Nova versão de Os Trapalhões cumpre o prometido e traz para a televisão o humor infantil do passado

Publicado há 4 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A nova versão de Os Trapalhões estreou na noite desta segunda-feira (17) no Canal Viva fazendo lembrar o programa clássico dos anos 1970 e 1980. Dirigido por Ricardo Waddington, o programa é uma releitura moderna do humorístico que fez sucesso no passado, e já na primeira cena Renato Aragão, apareceu dando vida a seu famoso personagem Didi para deixar claro que os novos trapalhões não são versões de Didi (Renato Aragão), Dedé (Dedé Santana), Mussum (Antonio Carlos Gomes) e Zacarias (Mauro Gonçalves).

Leia também: Conversa com Bial foi o principal acerto da Globo este ano

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Todos os elementos estavam lá: diferentes esquetes, diferentes personagens, e a trupe que compõe o quarteto principal: Didico (Lucas Veloso), Dedeco (Bruno Gissoni), Zaca (Gui Santana) e Mussa (Mumuzinho) amparados e apadrinhados pela presença de Didi e Dedé.

Didico, diferente de seu personagem de origem, não é o líder do grupo tampouco assume posição de destaque entre os personagens, que mantêm o mesmo peso humorístico no programa. No primeiro esquete exibido, ele foi enganado por Mussa e Zaca, que deram inclusive um show de referências da cultura pop atual, mostrando que a atração veio embalada de presente não só para o público saudosista, mas para o público que terá contato com este tipo de humor pela primeira vez.

Existiu antes da estreia preocupação por parte do público de que a versão 2017 de Os Trapalhões, seguisse tão fielmente os moldes de sua versão original que pudesse ofender minorias, mas o remake tratou de desfazer tal impressão com todas as letras se mostrando politicamente correto, literalmente, num texto falado por Dedé Santana, que em cena interpretava um super-herói gay e disse “Cuidado com as piadinhas! Os tempos são outros”.

E realmente são! Mesmo com clichês e elementos comuns do humor circense, o programa conseguiu misturar com maestria passado e presente, sem que tudo caísse no enfadonho. Os atores, mostraram sintonia durante suas cenas em conjunto, dando a impressão de que já eram amigos há anos, o que fortaleceu o resultado no vídeo. Gui Santana e Mumuzinho tomaram para si todos os holofotes da estreia, já que seus personagens, Zaca e Mussa, que exigem uma interpretação mais caricata e cheia de trejeitos, ficaram muito semelhantes a Zacarias e Mussum, da versão original de Os Trapalhões. No final das contas, o saldo foi positivo, e o programa cumpriu tudo o que prometeu: Ser uma homenagem aos trapalhões e trazer de volta o humor infantil com tombos e tortas na cara.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio