de Sophia e Natanael são incoerentes

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nos últimos capítulos de O Outro Lado do Paraíso, a vilã Sophia (Marieta Severo) segue sua trajetória como serial killer e tratou de despachar mais uma personagem para o além a tesouradas. A moça foi vítima da megera porque era testemunha do ataque da vilã à sua vítima anterior, o segurança de bordel Laerte (Raphael Vianna).

Enquanto isso, Elizabeth (Gloria Pires) finalmente voltou a usar sua identidade original após ser surpreendida pela antiga família em pleno julgamento no qual era acusada de matar Laerte. A ex-Duda teve problemas de saúde por conta da emoção de rever a filha, o ex-marido e a amiga, sendo que esta última era cúmplice do sogro Natanael (Juca de Oliveira), que foi quem obrigou a moça a se fingir de morta. Agora, Natanael tenta dar cabo da vida de Elizabeth com as próprias mãos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

São momentos de fortes emoções na trama de Walcyr Carrasco, mas que trazem uma grande incoerência. Afinal, se Sophia e Natanael são tão ruins que são capazes de matar, por que é que não fizeram isso antes? Se Sophia tivesse matado Clara (Bianca Bin) logo de cara, não estaria agora enfrentando a fúria vingativa da mocinha. E se Natanael tivesse mandado matar a nora, ao invés de obrigá-la a se fingir de morta, não estaria, agora, presenciando o retorno dela.

Claro, se a coisa tivesse acontecido de outra forma, não haveria novela. Mas, sem dúvidas, falta coerência na trajetória de Sophia e Natanael. O autor deveria ter, ao menos, criado um motivo mais forte que justificasse o fato de os vilões terem preferido pôr em prática seus planos mirabolantes contra as protagonistas da novela, ao invés de simplesmente matá-las. Mas isso não aconteceu. Agora, ficam as pontas soltas.

Mas O Outro Lado do Paraíso é um grande sucesso. Sendo assim, tanto faz se os personagens são coerentes ou não. Fazer o que?

Tá no Ar volta ainda mais irreverente e engajado

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio