O Outro Lado do Paraíso é fraca, mas sua estrutura narrativa permite bons momentos

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Inconsistente e com diálogos constrangedores, O Outro Lado do Paraíso tem seus problemas. No entanto, a trama de Walcyr Carrasco é um dos maiores sucessos do horário, e não é à toa. Isso porque, apesar dos defeitos, o autor foi muito feliz na construção de sua estrutura narrativa, que permite com que ele faça pequenas “mini-novelas” e tenha diversos pontos de virada. Assim, a cada período, a trama entra em emoções dignas de desfecho, embora ainda tenha estrada pela frente.

Ontem (21), por exemplo, com a cena da morte de Vinícius (Flavio Tolezani), uma das “mini-novelas” proposta por Carrasco chegou ao fim. Foi o desfecho de uma saga que envolveu a família do delegado, corrupto e pedófilo, que violentava sexualmente a própria enteada. Apesar de este plot existir desde o começo da novela, a trama ganhou mais luz quando Clara (Bianca Bin) apontou seu “canhão vingativo” na mira do delegado, um dos responsáveis pela sua internação no hospício no passado. Clara descobriu que Laura (Bella Piero) era vítima do padrasto e tratou de desmascará-lo, como parte de seu plano de vingança.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Sendo assim, os últimos capítulos de O Outro Lado do Paraíso exploraram as dificuldades sexuais de Laura, que não conseguia transar com o marido Rafael (Igor Angelkorte). Clara tratou de ajudá-la, descobriu a verdade sobre o passado da garota e tratou de apoiar a denúncia de Laura, bem como participou da investigação que levou o delegado aos tribunais. Tudo veio à tona, e Vinícius foi julgado e condenado. Acabou morto na cadeia.

Ou seja, O Outro Lado do Paraíso consegue explorar bem sua estrutura narrativa a partir do fio condutor principal, que é a vingança de Clara contra as pessoas que a fizeram mal. Desde que retornou rica e triunfante, a mocinha tem armado para prejudicar seus inimigos, um a um. Começou com o psiquiatra Samuel (Eriberto Leão), desvendando sua vida dupla, numa trama que se desenrolou até o clímax, no momento em que Suzy (Ellen Rocche) contou a verdade a todos. Mais uma vez, emoções de fim de capítulo, que fizeram a audiência subir.

Depois de Samuel, veio Vinícius, cuja conclusão acabamos de acompanhar. Agora, Clara mirará no juiz Gustavo (Luís Mello), o que fará a novela passar a focar mais em sua família e os segredos que o envolvem. Mais uma vez, a vingança de Clara será “auxiliada” pelo destino, que fará com que ela descubra que o juiz é o sócio secreto do bordel de Pedra Santa. A partir desta descoberta, a mocinha desmantelará a família do corrupto. Espere, então, mais sequências da família dele se desenrolar, até que novo clímax coloque fim à trajetória do juiz.

E aí, na reta final, Clara finalmente deverá mirar em Sophia (Marieta Severo), a grande vilã da novela, para render o clímax final de O Outro Lado do Paraíso. Neste momento, a mocinha também terá que enfrentar Renato (Rafael Cardoso), que se revelará um mau-caráter, além de Aura (Tainá Müller) e Fabiana (Fernanda Rodrigues), que ajudarão a contra-atacar a mocinha.

Com tantos pontos de virada, é possível esperar novos recordes de audiência de O Outro Lado do Paraíso. Mérito do autor, que, apesar dos defeitos, soube criar uma trama com muitas possibilidades, que o permite fugir das famigeradas “barrigas”. A qualidade do texto é discutível, mas, sem dúvidas, Walcyr é bom de Ibope. E sabe o que está fazendo.

Deus Salve o Rei, a novela-série (ou a série-novela)?

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio